quinta-feira, 28 de outubro de 2010

AJUIZADA

Não me sinto nada ajuizada,
esta noite.

Sinto-me leve,
transparente.

Como se voasse
e seguisse os teus passos.

Lesse os teus pensamentos
e estivesse lá,
nesse teu jardim secreto,
quando chegasses.


Foto "Women Another Vision" (Via João Mateus - Facebook)

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

SCHUBERT

Há palavras que não são meras palavras.
São simples, mas majestosas;
elegantes, mas nunca frias.

São um grito,
um desejo,
um milagre
numa carta antiga,
guardada religiosamente.

Estar sozinha e escolher Schubert
como música de fundo.

Pensar e não pensar em ti,
confessar-to ou não,
deixo que seja Schubert
a dizer-to.



Foto de Iuri Capretz "Caminho de uma vida" (Olhares)

domingo, 24 de outubro de 2010

TÍMIDA

Hoje estou tímida
e ando à procura de palavras.

Palavras que te digam
como me apoderei
do teu desejo secreto.

Como tudo, afinal,
se resume à palavra
"quero-te".

Quero sentir o teu corpo
a dizer-me isso.

Sem palavras.


Foto de Nina Eframova (via Facebook)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

TURBULÊNCIA

Esta noite,
fiquei confusa com regras,
que não são regras,
com pecados que existem
apenas na turbulência do tempo.

Nem sei porque penso nisso
quando já é noite
e os fantasmas do passado
há muito que desapareceram.

Está uma noite de temporal.
Chuva forte, relâmpagos,
vento.

Uma noite que poderia ser mágica,
cheia de fantasia.
Se estivesses cá
e eu não tivesse aberto a porta
a essa turbulência dorida.



Foto de Carlos Resende "Lost" (Olhares)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

BONITA

Escrevo-te e descrevo-te
num poema de amor
que não consigo terminar.

São pequenos detalhes,
como sorrisos e olhares,
que fazem com que eu
deixe de escrever,
divague,
vagueie por aí.

Aparentemente sem rumo,
calada,
pensativa.

Sinto-me apenas bonita.



Foto de Graça Loureiro "Prelimpimpim" (Olhares)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

LONGA

Atrevo
a espreguiçar-me no teu corpo,
deixando que me desnudes
com os teus beijos.

Esqueço o mundo,
quando me repetes
no teu olhar.

E a noite torna-se longa
quando gozas o teu prazer no meu.


Foto de benheine "Dancing with a veil" (DevianTArt)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

GOSTAR DE AMAR

Ai, amor,
tinha tanto a dizer-te
esta noite.

Mas as palavras libertam-se,
loucas,
em gemidos de prazer.

A voz está rouca.
As mãos ansiosas.

Gosto de te amar, amor.

De te oferecer os meus lábios,
para um beijo,
abrir-te a boca,
para que o tornes
profundo.

Depois,
para quê pensar
no banal "depois"?


Foto de Vanessa Luckie (via João Mateus - Facebook)


domingo, 10 de outubro de 2010

EGOÍSMO

Não sei se exageramos, amor
ao sermos egoístas por um minuto.
Por falarmos de amor abertamente,
e do prazer em nos darmos um
ao outro.
E, quando nos olhamos,
quando a mão acaricia
todos esses recantos já
explorados,
não há exageros nem egoísmo
na forma completa
de nos vivermos.


Foto de Graça Loureiro (Olhares), "Dreams"

terça-feira, 5 de outubro de 2010

DIÁRIO

Dia I

Falemos de tudo e de nada.
Rir, gritar alto, porque não?
Para quê ser discreto se puder
gritar com o Vento?
Apagar a troça da tua voz?
Surpreender a incredulidade no teu olhar?
Dia II

Sei que, às vezes,
te escrevo como se escrevesse num diário.
Planos, memórias, pensamentos.
Um dia completo da minha vida,
em que posso olhar o céu e encontrar
o contorno do teu corpo numa nuvem.
Depois, esta esfiapa-se,
dissolve-se,
e eu recorto-te na imagem perfeita
que fundeou na minha mente






Foto de Graça Loureiro "HuMa(N)aTuRe" (olhares)

sábado, 2 de outubro de 2010

PORQUÊ

Se eu deixar de escrever sobre o Vento,
não enaltecer as suas virtudes e os seus defeitos,
não lhe chamar o meu amante favorito,
não me perguntes porquê.
É como o beijo.
O beijo não tem "porquês".


Foto de Johnny "O Som das Brumas" (Olhares)

Falar do Vento é falar do meu companheiro
de sempre.
Dos meus humores, dos meus medos.
Nunca lhe contei, porém,
como as minhas cores deixaram de
ser discretas.



Foto de Paulo Jorge Conceição Teixeira "As cores da manhã" (Olhares)