domingo, 31 de dezembro de 2006

SEMPRE COM O AZUL


Deixo novamente a mente sobrevoar a cidade……..

Como uma gaivota………………..

Voo novamente em círculos……………..

À esquerda, a Sé Catedral…………
Em frente, a Torre dos Clérigos……………….
À direita, a Igreja dos Congregados,
onde tantas vezes entrei para rezar a Santo António……………..

Mas não hoje……………..
O último dia do ano………………
Cá fora, ao vento,
quero estar….

Azul será a cor com que 2007 pintarei………………

Continuarei a sentir o vento,
a tentar novas rimas,
a vaguear pelas ruas e ruelas………..

Com risos ou lágrimas…………
Mas sempre com o azul.................

Feliz Ano para todos……………………………………………….

sábado, 30 de dezembro de 2006

CHUVA NA INVICTA

Chuva………………..

A saudar a Invicta……………

A relembrar-lhe como facilmente a pode conquistar……….

Fazer com que o rio,
as margens,
numa batalha desigual derrote…….

Com lágrimas de raiva e impotência
e futuros imprevisíveis….

Naquele momento………..
Naquele dia…………..
Naquela hora, naquele segundo……………

Porque tudo se recomeça…………
Novamente, a partir do nada……………….

E, eu?
Apesar da chuva, continuo a vislumbrar o azul……………

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

ENCONTRO

Eis a Invicta………………
Majestosa…
Ao lusco-fusco…
No jogo de sombras da madrugada………..

Poderosa, sempre……
Sente como respira….
Mesmo quando o sol não brilha e a chuva é miudinha……….

Eis a Invicta………..
Onde vivo,
onde amo
e com quem,
o meu primeiro riso da manhã troco
e onde as minhas lágrimas, por vezes escondo…………………….

Encontra-me…
Da Invicta eu não fujo……………..

terça-feira, 26 de dezembro de 2006

IMPRESSÃO

Fria e cinzenta….

A tua primeira impressão será…………….

Mas deixa que eu o teu guia na Invicta seja…………..

Perde-te comigo nas suas ruas e ruelas……..

Deixa que a Menina Nua da Praça contigo fale…………

Vá lá, esquece o frio…………

Segue-me………….

Com o sorriso…………

Com a voz…

Com o calor humano em que a cidade te envolverá…………..

Com o meu calor,
expresso no abraço com que te vou saudar……………….

Com a beleza escondida da Invicta,
que em breve,
de ti fará parte…………….

segunda-feira, 25 de dezembro de 2006

PERTO DA LUA

Dia de Natal…………..

Frio está e as mãos quentes não estão…….

Estou sozinha; o silêncio é bem-vindo…………….

Não me lembro de cânticos de Natal;

a única melodia que vagueia na minha mente é a “Luna” de Alessandro Safina…

Uma voz mágica (o título do CD) a entoar as palavras mágicas de uma canção clássica
que me faz pensar
numa dança delicada e deliciosa num trapézio…………………….

Porquê?

Não sei…
Voa-se perto da lua,
deixa-se que a lua embeleze os rostos, os corpos e os gestos…

Em equilíbrio….

Como na vida……………

domingo, 24 de dezembro de 2006

MINHA HISTÓRIA DE NATAL

Resposta ao desafio do Pierrot (www.heartpierrot.blogspot.com)

Este ano, em tons de azul e prateado a árvore decidiram decorar …

Quando as luzes pela primeira vez acenderam, a sala de “Ahs” e “Ohs”encheram”….

Eu não gostei,

bem alto a minha cauda ergui

e refúgio no parapeito da minha janela favorita procurei…..

Aquela que,
para o Central Park dá….

Pois é, na “Big Apple” vivo…

Na cidade que todos idolatram e dizem que “never sleeps”…………..
Mas eu adoro dormir ao sol……………

Que por entre a janela entreaberta visita a sala…………..

E a minha "fur" penteia…………….

Sou um gato feliz………….

Como caviar e leite-creme e,

tal como a canção,

adoro “be part of it”

New York, New York, New York....

Festas felizes para todos que aqui passam

sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

NA ETERNIDADE

Ah, as confidências que à lua eu faço.......

Enquanto por ti espero........


Será que a minha alma ouves?

Será que Zeus te aprisionou no Olímpio

e duras tarefas terás que executar até comigo te reunires?

Mas eu,
................Hércules não quero....


É a ti..............

Ouve a minha alma...........

Aqui, ao abrigo da lua.........

Aqui, na eternidade...............
P.S.: Luna, cantada por Alessandro Safina e dedicado a alguém com o mesmo nome

quarta-feira, 20 de dezembro de 2006

NAS NUVENS

Desfaço a posição......

Relutante...........

Espreguiço-me.........

Rebolo, alongo o corpo......

E, a sentar-me volto.......

Tipo Buda...........

Só então.......

Abro os olhos e
deixo o olhar vaguear pelo quarto........

Ao princípio, nada vejo.......

Depois, fixo-o em ti..........

No teu olhar cheio de "mischief"............

Tentas imitar-me,

não consegues,

e uma gargalhada clara, cheia de prazer irrompe no quarto..........

Depois??

..........um grande passeio pelas nuvens................


segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

ATÉ OS OLHOS

No quadro,
o olhar fixo............
Primeiro na assinatura........
Depois, deixo que siga os contornos da ponte.................
Ao lusco-fusco.....
Num convite à magia,
ao sonho,
ao romance...............

Sinto as pálpebras a descerem, e
nenhum esforço faço
para que,
o olhar não me ocultem................
Nenhum músculo mexe...............

Dir-se-ia que,
em estátuta me transformei.............
Apenas repouso......
Até os olhos......................

domingo, 17 de dezembro de 2006

AZUL E CASTANHO

Do castanho, não me posso esconder…………..
Apenas o misturo com o azul……….

O azul dos meus jeans……………

Que não vês,
porque são os meus olhos que queres e procuras………

Definir o meu olhar???

Apenas que….
Anseia pelo teu…………….

Deixa que te desafie……….

Deixa-te guiar
pelo que de mim sabes e sentes,
encontra-me.....
Olha-me de frente……….

No meio desta multidão, que doida,
desce e sobe num frenesim Santa Catarina…………
Nunca de mim o olhar desvies..................

Uma dica?
Herdei o castanho,
o mesmo de quem a vida me deu………………

sábado, 16 de dezembro de 2006

ARDOR

É em azul que te escrevo...........

O meu mantra....

Zeloso já do meu bem-estar.....

Da tranquilidade que, ontem por minutos da minha alma se evaporou.......

Caiu a meus pés, sobressaltou-me e,

logo aquela lágrima, pequenina, mas rebelde, amaldiçoou o olhar.......

O nariz fungou

e convencer-me de que apenas de uma ligeira constipação se tratava, tentei......

Conhece-me bem aquela lágrima teimosa.......

que, iludindo os dedos,
que sacudir a queriam,
se escapou, deixando para trás,
nos olhos e na pele irritada pelo vento gelado,
uma forte sensação de ardor.............

quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

NUNCA

Em concha.........

As mãos....


Seguram a chávena de leite quente

que o café tinge levemente..............

Trinco primeiro a torrada,

mas enquanto a mastigo,

novamente a mão procura o aconchego

dado pela chávena de leite quente...........

Saudades tenho tuas............

Das tuas mãos....
De como,
as minhas,
importantes,
fazem sentir ........

Pequenas,
de unhas cortadas rente
e sem verniz.......

Com que prazer
se fundem com a tua pele.....
Reconhecem
e sonham com o teu cheiro...

E, como avidamente,

no teu abraço mergulham e,


de lá,

sair

nunca procuram........

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

AS MÃOS

Repousam.....

Sobre o abdómen....

Tranquilas, moles....

As mãos.......

Por vezes, com os dedos entrelaçados....

Outras, com as palmas bem unidas em prece..........

Ou ligeiramente afastadas,

O umbigo a fronteira,

o remoinho,

a linha imaginária
que o indicador traça..........

Levemente...........

Sem histórias,

Sem quaisquer pensamentos...

Apenas o toque da pele na pele........

Ociosas,

Quietas,

Relaxadas........

Sempre para a lua,

diluindo-se na sua vastidão,

as mãos apontam.............

terça-feira, 12 de dezembro de 2006

LONGA CARÍCIA


Geladas...

Estamos....

Mexer os dedos...
Inchados e vermelhos..............

quase não podemos.............


Desorientadas nos sentimos.............


Ansiosas.......


Limitadas pela dor,

até de saudar o dia nos esquecemos.........


Não sorrimos, não falamos,
apenas visíveis nos queremos tornar....
Voltar a fazer parte do corpo,
que se dispersa, ele próprio
neste universo gelado.....

Lenta, dolorosamente,
o sangue espalha-se.........
numa dança circular.......
Fluído, contorce-se, jorra........
Até ao nosso encontro.............

Sempre a dançar, devolvendo a alegria de,

finalmente as mãos
se erguerem e tocarem o rosto.........

Numa longa carícia............




segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

SEM DISTÂNCIAS

Não sei se

É em ti que estou perdida

Ou nos teus sonhos.........

Partilho-os, vivo-os e afago-os contigo.....

Os teus sonhos são os meus e os meus projectam-se nos teus........

Sobrevoamos o Tecto do Mundo, cruzamos a neve eterna....

Imortais não nos tornamos.........

Mas conscientes da confiança que entre nós há........

Sentimo-nos como a águia
que a corrente do ar rasga............

Como o cavalo que
livremente pelo prado corre........

Sem distâncias........



domingo, 10 de dezembro de 2006

ATÉ A ALMA

Veludo confortável.............

Torna-se uma segunda pele..............

Gosto.................

Dessa sensação de conforto..................

Envolvente..............

Física...........

Em todo o corpo..........

Conquistando tudo até a alma...........

O roçar macio do veludo na pele nua..........

Os teus braços, enlaçando-me primeiro o pescoço e
depois as mãos, pelas costas lentamente descendo..........................

sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

INABALÁVEL

Adoras……………..

Ver como o calor do rubor
na minha cara se manifesta…………..

No meu sorriso desajeitado…

No meu olhar meio orgulhoso,

meio desconfiado……………..

Lidar com os elogios….

Não sei……….

Nunca me habituei…

Mas os teus elogios……………………
Não nego. …
Gosto de receber………………

Por sentir que o estás a sentir…

Sem haver segundas intenções…

Genuína
a amizade que por mim tens………..

E que eu retribuo da mesma forma….

Inabalável…..

quinta-feira, 7 de dezembro de 2006

DIURNO

Foi Morfeu, quem esta noite

novamente me seduziu.........

Foi contigo, no entanto que sonhei......

O teu toque que a minha pele sentiu........

O teu beijo nocturno.........

Ao de leve, irreal, imaterial

Marcado nos meus lábios.....

Noite de temporal,

mas não nos meus sonhos.......

Pois contigo sonho.............

À luz do dia,
sou eu quem te deixa ficar o meu beijo.....
Diurno.......

Para que sejas tu agora a sonhar comigo..........

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

AZUL = ARTE

Longo suspiro de alívio se desenha nos vidros embaciados da janela.......

Vê-se uma nesga do céu...

Limpo, translúcido, pálido ainda......

As nuvens afastam-se, entoando um suave cântico.......

De adeus?

De louvor?

Sorrio.....

Lentamente..........

e nos vidros embaciados, com a ponta do dedo traço o M do meu nome...........

O M de Mar...............

O A, inicialmente de Arte, mas que agora é também de Azul.......

E Azul é Arte também............

Hoje, o céu convida a pintar um fresco........

Uma aguarela.......

De um dia, não tão cinzento, um pouco mais azul....................

Um dia de alívio...........

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

RETER

Retenho a respiração...

Sinto o ar a borbulhar, impaciente, desejoso
de se sentir solto no labirinto complicado e escondido entre os pulmões e as narinas.........


Um mundo que o temia e que, gigante,
com brutais gritos de guerra, ele controlava......

Surpreendido, curioso fica agora
quando o corpo o obriga a circular de forma perfeita.........
Por entre o labirinto que ele tanto maltratava.......


O corpo olha mais para dentro de si,
Identifica-se,
Corrige-se.......

Por vezes, o ar ainda se revolta, barafusta alto,
mas o corpo limita-se a concentrar no que o enriquece.......


E, em breve o próprio ar começa a gozar o momento

e volta a sentir-se Rei e Senhor.....

Num corpo mais saudável,

Mais confiante......

Mais atento a si próprio...............

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

NÃO


Cinzenta acordou hoje a cidade...

Vento, chuva...

O habitual..........

Acordo, banhada em suores frios....

Tento lembrar-me do que me ensinaram sobre a respiração no yoga....

E controlo-me....

Enrosco-me mais nos cobertores,

abafo o corpo no calor que ele próprio gerou,

tento restabelecer a sintonia........

Para afastar um fantasma do passado que,
meus sonhos insiste em invadir......

Sem autorização....bem-vindo não é.......

Fecho os olhos e inspiro fundo..........

"Dizer não é também um acto de amor" –

a frase/mantra enrola-se, explica-se, espalha-se.......

Quando o telemóvel fez buzz para me acordar,

"não" ao fantasma tinha eu já dito........

Lastimava apenas que não fosse a tua voz a acordar-me.......

domingo, 3 de dezembro de 2006

PERFUME

Feel what’s real”

Uma bola de sabão, reflectindo o arco-íris ou a gota de perfume,
abrindo um sulco na pele..................

A bola de sabão, que se esmaga contra o ar ou a gota de perfume,

que, mesmo depois de seca,

continua a difundir o cheiro................

Que se confunde com o teu, quando o pulso me acaricias e um beijo lhe depositas………

Ou a que insiste em ficar ali presa, na curva do pescoço e se entranha na pele do teu
dedo quando a fazes deslizar….

Adoro……………..

Sentir
a gota de perfume beijar o meu corpo………….
Rondar o teu…………..
Transformar os meus sentidos
numa realidade coroada de cheiros e desejos……………………..

sexta-feira, 1 de dezembro de 2006

CORAÇÃO ABERTO

Omenare, imperavi, emulari
Ameno
Omenare, imperavi, emulari”**

Não encontro palavras para te coreografar…………

Para suavizar a mensagem que no meu corpo

Se infiltra…………………

Pedes conforto e conforto nos meus braços estendidos encontras…

Libertar-te na nave de uma igreja nua,
Propagar a força que te domina na acústica
Perfeita…………

E, sentir que a minha alma se eleva…………..
Voa contigo………
Renasce….
Regressa………….

E, eu escuto-a………………
Com o coração aberto….

**Suaviza (esta dor), conforta-me
Liberta-me
Suaviza (esta dor), conforta-me
Refrão de "Ameno" - Grupo Eros

quinta-feira, 30 de novembro de 2006

ARANJUEZ CON AMOR

Exóticos...

Idílicos...

Risos, ritmos quentes, paixões mais carnais, mais fortes.....
Escorrendo lentamente como o mel.........

Caraíbas, Brasil.........
Perdemos a noção dos dias e das horas........
Até do nome nos esquecemos......

Mas...
Eu, a Aranjuez quero ir............

Para decifrar, descobrir, entender
A razão da canção,
que dedicada lhe foi......

Talvez por cidade real ter sido...
Possível seja despirmo-nos,
revelarmo-nos,
reinventarmo-nos.............

Na simplicidade do amor, da paixão.......
Sem o exótico....
Apenas o erótico.........

quarta-feira, 29 de novembro de 2006

TARDAS


- Resposta ao desafio do Pierrot (www.heartpierrot.blogspot.com) -

Lambo a pata demoradamente........


Tardas em aparecer.........

Há dias em que não apareces mesmo.....


Nunca o corrimão esteve assim...

Com a tinta a descascar, solto...

As paredes com manchas de humidade...
O chão sujo e lascado.....

Lembro-me como assobiavas bem,

Como rias alto...

Muitas serenatas fazias.....


Primeiro à lua, depois à tua mulher

E depois à tua filha...........

Às vezes, excitado, eu ladrava, numa vã tentativa de participar e tu, rindo,

dizias:

"Cala-te Faísca, estás a desafinar..."

Um dia, a tua filha trouxe esta cadeira desengonçada e tu começaste a

passar as tardes, aí sentado...


Não falas, não assobias, não ris, nem uma festa me fazes......

Olhas sempre em frente...........

E, o teu olhar está sempre vazio.........

Nunca mais...

Serenatas à lua fizemos...........

Ai, como tardas em aparecer.................

terça-feira, 28 de novembro de 2006

SIMPLES

Juntos ao luar**

Não, não podemos hoje estar........

O vento e a chuva,
Numa coreografia elegante, fatal, concebida, talvez pelo Diabo............

Fascinante, sem dúvida, mas assustadora.........
Voltam a disputar a primazia e o brilho da noite............

Hoje, a lua será talvez a luz do candeeiro,

que nos vidros da janela se reflecte....

A janela, onde a chuva insiste em cravar o nome em pequenas gotas.........

Que o vento arrasta num simples gesto................

Música.......

Música no máximo....

Não Mozart, não Beethoven..

Muito menos Chopin........

Schubert........a melodia doce de “Ave Maria”...

As lágrimas correm-me pela cara abaixo.........

Pouco te importas.........apenas me abraças e continuamos a ouvir......

“Ave Maria” na noite tempestuosa........
P.S.: Título do livro de Nicholas Sparks "Juntos ao luar"

SEMPRE

Sempre charmoso, galanteador, o vento beija-me os lábios.....

Desconfiada, olho-o nos olhos...

Impossível não ver à minha frente a tristeza espalhada
no largo painel de folhas,
violadas,
humilhadas,
trucidadas pelo vendável.........

Gentil troça, nos olhos lhe leio......

Como sempre.............

Um desafio a enfrentar......

Suspiro e sempre com o vento,
Ou, a levantar-me o cabelo para juras de amor eterno ao ouvido me fazer
Ou, apenas acariciar a minha face gelada,

Me apresso..........

Para na rotina reentrar.......

domingo, 26 de novembro de 2006

SÓ ISSO


O saxofone despedaça o ar parado, concentrado……………….

Em mil fragmentos……………

Potente, brilhante, o dourado a contrastar fortemente com a escuridão da sala….

E o branco da mão, que com segurança e magia, sons sedutores lhe arranca……….

Fecho os olhos, à espera que a estranha voz do vocalista desenhe a letra nos espaços deixados vazios pelo saxofone………….

Como se espera que o temporal novamente a tranquilidade
nos arranque…………

Estremeço, abraço o meu corpo,
conforto quero………

O saxofone continua a marcar o ritmo,
aumenta a tensão,
a sedução……

Mas, agora, neste momento, nada disso quero....
Apenas um abraço,
só isso......
Dás-mo?

sábado, 25 de novembro de 2006

BIP

Bip….

O envelope pisca….

Sinal de que um SMS recebi……..

Teu?
Ou de alguém que,
mal o seu tempo usa?

Diz-me o coração
que teu é ……….

Sinto os músculos, os lábios, os olhos, a dilatarem-se
Num sorriso…
Que ver, não verás,
Mas, presente, nas minhas palavras
alegres e despreocupadas em resposta,
estará….

Tempo houve em que medo tinha de receber um SMS…
Insultos, ofensas….fel misturado na saliva…

Carinho, amizade, apoio, compreensão………..

É o que sempre leio e sinto nos teus SMS….

Bip.....em resposta.............

sexta-feira, 24 de novembro de 2006

BUZZ

Buzz......o visor ilumina-se,

o telemóvel desliza com a vibração

e ouve-se uma voz límpida, mas impessoal:

"São 06h45. São horas de acordar"

Lá fora, a cidade acorda também...

Com frio, que , de assalto,
a nesga da janela toma

e , a entrada no quarto, força........

E reclama posse do meu corpo...........

Que se arrepia e recua.......

Para um duche quente, demorado

e cheio de perfume

Que, por sua vez, e num flirt descarado,

Sorri para o frio...........
No ar
loucas declarações
de charme ....

Buzz...............

quinta-feira, 23 de novembro de 2006

ESGARES

Acordo com suores frios........

Sobressaltada, com um pesadelo tão real que me assusta.........

Fantasmas do passado?

Máscaras grotescas, sem feições definidas...

Monstros....

Esgares de dor lancinante......

Como, um dia dei,

num silêncio sofrido e longo......


Hoje já não...

Usufruo plenamente da sensação....

de aqui estar.....
num azul perfeito...............

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

TOPO

Azul....

Continuo à procura do azul...

Respiro-o, sonho-o e até ao topo da montanha subi....

Tropecei,

rasguei a pele,

manchei de sangue as folhas dos arbustos...

Ao topo, cheguei..........
Quase que podia tocar no azul..........
Se esticasse bem o braço........
Do céu....

Inatingível........

Impossível.....

Ilusão...........

Reencontro-me
Com a hora mágica do dia

e ao acordar,
apesar de todos os problemas,

Azul......,

Sem o rosa destronar,

Volta a preencher-me........

terça-feira, 21 de novembro de 2006

AZUL


Com o azul me reconcilio..........

Não com o azul adulterado........

Com o puro, quase transparente, que nos permite ver os contornos da nossa mão........

Como o fumo que se eleva do pau de incenso e com o ar se mistura e as narinas namora.......

Lenta, aromaticamente, enquanto abraçamos contra o corpo a perna.......

Ao som da música indiana, com ritmos cheios de magia e de enigmas....

De mantras escondidos, de cheiros fortes e inesquecíveis......

Cores ricas e profundas como o azul em que eu e a minha mente nos libertamos.............

Num suspiro,

Numa reconciliação,

Numa resposta a perguntas
que nunca nos atreveríamos a fazer................


segunda-feira, 20 de novembro de 2006

SORRIDENTE

Extenuados de tanta loucura..........

Um cha cha cha com novos passos, o sangue quente, o suor a fazer
tatuagens no corpo e a respiração ofegante........

A chuva e o vento.............

Hoje, escondem-se.......

Frio se sente, mas azul está o céu.........

Ainda se entranha a neblina.....mas as nuvens, sorridentes formam um colar
com o arco-íris..............

Caminho, bem agasalhada, eu própria sorridente....

Contradição com a 2ª feira, que se adivinha cheia de trabalho......

Mas eu feliz estou..........

Porque sei
que meu sono continuas a vigiar
e que me abraças..........

domingo, 19 de novembro de 2006

CHA CHA CHA

Bom………………

Deslizar novamente para dentro dos lençóis e trincar…………….

A torrada estaladiça, com a manteiga ainda a derreter…….

Bom………………

Ligar a música no máximo,
acompanhar em dueto a Jennifer Lopez e
pensar que estamos a dançar o cha cha cha…

Bom….

Um, dois, três…cha cha cha…
Quatro, cinco, seis, passo para frente, outro para trás………..

Libertar o corpo, deixar que respire, fale e escute……..
Mensagens de sensualidade ao ritmo do cha cha cha….

Um, dois, três….e até o vento já sopra….
Um, dois, três…cha cha cha…

sábado, 18 de novembro de 2006

SÓ PARA TI

Tropeço no chão molhado…

A fugir do quê ou de quem… já não sei….

Numa aberta da insinuante e assustadora tempestade…..

Me refugio….

Num quarto cheio de pó e velharias me encontro e a janela abro…

Sufocar me sinto, se não ouvir ruído….

Não gritos, palavras maldosas e cortantes………..

Sons normais, vulgares, do quotidiano…

Como o som do vento …..

Assim me encontras, debruçada na janela, a conversar com o vento…

Mas o sorriso é só para ti………….

E o abraço,
demorado, forte e apertado……………….também………………..

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

VIGIA

Dormes?

Ou apenas de vigia ao meu sono estás?

Sou uma ninfa encantada ou uma odalisca sedutora?

Sentir-te,
Seguir-te,
Sonhar-te...........

Rodopiar pelas ruas e lançar "beijos" a quem passa..........

Ou trocá-los somente contigo?

Aqui, neste cantinho onde me abrigaste....

Da tua própria fúria................
e me amaste..............

Num mistério............

Improvável pensar em nós – a chuva e o vento – como apaixonados...........

quinta-feira, 16 de novembro de 2006

TEMPESTADE


Intenso...

Duelo carregado de paixão......

Floretes brilhantes na noite pesada....

O vento, gigante.........

O trovão, ensurdecedor.......
Comandante perfeito dos relâmpagos que rompem o breu....

Assustando a chuva, que
desenfreadamente na vidraça se desfaz,
reclamando abrigo............


Eis que o vento se aproxima e a enlaça,
derramando ternura...
Uma ternura singela, surpreendente,
impensável de alguém tão duro e poderoso...........
Uma encantadora ternura que rasga a chuva em largos sorrisos,
a acalma
e finalmente de bater, aflita na vidraça deixa................

quarta-feira, 15 de novembro de 2006

SACRILÉGIO

Em silêncio, estou...

Apenas aguardo.......

Pelo eco...

Se propague pelo vácuo, embata nas escarpas, dilua no vento e a mim regresse.............

Torne mais grave o timbre da minha voz.................
Me torne visível.......................


Lá....
No cume da montanha, no reino da águia real..........
Na queda da cascata escondida dos olhares predadores, protegendo uma água cristalina, pura de sabor e de vaidade..........
Na relva que acolhe o meu corpo, o meu dedo apoiado no botão pronto a fazer click, mas incapaz de disparar.......

A eternidade, a paz, o cheiro...
intocável e selvagem permanecer devem....


A minha foto sacrilégio seria...............

terça-feira, 14 de novembro de 2006

DESPERTAR

Sigo os teus passos.......

Sento-me quando tu te sentas...

Com o calcanhar direito alinhado com a coxa esquerda....

Fecho os olhos como tu e como tu, esforço-me por esvaziar a mente...

Viro as palmas das mãos para cima, a olhar a lua que segue as linhas que descrevem a tua vida.......

Inspiro quando inspiras; expiro quando expiras.....

Hoje, sei que a tua noite não terá as cores da paixão...

Mais brilhantes, contudo tornarei as cores em que te enroscas ao
despertar........

segunda-feira, 13 de novembro de 2006

REFLEXO

Inclino-me para ti...........

Para que desfrutes totalmente do meu reflexo...

Para que saibas como seduzes as minhas folhas, que se desprendem
elegantemente dos meus galhos e deslizam
pacientemente para a tua água tranquila.............
Sem emoções, surda ao meu namoro e ao do vento..........

Só com a luz da lua tu vibras.......
Só as confidências da lua tu escutas..........

Fazes com que, intrusa me sinta.........
Quando tanto eu te amo............

domingo, 12 de novembro de 2006

EU

Adoro

Ver quando as asas abres e voo levantas…………….

Invejo

A tua leveza, a tua beleza, o teu brilho …

Adoro

Sentir a ponta da tua asa a roçar-me no rosto………….
O teu olhar distante………
Invejo

A liberdade com que vagueias pelo espaço…
Como tu e o ar se tornam um só…………….
A paixão com que te desenhas no azul do céu……………….

E, eu…

Apenas posso jogar com a minha sombra…………………
No canto do meu jardim….
Onde o teu ninho fizeste…

DESAFIO FIM DE SEMANA

O Alexandre do blog Fundamentalidades convidou-me a expor em público 5 manias..

5 manias que fazem toda a diferença no meu quotidiano….

Não sei se as minhas manias são verdadeiramente manias, mas aqui estão elas:


1 - Levantar-me mais cedo do que devo para fazer tudo com calma
2 -Não sair de casa sem tomar o pequeno-almoço
3 -Beber o leite e comer a sopa quase frios, mas não o chá
4 -Adormecer quase sempre no sofá
5- Nunca sair de casa sem um livro

Como tenho que passar este desafio a 5 pessoas, vou pedir à:


Chuvamiudinha
Estações do dia
125_Azul
Sónia
Pierrot


E depois comparamos todas as nossas manias……………

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

CANELA

Canela.......

Cheira a canela....
toca-me levemente nos lábios, seduz-me o nariz, espalha-se-me pelas mãos...
Qual cascata graciosa,em gestos elegantes como uma dama,
polvilha delicadamente o leite creme...........

Canela...
Em pó…
No leite morno também…

Para o café,
em pau para amaciar aquele sabor quente e forte............

No topo do bolo folhado, recheado com mel e nozes....

No paladar, na saliva…..

A canela........
Uma eterna sedutora.....................

quinta-feira, 9 de novembro de 2006

SECRETOS

Adormeço........

Abraçada aos meus sonhos mais secretos...

Entre a folhagem indomável e selvagem de um jardim.......

Ou num sorriso enigmático............Saboroso....

Como leite creme...

Cremoso, macio.......

Como a nossa pele,

depois do banho...

Suave como uma pétala de rosa...

Rosa cor de rosa, aberta, em pura concorrência com o sol que continua a brilhar....

Neste Outono........

quarta-feira, 8 de novembro de 2006

EM PAZ

Refugio-me novamente no teu exotismo....

Fala a sensualidade camuflada e a mente liberta-se........

Penetra noutra galáxia, perde-se por entre os labirintos do equilíbrio...

De que o corpo usufrui........

Torcendo-se, unindo as palmas das mãos, entrelaçando os dedos
entre os planetas e as estrelas......

A música, sempre a crescer....
Envolvente.....
Libertadora...

O final do Bolero de Ravel.........
Encontra-me sentada numa posição confortável, de olhos fechados, a entoar o mantra da Paz.........
Pois é,
em Paz me sinto, apesar de tudo...........


P.S.: Esta é a resposta ao meu desafio do post "Crescendo" e agradeço a todos por responderem.

terça-feira, 7 de novembro de 2006

RAINHA SUPREMA

Partir, eu devo........

Já as nuvens me trazem o véu...

O véu, que tapa o meu rosto dos olhares indiscretos do dia.........

Mas eu resisto...........

As gaivotas voam em círculo, aproximam-se perigosamente de mim.....

Não recuo, porque é o teu rosto....

O teu olhar, que hoje, ver eu quero.............

Por um segundo,

Hoje, lua cheia fui a Rainha Suprema dos Céus,

e, pelo Mundo, a clareza jorrei.............

domingo, 5 de novembro de 2006

CRESCENDO

Inspiras-me…………..

Sobre ti, escrever não consigo….

Respiro fundo,

sinto o meu corpo responder à sensualidade que transparece em cada nota musical….
Em cada novo instrumento que dá forma ao poema exótico que surge aos poucos…………
Piano, suavíssimo até ao crescendo final…
Esgotante, ofegante………

Enquanto lá fora o tempo não se define
Aqui, dentro os sentidos e os sentimentos atropelam-se………..
A um ritmo alucinante…

E, estranhamente, uma nova determinação nasce, afirma-se e completa-me…………………….

P.S.: Além do vosso comentário, eu gostava de uma resposta ao meu desafio, que é o seguinte:
De que peça musical (música clássica) fala o meu texto?
Divulgarei no blog o nome do “vencedor” com um pequeno texto/comentário da sua autoria sobre essa mesma peça.

sábado, 4 de novembro de 2006

LUA CHEIA

Noite de lua cheia………………….

Namora-se…….

Deslumbrante, derramando a prata mais pura, atrai os olhares e os sentidos…

Divaga-se….

Sussurra-se…

Perde-se….ou descobre-se….

Vontades ocultas, palavras ternas e nunca ditas ……………

Desata-se numa correria louca pela escada, que entre as nuvens a lua escavou…

Apenas….

Para, por completo

mergulhar na magia de uma noite de lua cheia…………………….

sexta-feira, 3 de novembro de 2006

TUDO CINZENTO

Fala-se na "cor da paixão"**....

Mas não da do ciúme.......

O ciúme que te amordaça e te impede de sonhar........

Talvez, por isso, tudo te pareça cinzento...

Doentio e vazio........

E, não entendes o porquê do meu sorriso...

Às vezes, tão feliz e solto.......

Zangado contigo próprio e com o mundo,

Refém de ti próprio

........ tudo cinzento continuarás a ver.......

**Título do recente livro de Sveva Casati Modignani

quinta-feira, 2 de novembro de 2006

COMO UMA ONDA

Saudades, tenho de ti..............

De abrir o mail

e não saber se, por lá te encontrarei......

Um mail sério, carregado, pesado, com palavras nuas....

Ou divertido, repleto de insinuações e emoções...

Fingindo indignação, mostrando-se ofendido ou abrindo caminhos à
polémica.....

Ou um SMS, só para dizer "Olá"...

Mas, sobretudo, o mais importante,

aquela sensação de que,

sozinhos não estamos.....

Que se espalha, como uma onda, lentamente pela pele,

pelos poros absorvida é

e insinua-se à circulação sanguínea.........

quarta-feira, 1 de novembro de 2006

QUASE PERFEITO

Sinto que…
Te rendeste, finalmente………………..
Aos desejos que sempre calaste….
Aos sonhos que sempre sufocaste….
Ao corpo que sempre escondeste e agora mostras….

Espreguiçando-te,
torcendo-o em movimentos fluidos,
graciosos, saudáveis……….

Tu, que sempre desajeitada te consideraste…………..

Surpreendo-te um novo sorriso…………

Não sei bem de onde vem;
se só da alma,
se só do coração………….

Mas é quase perfeito……………….

Porque, as tuas defesas,
as tuas amarras,
a soltar estás………………….

terça-feira, 31 de outubro de 2006

CÍRCULOS

Lá, para os lados do mar, ainda persiste a neblina...

Mas, aqui, já o sol, aventureiro, abriu...

Eu??

Eu continuo a desenhar círculos no chão...

Silhuetas com o meu corpo, com a cumplicidade do sol nos jogos de
sombras....

A outra face da luz –

não um jogo de escondidas, mas de pinturas de cheiros e sensações na
minha pele.............

Num círculo...

O meu corpo...........

segunda-feira, 30 de outubro de 2006

CAMPAINHA

Rimar com o vento???

Fácil como dançar com as folhas que ele, caprichoso solta......

Se tem segredos, e se a ti se destinam....

Só tu os podes ouvir.......

Abre-te, solta-te, deixa que ele leve a tua gargalhada despreocupada

para o outro lado do rio.......

Assusta as pombas, estende as mãos para que o mundo te obedeça e
respira
fundo......

E, se cansado te sentires,

de tanto riso e correria, pede-me colo...

Deixa-me sentir os teus braços confiantes à volta do meu pescoço, o teu

corpo rechonchudo encostado ao meu e o teu dedo pequenino a fazer do

meu nariz uma
campainha....
P.S.:Dedicado ao meu sobrinho "adoptivo"

domingo, 29 de outubro de 2006

SERÁ QUE???????????

Provoco-te….
Assalto-te a memória…
Olho-te de soslaio…
Passo maliciosamente a língua pelos lábios e afasto-me deliberadamente de ti…
Sinto que os teus olhos me seguem e rio baixinho…..

Quero reconquistar-te, tornar-te minha, ver os teus olhos encherem-se de gula, de prazer......
Será que é desta vez que te vou sentir trincar-me com gosto, com paixão?
Será que vais voltar a sorrir como antigamente?

Não, segues em frente, escolhes cuidadosamente os iogurtes, pedes o fiambre e os pães de leite….
……………Sorridente, leve, solta…..
E, eu???
Fico na prateleira, alguém pega-me e larga-me sem cerimónias no meio dos legumes..
De onde a tua mão me recupera……………….
penso, satisfeito, “vais levar-me”,
mas apenas voltas a pôr-me no meio dos "meus irmãos"
…..

sábado, 28 de outubro de 2006

CLICK



Ninguém respira….
Nem mesmo o vento se atreve a distrair-me......

Espera-se….

Que eu enquadre a muralha e faça click….

Click e todos, inclusive eu, expiramos…

Por fim…
de alívio,
satisfeitos,
prontos para continuar a explorar a muralha, o jardim e o dia…

Eu e o vento trocamos um sorriso…

Divertido, cada um a imaginar uma nova partida…

Mas, eis que,

de súbito, o vento solta uma risada maliciosa,
dá-me um beijo rápido no nariz,
e mete-se pela primeira viela que aparece…

Ainda corro atrás dele , mas já lá não está…

Mas sei que voltará,
sorrateiro, matreiro, provocador
e por isso, continuo tranquilamente
a fotografar…………..