terça-feira, 29 de dezembro de 2009

TROVADOR
























Trovador
Contador de histórias
Mágico
Poeta

Não sei
quem
tu és.



Nem porque me
deixas
tais mensagens,
escritas nas
minhas próprias
palavras.

Com uma outra
leveza,
uma outra beleza,
mas que sussurram
amor
Como as minhas..




Foto de Graça Loureiro "Eyes wide open" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WAF

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

TODOS OS DIAS



Continuo com frio
e as mãos?
As mãos
estão geladas.


Continuo sozinha,
mas hoje,
o silêncio
não é bem-vindo.


Tentei escrever
um poema alusivo
ao Natal.
Mas não consegui.
Por isso,
hoje
não vou escrever.

Vou mimar-te.
Não é uma promessa.
É uma certeza.

Foto de Nuno Sampaio "Silêncio" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O QUE É

























Nunca sei

O que é o poema

que escrevo.

O meu espelho,

a minha alma
que fala.

Por isso, é intimista.

Se as sensações,

os sentimentos

que desatam os nós

do meu pensamento

e emergem

nas palavras simples

que declamo.

Aí, torna-se sensual.

Nada mais há a dizer.



PARA TODOS UM FELIZ NATAL



Foto de Daniel Pedrogam "Divine Light" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas



quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

ESCUTA-TE




Se me queres



encontrar,



escuta-me.






Não deixarei



pistas



para seguires,



enigmas



para resolveres






Mas se me escutares



verdadeiramente



lembra-te



da letra



da minha



canção favorita.






Procura o aroma



da rosa












Encontra-o.



Impregnado em mim.



Insinuante na brisa.



Deixa que te



acolha



e escuta-te



em mim



Foto de Graça Loureiro "Poem without words" (Olhares)

Textos protegidos no IGAC - Cópias proibidas

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

MODA ANTIGA





A noite continua silenciosa
Os meus sentidos
transparentes
O meu pensamento
palpável
As próprias palavras
tornaram-se
sonhadoras,
cúmplices
Dos abraços
que
nos
partilham


Por vezes,
não entendo
esta paixão
Este desejo
que se soletra
no meu corpo
E, que tu,
à moda antiga,
cortejas








Foto de Graça Loureiro "Under the Blue Light" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

PAUSADAMENTE



Já que se fala em


"amar lentamente"


hoje faremos tudo


pausadamente.





Dissecaremos cada letra


Dançaremos com cada palavra


e reinventar-nos-emos


em frases longas.





Vasculharemos o destino


Interpelaremos a Lua,


sem intimidar as estrelas.











Será possível beijar-te


lentamente?


Declarar meus os dedos


das tuas mãos?


A pele dos teus braços?


Contornar o teu peito
e sentir-te?


Pausadamente.


De propósito


Foto de Graça Loureiro "Bliss" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

TURBILHÃO DE EMOÇÕES

Esta noite não sei
se vou adormecer sozinha.
Se te encontrarei
na minha cama
de manhã
Ou desejarei
ter ficado na tua
Com os teus dedos
entrelaçados
nos meus
E o teu olhar
a cobiçar o meu corpo
novamente
numa mensagem
discreta,
mas inconfundível.



Na tua ou na minha cama,

amar-te-ei lentamente.

Imersa

num turbilhão

de emoções

que me arrasta

e se explica

em ti......







Foto de Graça Loureiro "Podia ser como no cinema" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

domingo, 6 de dezembro de 2009

TEMPO




Tenho frio

E uma tristeza que me magoa a alma

e liberta-se na voz.



Nestas noites de tempestade

deito-me

a horas tardias.


Escondo-me

em sonhos antigos

e deixo que

o tempo desfile

à minha frente.






Não sei como o tempo

se sente.

Se irónico,

se vitorioso.

Sei como me sinto

nessas horas vazias,

em que a tempestade

tortura a noite.





Foto de Heliz "Era aos domingos" (Olhares)


Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

TROCADILHO



Assedia-me,


ciumenta,


a voz.


A voz da tua pele.


Sinto-a na minha boca.


E, a minha soa-me distante.





Creio que adormeci.


Mas não me lembro


do que me segredou.





Sinto-me diferente.


Sinto-me perfeita.











Diz-me a que soa a minha voz


quando acorda em ti.


Se a sentes também ciumenta


ou te partilha.


Se é igualmente perfeita


Ou por te soar imperfeita,


se torna única para ti.



Foto de Daniel Pedrogam "Suave como a simplicidade" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

VOZ




Hoje estou só.
O palco pertence-me.
Mas não me lembro de nada para dizer
e até tenho medo das luzes.
Por isso, escondo-me por detrás do livro
e viajo até ao Reino das Trevas.
Perco-me no enredo
e chego à mesma encruzilhada.


Não vou quebrar a minha promessa.
De não escrever sobre amores traídos.
Em monólogos carregados
de lágrimas e dores.
Nem todos os amores são traídos.
Nós somos inseparáveis
e não nos sentimos à toa...

Foto de Regiane Cristina, "The Forever Moments" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WAF