segunda-feira, 31 de julho de 2006

TERMINAR EM TRAGÉDIA


Suspiro e, não, não é por ti...

É por mim, como se esta tristeza que me esmaga o coração,

se pudesse evaporar...

Como se fosse fácil varrer do coração e do pensamento,

a tua imagem, as tuas palavras de amor, os teus gestos carinhosos...

Pois é assim que te vou guardar na memória...

O resto???

O resto – eu vou esquecer....

Porque, a romântica incurável continua a acreditar

Que é possível o amor verdadeiro,
Que não tem necessariamente que

terminar em tragédia ou violência....

domingo, 30 de julho de 2006

ESCURO LÁ PARA O LADO DO MAR

Está escuro, lá para o lado do mar…

Será que vai chover e o mar está revoltado?

Será, por isso, que as gaivotas continuam a sobrevoar os telhados das casas e a
esconderem-se nos pátios interiores e sombrios?

Será que o mar leu o que me vai no coração e está solidário, abrindo as ondas para eu lançar a minha mensagem?

Sim, voltei a escrever uma mensagem e, a custo enfiei-a numa velha garrafa, que
encontrei, cheia de pó e triste na despensa

Não, não me quero lembrar do que escrevi –
a mensagem flutuará ao sabor do vento e da maré, até encontrar uma praia ou
se despedaçar juntamente com a garrafa nas rochas….

Mas não eu –

eu ficarei aqui, a contar os dias que faltam até ir para Barcelona, a preparar
todos aqueles pormenores inerentes a uma viagem e a trabalhar na minha
história.

A história da Ventania, que já não se lembra do seu verdadeiro nome, e da sua gata Sofia.

sábado, 29 de julho de 2006

NOITE PERFEITA

Ontem, algo incomodou as gaivotas….

Voavam em círculo, com uma rapidez alucinante, os bicos permanentemente
abertos, num grito desesperado, extremamente agudo…

Aproximaram-se perigosamente das janelas e eu recuei, sem saber muito bem o
que fazer….

Sem compreender a razão de tal desvario, porque, e apesar da ligeira brisa, a

noite estava perfeita…

Límpida, lânguida….

Como eu gosto!

Um antídoto contra uma tristeza, que nunca deveria ter deixado entrado…

Mas, quando os braços de Morfeu me reclamaram

tanto eu como as gaivotas tínhamos já sossegado….

E deixado de voar em círculo….

sexta-feira, 28 de julho de 2006

MONTJUÏC

Geralmente, gosto de ver a cidade do alto (neste caso, Montjuïc) e só depois, descer,

embrenhando-me

no mistério das avenidas,

na beleza dos parques e na subtileza dos museus............

Sentir-lhe o cheiro, procurar-lhe as cores e ler-lhe o rosto....

E, sobretudo, deixar que as minhas emoções se libertem e partam à conquista de

uma cidade

monumental, mas cheia de vida e alegria....

Refazer, recriar, repor os meus sonhos, os meus projectos, a minha vida

habituando-me novamente ao facto de estar só...

de tu estares ausente....

quinta-feira, 27 de julho de 2006

ENCONTRO COM GAUDI

Espero uma mensagem que não vem....

Algo que me diga que ainda pensas em mim....

E se me queres na tua vida...

Em vão, eu espero e o silêncio começa a oprimir-me vagarosamente...

A sufocar-me vertiginosamente,

a rir-se de mim abertamente...

E, eu...

Eu decido partir....

Para o afugentar, para o dissipar, para o quebrar................

Para me reencontrar, fazer as pazes com o meu corpo e alma...

Escolhi partir para a cidade que Gaudi marcou profundamente...

Uma nova ideia de arquitectura,

de arte, que se tornou num símbolo e é imortal...

Que os olhos bebem, o cérebro regista e a memória delicia-se.....

quarta-feira, 26 de julho de 2006

HISTÓRIAS COM ESTRELAS



Acabei por me sentar nos penhascos,

Para estar mais perto do mar, mais perto das estrelas...

E, entre os três, contamos mil histórias e inventamos mil e uma...

Mil significados demos a cada uma das letras do meu nome,

Mil virtudes, mil verdades, mil anseios e desejos e,

no entanto, cada letra do meu nome apenas significa:

M = de mar, de magia, de madrugada
A = de amor, de asas, de ar
R = de riso, de rosa cor e rosa flor
T = de ternura, de tempo, de tonalidade
A = de arte, de alegria, de ardor

E, quando a madrugada me encontrou,

já eu me preparava para saudar o Astro-Rei,

como a um Rei convém....

P.S.: A quem esteve comigo nesta noite, que histórias as estrelas lhes segredaram???
Será que nos querem contar????????

terça-feira, 25 de julho de 2006

REFÚGIO


Ontem, a aula de yoga relaxou-me a ponto de eu sentir que estava deitada na areia, em cima de uma manta, a conversar com as estrelas.

A música tocava baixinho, as palavras pareciam não fazer qualquer sentido,

mas eram tão suaves, tão delicadas,
transmitam um tal sentimento de paz

que senti a minha mente voar...

Idealizando um quadro perfeito,

que o tempo pode estragar, mas que, com dedicação, se pode restaurar....

E, sempre que se observar o quadro, bastará apenas fechar os olhos e pensar
naquele momento em que a minha mente voou e me deixou a repousar na
praia........

O meu refúgio,
o local onde me transformo em sereia
e faço piruetas complicadas.......

segunda-feira, 24 de julho de 2006

APAGAR A LUZ



Pensamos, às vezes que a luz se apaga...

Mas às vezes,
encontramos uma outra fonte de luz...

Com uma outra luminosidade, com um brilho diferente que nos cega, mas depois os olhos habituam-se e conseguem vislumbrar cores novas, dimensões reais e irreais,
um arco-íris renovado, redescobrir pinturas, refazer segredos....

Pensei em te pedir para ficares comigo esta noite...
E sei que ficarias....

Mas não seria justo, pois não?

Nem para mim nem para ti....

Por isso,

acordei hoje, sozinha, desmembrada,

porque perdemos já a sintonia que preenchia os nossos dias.

Mas o horizonte não fica longe....

domingo, 23 de julho de 2006

PARA ALÉM DO HORIZONTE

Ama, segue-me
Para lá do meu horizonte
Fala-de Amor”

Eu falei-te tanto de amor…

Porque pensei que era isso que sentíamos…

Mas tu apenas te riste e deitaste-me ao chão,

escolhendo vielas escuras para me "sacudires",
me dissuadires, para continuares a ser um "vadio"…

Hoje, a história repete-se…

Com outra pessoa, reescrevendo o amor com palavras mais sensuais,

com verdades mais exóticas,

com desejos mais livres e mais palpáveis

Mas alguém vai deixar alguém…

Alguém vai ficar com o coração estilhaçado..

Alguém vai perder o rumo;

alguém vai sentir que o mundo derrocou

novamente sobre os seus ombros…

Alguém se vai esquecer como é seguir alguém para além da linha do
horizonte……………….
P.S.: Refrão da canção "Fala-me de Amor" dos Santos e Pecadores

sábado, 22 de julho de 2006

EXPLICAÇÃO

A partir de hoje, e peço desculpa a todos, não vou permitir que haja comentários anónimos no meu blog.
Pela simples razão de que ninguém tem o direito de ofender, insultar ou divertir-se à custa de quem aqui escreve.
Já apaguei o comentário em questão e lamento profundamente que não nos respeite, não saiba aproveitar o tempo e a vida, escondendo-se no anonimato.
Brincar é saudável e fundamental, mas há limites e esses acabo de os impor.
Felizmente, todos os meus amigos identificam-se e estou certa que compreenderão a minha atitude!

sexta-feira, 21 de julho de 2006

HISTÓRIAS COM O VENTO



Com as mãos, faço uma concha

Ou será uma borboleta?

Não sei; apenas apanho a água,

com a qual refresco a minha boca sequiosa

E que, audaciosamente

depois, se escapa por entre os dedos e se infiltra no meu decote

e desce,

lenta, tão lentamente até aos seios...

Rio, olho sorrateira em volta,

para ver se testemunhas de tal acto há e continuo a andar...

Para onde?

Acho que vou ao sabor do vento...

Malcriado que

continua a brincar com a minha saia,

levantando-a para além dos limites da decência.....

quinta-feira, 20 de julho de 2006

ANDORINHAS E HISTÓRIAS



A andorinha pousou no beiral e ficou a olhar para mim, enquanto eu tomava o pequeno almoço.

Sempre solitário, sempre rápido...

Não aceitou as migalhas que lhe estendi;

nem a água fresca– apenas olhou para mim, enigmaticamente.

Pareceu-me hesitante, como se tivesse algo a dizer-me e não soubesse como...

Ou talvez quisesse que eu lhe contasse uma história,

uma história que eu sonhei contar ao meu sobrinho e

nunca pude fazer, porque ele cresceu longe de mim...

Não tive uns braços rechonchudos a enlaçarem-me as pernas

e a exigiram a minha

atenção total

e as minhas histórias – conto-as aqui...

A quem as quiser ouvir...

Até à andorinha, a quem soprei um beijo à laia de despedida...

Ela abriu as asas então e voou,

devolvendo-me um pouco a magia, que eu julgava ter perdido....

quarta-feira, 19 de julho de 2006

KIND OF MAGIC II




Ao longe, o trovão faz-se ouvir e rapidamente o relâmpago aparece, sorrindo para a lua, que se apressa a esconder por trás das nuvens...

Sobressalto-me e ponho o som mais alto,
pensando que
a voz imortal e poderosa de Freddie Mercury

me fará esquecer o que hoje, me entristeceu....

Por isso, hoje quis recolher-me aqui na minha "Torre",

Com as janelas escancaradas e as cortinas soltas

Em silêncio, à espera que a chuva caia, num desenho abstracto numa tela manchada de branco e negro.....

E a ouvir:
"One shaft of light that shows the way
No mortal man can win this day
It's a kind of magic
The bell that rings inside your mind
Is challenging the doors of time
It's a kind of magic
The waiting seems eternity
The day will dawn of sanity
Ooh ooh ooh oohIs this a kind of magic ?"


Amanhã, haverá magia no meu dia???



terça-feira, 18 de julho de 2006

KIND OF MAGIC



Não, não me chames "querida"........

Nos teus lábios, mais parece uma blasfémia, um insulto,

Porque o teu sorriso só fica nos lábios; os teus olhos zombam.........

Não, não me chames "querida".....

Nos teus lábios, não é uma "kind of magic",

não se produz a química que há entre mim e quem me quer bem...

E que se lê no toque das mãos, na leve carícia dos antebraços,

No apertar dos ombros,
no enlaçar do pescoço para me dar um abraço carinhoso,
um beijo escondido..............

Ah, sinto-me completa, mesmo que às vezes

não esteja com ele fisicamente.....................................

segunda-feira, 17 de julho de 2006

LEMBRANDO OFÉLIA



Meia a dormir, estendo o braço para pegar o copo....

Que, teimoso, tomba e rola para o chão

Vazio,

Testemunha silenciosa das minhas excursões até ao frigorífico...

E de eu ter, disfarçadamente deixado cair gotas de água,

Gelada nos pés, na tentativa vá de os arrefecer....

Mesmo a sensação de frescura do duche desaparece ao abrir a porta,

recebendo em cheio o impacto de uma frente tropical...

Que se desloca, sempre à minha frente, gozando com

O meu ar cansado, a minha pele brilhante e suada e

Os lábios entreabertos e permanentemente secos..

Lembrei-me, então de Ofélia,

A heroína romântica que enlouqueceu de amor e

norreu tragicamente,

afogada num lago, num riacho rodeada por flores......

onde desejava estar, agora,

para me refrescar, dar asas ao meu lado romântico e pensar que estou a

representar HAMLET, talvez pouco adequada ou não,

numa noite quente de Verão....

domingo, 16 de julho de 2006

VERÃO ABRASADOR

Está quente…

Mal consigo respirar e a brisa,

coscuvilheira,


que se levantou durante a madrugada


e acalmou o meu corpo inquieto e suado,


entregou-me novamente ao calor sufocante….


Que me impede, ferozmente,


contrariamente ao habitual, de me mexer, de me concentrar


E até mesmo de falar – apenas posso lutar para respirar….


Que dói…


Num fogo cerrado e cruzado…


De um Verão abrasador…………….


sábado, 15 de julho de 2006

VOO DA BORBOLETA

Perdi a sombra, o rasto do vento….

Encontro-me naquele local secreto,

De que não falo, nem mesmo a ti…

E, onde me escondo

Quando tenho que estar sozinha,

Mergulhar na tranquilidade das ondas,

Cobrir de algas e sal a minha pele…

Há dias em que temos de estar sós…

Que nos pertencem integralmente,

Em que simplesmente sonhamos

ou em que imaginamos ter outra vida, outros desejos

Mas, no final, voltamos a encontrar-nos,

plenamente nos braços de quem diz suavemente o nosso nome….

Como o voo da borboleta….

sexta-feira, 14 de julho de 2006

SEM ENTRAVES



Faço jogos de palavras com o teu nome....

Escrevo de frente para trás;

de trás para a frente...

Escondo-o em palavras complicadas,

que dilacero, fragmento depois

Para te reencontrar...

Para te amar até à loucura

Sem entraves..

Apenas nós,

sem nomes inúteis ou interditos...

apenas os nossos...

com os quais

traçamos o nosso destino...

quinta-feira, 13 de julho de 2006

SUSPIRO



Adoro a maneira como pronuncias o meu nome

Martaaaaaaaaaa

num suspiro, num sussurro que me trespassa a pele e se aloja no coração...

Doce como mel,

Quente como o dia........

Nos teus lábios, o meu nome parece não ter fim....

Quando, na ternura do teu suspiro,
encerras o que de mais íntimo tens no coração...

Escrevendo a verdade da tua paixão.....

quarta-feira, 12 de julho de 2006

TOP SECRET



Iludi-me.....

Pensei que a leve brisa, que dançou com os cortinados

e abriu caminho às gaivotas para voarem até ao mar...

com loops fantásticos e gritos estridentes de alegria....

ficaria durante a noite....

Logo uma lufada de ar quente abraçou o meu corpo,

matando a sensação de frescura

com que eu o pintei.

Porque, na hora mágica do dia, o mergulhei

Em água fresca e perfumada...

Transformando-me numa sereia, cantando

E encantando-te

Novamente

Com o ardor da paixão

Que, por ti sinto, em segredo na alma............

terça-feira, 11 de julho de 2006

LUMINOSIDADE DA NOITE



Ontem a noite estava límpida...

Sem brisa, sem nuvens e

nem mesmo a lua se atreveu a quebrar

a luminosidade que a própria noite criou...

Nem a luz acendi....

Fiquei sentada no chão a gozar e a escutar o silêncio da noite....

Na mente, volteava a frase que,

na aula de yoga, a professora repetiu...

"Todas as tentativas são sucessos" e

eu pensei em todas as minhas tentativas, nas que

deixei tornarem-se fracassos e as

que são verdadeiros, pequenos sucessos...

Se bem que nunca vá esquecer a culpa e o remorso,

que, em tempos, vandalizaram a minha vida,

aprendi a escalar montanhas...

Montanhas, que na hora mágica

em que o sol e a noite se encontram,
ficam azuis.

Onde, agora plantei cerejas,

porque descobri o verdadeiro significado da

paixão..

segunda-feira, 10 de julho de 2006

TEIA DE ARANHA



Diz um provérbio japonês que as palavras são como "uma teia de aranha".

Paciente, a aranha cruza linhas, constrói um labirinto perfeito,
que, no entanto é frágil e mortal...

Atraindo as presas, desprevenidas,

crava o veneno e assiste impávida à sua morte....

Como um punhal.....

Interrompendo o ciclo da vida....

Por instinto ou por prazer?

Para sobreviver?

Talvez nem a própria aranha saiba – apenas tece uma teia, embelezando- a..

Tal como há pessoas, que desconhecem o significado e corrompem a beleza das palavras..........

domingo, 9 de julho de 2006

POPELESS DOS GNR

Lá vai ela, sabendo que é bela………..”
(Popeless – GNR)

O facto é que eu não sei se sou bela…

Só sei que cheguei bem…
Como se tivesse regressado de uma viagem…

Longa, sombria…

em que, por vezes perdi, o rumo,

desesperei, hesitei, mas desembarquei….

Num Porto, seguro,

Que me abriu novamente os braços e me fez sonhar que

O impossível é possível conquistar…

Se sou bela ou se fiz outros sonhar…..

Não sei verdadeiramente….

Apenas estou a cantarolar a canção………………

sábado, 8 de julho de 2006

PECADO NENHUM

Não sei se encontrei o paraíso;

não sei se me
tornei uma deusa

ou continuo, simplesmente a
ser uma sereia….

Uma sereia encantada pelo teu sorriso,
mas invisível ao teu coração…

à mercê do vento,

que, malcriado e endiabrado,

hoje me levantou a saia….

revivendo a cena imortal de

Marilyn Monroe

em o “O Pecado Mora ao lado”…

Pecado nenhum cometi;
apenas insinuei e inspirei um piropo
àos velhotes, que sentados na esplanada,
usufruíam da frescura da manhã...
Não sei se foi pelo que o vento fez;
se pela minha expressão de espanto.........................

sexta-feira, 7 de julho de 2006

CÍCERO DIZ



Ontem, encontrei uma citação de Cícero sobre a amizade.

Queres que ta diga?

É fácil e resume tudo aquilo que eu penso sobre o assunto....

E, o que me dói mais é saber que me estás verdadeiramente a afastar do teu caminho....

Como se eu fosse uma estranha e quantas vezes me deixaste chorar nos teus braços?

Quantas vezes me limpaste as lágrimas e eu desabafei tudo o que me arranhava o coração?

Gostava tanto de te ajudar.........mas, discreta, subtilmente, nunca respondes.....

Continuas a fugir; a isolar-te e não me deixas entrar.............

Cícero diz:
"Parece-me que arrancam o sol deste mundo,
esses que afastam a amizade das suas vidas"
E, isso , NUNCA,
deve acontecer!

quinta-feira, 6 de julho de 2006

ABRAÇO ESPECIAL



Essa tristeza espelhada no teu rosto e no teu olhar.......

Esse teu sorriso magoado....

Não gosto nada de te ver assim....

Desorientado, desiludido, derrotado....

Porque é que insistes em te martirizar,
em tentar reconstruir o que o vendaval varreu da tua vida?

Não podemos limitar a nossa vida a isso;
às vezes, temos que bater com a porta ao
passado, principalmente se
sofres assim...

sozinho, fechado em ti,

em dores que teimas apenas guardar e não curar....

Vem cá, deixa-me dar-te um abraço....

Sabes como eu sou uma sentimental?

Tenho sempre um abraço para um amigo,
para uma criança
e para um cão.......

INTERLÚDIO


O silêncio era total.....

Até as gaivotas compreenderam a solenidade da ocasião e estavam encolhidas no seu canto, à espera de um grito eufórico que não veio...

Eu???

Deixei-me seduzir por Morfeu e adormeci....

Um sono tranquilo, feliz, sem sonhos....

Talvez tenha sido antipatriótico,
adormecer durante um jogo tão importante para Portugal...

Talvez possa, no entanto ser considerado como um elogio, pois adormeci totalmente convencida de uma vitória que
não estava escrita nas estrelas,
que ontem brilhavam intensamente........

Fiquei triste, desapontada,
mas bastante intrigada
quando a minha Mãe afirmou saber, desde o início,
que não íamos
ganhar,
pois tinha acordado naquele dia bastante mal disposta...

P.S.: Este post é, realmente um interlúdio, pois a responsável fez uma promessa solene de não falar de futebol.

quarta-feira, 5 de julho de 2006

CONTINUAR A VOAR



Inspiro profundamente e retenho o ar até que o próprio procura libertar-se, encontrando facilmente o caminho de regresso ...

Esvaziando os meus pulmões, lenta, docemente, como
uma carícia...

e eu continuo de olhos fechados....

meditando e concentrando-me
para completar o ciclo....

Juntando as palmas das mãos,

sentindo a pele,

fresca e macia ao toque, porque

a paz interior que me toca interiormente,

espalha-se e

cada poro da minha pele respira – a

E, tenho a certeza de que, tal

como o flamingo ou o beija-flor,

vou continuar a voar.....

ao meu próprio encontro
e ao teu........

terça-feira, 4 de julho de 2006

FLAMINGO



Engulo as lágrimas e seguro no pé esquerdo, erguendo a perna até ao máximo, tentando manter o equilíbrio.

O equilíbrio é importante nas aulas do Yoga e o objectivo é conhecer os limites do nosso corpo....

que, ontem não alcancei, porque me sentia esgotada

pelo turbilhão de sensações e sentimentos que cruzavam a minha alma e
feriam o meu corpo...

Não mantive, por muito tempo a posição de flamingo...

Nem o consegui visualizar, majestoso e tranquilo, apoiado numa
só perna, no meio do lago....

Só me lembrei da cor....

Rosa.......

Suave e delicado....

segunda-feira, 3 de julho de 2006

ESTÁTUAS



Diz o poema:
"
nas linhas das mãos que os deuses escrevem
os mais belos romances
"
Mas que romance é este que termina, quase sempre com uma dor aguda no coração?

E, escrito nas linhas das mãos, porquê?

Essas linhas nas palmas das minhas mãos

que eu olho incessantemente

à procura da resposta que os deuses dizem ter deixado para mim?

E se, por aqui passaste, a espuma do mar já te levou,

uma recordação mais que fica

na memória do meu tempo,
que olhar para trás não me deixa,

porque o destino poderá transformar-me numa estátua de sal!
P.S.: O poema de Maria do Rosário Pedreira "A Casa e o Cheiro dos Livros"

domingo, 2 de julho de 2006

IMORTAL

I’ve got you under my skin

Parece que o vento, que me lançou nos teus braços, ciumento, me afasta agora, violentamente, do teu caminho e,

a única sombra que vejo à minha frente é a minha!

Descrevi-o tantas vezes como o meu “amante” preferido…

Porque, tal como um amante, deixa-me aturdida, incapaz de pensar e de agir…

Mas volta sempre, seduzindo-me novamente,
dançando comigo ao som de músicas antigas, mas imortais…

Tal como ele é….

Por isso, Vento, atormenta-me e deixa-me

think of you, night and day

rodopiando

no jardim florido na Primavera,

na areia escaldante da praia no Verão,

esmagando folhas secas no Outono

ou fazendo uma serenata à chuva no Inverno.

Seja de Leste, de Este, de Norte ou de Sul…..
P.S.: Obrigada ao BFC por me lembrar de Frank Sinatra

sábado, 1 de julho de 2006

MELHORES DANÇARINAS

Em vão, esperei por uma noite perfeita…..

Uma noite estrelada,
com uma temperatura amena
para me sentar lá fora....

O único som a estilhaçar o silêncio......
os gritos estridentes das gaivotas..

Suspirar de alívio, repousar enfim….

Mas já a neblina transforma o silêncio….
Torna-se pesado, frio, cortante e fecho a janela….

Resta apenas dançar, pôr a música no máximo e imaginar a nossa própria

coreografia…

Mesmo que se esteja fora do ritmo e se desafine…

Ou então, sonhar que estamos a dançar com Mel Gibson e somos as melhores

dançarinas do mundo…..