terça-feira, 29 de dezembro de 2009

TROVADOR
























Trovador
Contador de histórias
Mágico
Poeta

Não sei
quem
tu és.



Nem porque me
deixas
tais mensagens,
escritas nas
minhas próprias
palavras.

Com uma outra
leveza,
uma outra beleza,
mas que sussurram
amor
Como as minhas..




Foto de Graça Loureiro "Eyes wide open" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WAF

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

TODOS OS DIAS



Continuo com frio
e as mãos?
As mãos
estão geladas.


Continuo sozinha,
mas hoje,
o silêncio
não é bem-vindo.


Tentei escrever
um poema alusivo
ao Natal.
Mas não consegui.
Por isso,
hoje
não vou escrever.

Vou mimar-te.
Não é uma promessa.
É uma certeza.

Foto de Nuno Sampaio "Silêncio" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O QUE É

























Nunca sei

O que é o poema

que escrevo.

O meu espelho,

a minha alma
que fala.

Por isso, é intimista.

Se as sensações,

os sentimentos

que desatam os nós

do meu pensamento

e emergem

nas palavras simples

que declamo.

Aí, torna-se sensual.

Nada mais há a dizer.



PARA TODOS UM FELIZ NATAL



Foto de Daniel Pedrogam "Divine Light" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas



quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

ESCUTA-TE




Se me queres



encontrar,



escuta-me.






Não deixarei



pistas



para seguires,



enigmas



para resolveres






Mas se me escutares



verdadeiramente



lembra-te



da letra



da minha



canção favorita.






Procura o aroma



da rosa












Encontra-o.



Impregnado em mim.



Insinuante na brisa.



Deixa que te



acolha



e escuta-te



em mim



Foto de Graça Loureiro "Poem without words" (Olhares)

Textos protegidos no IGAC - Cópias proibidas

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

MODA ANTIGA





A noite continua silenciosa
Os meus sentidos
transparentes
O meu pensamento
palpável
As próprias palavras
tornaram-se
sonhadoras,
cúmplices
Dos abraços
que
nos
partilham


Por vezes,
não entendo
esta paixão
Este desejo
que se soletra
no meu corpo
E, que tu,
à moda antiga,
cortejas








Foto de Graça Loureiro "Under the Blue Light" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

PAUSADAMENTE



Já que se fala em


"amar lentamente"


hoje faremos tudo


pausadamente.





Dissecaremos cada letra


Dançaremos com cada palavra


e reinventar-nos-emos


em frases longas.





Vasculharemos o destino


Interpelaremos a Lua,


sem intimidar as estrelas.











Será possível beijar-te


lentamente?


Declarar meus os dedos


das tuas mãos?


A pele dos teus braços?


Contornar o teu peito
e sentir-te?


Pausadamente.


De propósito


Foto de Graça Loureiro "Bliss" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

TURBILHÃO DE EMOÇÕES

Esta noite não sei
se vou adormecer sozinha.
Se te encontrarei
na minha cama
de manhã
Ou desejarei
ter ficado na tua
Com os teus dedos
entrelaçados
nos meus
E o teu olhar
a cobiçar o meu corpo
novamente
numa mensagem
discreta,
mas inconfundível.



Na tua ou na minha cama,

amar-te-ei lentamente.

Imersa

num turbilhão

de emoções

que me arrasta

e se explica

em ti......







Foto de Graça Loureiro "Podia ser como no cinema" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

domingo, 6 de dezembro de 2009

TEMPO




Tenho frio

E uma tristeza que me magoa a alma

e liberta-se na voz.



Nestas noites de tempestade

deito-me

a horas tardias.


Escondo-me

em sonhos antigos

e deixo que

o tempo desfile

à minha frente.






Não sei como o tempo

se sente.

Se irónico,

se vitorioso.

Sei como me sinto

nessas horas vazias,

em que a tempestade

tortura a noite.





Foto de Heliz "Era aos domingos" (Olhares)


Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

TROCADILHO



Assedia-me,


ciumenta,


a voz.


A voz da tua pele.


Sinto-a na minha boca.


E, a minha soa-me distante.





Creio que adormeci.


Mas não me lembro


do que me segredou.





Sinto-me diferente.


Sinto-me perfeita.











Diz-me a que soa a minha voz


quando acorda em ti.


Se a sentes também ciumenta


ou te partilha.


Se é igualmente perfeita


Ou por te soar imperfeita,


se torna única para ti.



Foto de Daniel Pedrogam "Suave como a simplicidade" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

VOZ




Hoje estou só.
O palco pertence-me.
Mas não me lembro de nada para dizer
e até tenho medo das luzes.
Por isso, escondo-me por detrás do livro
e viajo até ao Reino das Trevas.
Perco-me no enredo
e chego à mesma encruzilhada.


Não vou quebrar a minha promessa.
De não escrever sobre amores traídos.
Em monólogos carregados
de lágrimas e dores.
Nem todos os amores são traídos.
Nós somos inseparáveis
e não nos sentimos à toa...

Foto de Regiane Cristina, "The Forever Moments" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WAF

sábado, 28 de novembro de 2009

ESCOLHA






Desperto-te.
Despertam-te as minhas mãos,
tatuadas pela luz ténue da madrugada.
Sente-as passar pelo teu nariz frio.
Como fogem,
marotas,
do toque da tua lingua.
Mas voltam...
Serenas.
Doces.





Como doce é o meu beijo.
Com que me entrego
às tuas mãos
impacientes,
que repreendem
as minhas.
Depois,
suavizando o toque,
beijas-as...


Foto de Daniel Pedrogam "Play me" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto colocado no WAF

terça-feira, 24 de novembro de 2009

PROMESSAS





Falar-te.

Dizer-te.



Comunicar-te,

o que as mãos,

ao resvalarem em ti,

sonham,

exigem,

retribuem.


Como, se num palco,

ao abrir da cortina,

a luz incidisse totalmente

nelas.










E, em gestos suaves,

discretos,

chamam-te.


Despem-te,

abandonam-se em ti,
lacrando segredos nas tuas.





Foto de Carlos Pereira (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

domingo, 22 de novembro de 2009

PÓ DA LUA




Não sei porque acordei.


Não sei com quem sonhei.


Nem porque me lembrei


do pó da lua.


Em que a onda do teu cheiro,


seguro de si,


do seu destino,


paira ainda.











Onde está o meu cheiro?


Por onde vagueia?


Na loucura do momento..


Marca-te também,


nesse pó da lua,


aquietando-te no meu peito.





Foto de Daniel Pedrogam "Just a Kiss" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

CHEIROS




Fico só com os cheiros.
Penetrantes, envolventes.
Fortes, poderosos,
sinais da tua ausência,
vestigios da tua presença em mim.



Hoje, não prometo nada.
Nem mesmo um sorriso.
Deixo fluir o tempo,
a vontade.
De te voltar a ter.
O teu cheiro,
novamente,
espelhado em mim.


Foto: Desconheço o autor. Recebida pelo HI5
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

domingo, 15 de novembro de 2009

IMAGEM





Não posso falar sobre a minha imagem.

Não posso dizer o que vê o teu olhar.

Posso repetir o que sinto,

quando me abraço ao silêncio da tua pele,

quando deixo

que o meu pensamento se emaranhe em ti.










Não sou inimiga do tempo.

Tenho pena,

às vezes,

que não haja tempo.

Para falar

ainda mais

sobre o prazer.

Esse prazer

que tem tudo

a ver contigo.

Com o teu pestanejar de olhos.

Com o meu riso feliz.







Foto de Graça Loureiro "In.a.Blink.of.An.Eye" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

LONGOS




Fecha-te à noite e vem.

Vem pelos longos e sinuosos caminhos

que atravessam o meu peito nu,

já perdido de desejos.

Não me sinto nua ou solitária,

pois nada há a dizer

quando te projectas em mim

com a cumplicidade do teu olhar.





Um beijo escaldante.

Um sorriso lento.

Um dedo que

continua a percorrer os lábios.

Carícias,

que as palavras não descrevem.

Amor,

sinto-as apenas

ocultas na pele




Foto de Daniel Pedrogam "Sinto-te no infinito" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

domingo, 8 de novembro de 2009

LUCIDEZ


Não sei, amor,
o que queria escrever.
Queria ser ousada,
escandalizar-te até.
Mas eis que sinto o maldito rubor,
nada cativante,
a amanhecer em mim.
Fico parada,
como que abraçada
ao meu próprio corpo,
que sinto gelado.




As tuas mãos em mim..
Fascinam-me.
Gemo quando as revejo nas minhas.
Vibro quando me perseguem
na minha nudez mais secreta.
Não sei se perdi a lucidez, amor.
Desenvegonho-me em ti.
No oculto prazer de amar.

Foto de ABrito "Coração Espelhado" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

ONDE QUISERES




Se me beijasses agora?

Neste momento, em que a noite parece

indecisa,

insegura com a vinda da chuva?


Beijar-te-ia também.

Relaxaria todo o meu corpo contra o teu.

Confessaria todas as minhas vontadas na tua pele..

Enroscar-me-ia e apagaria a luz,

quando a chuva nascesse.



Afagam-me as tuas mãos bem abertas,

respiram contra a minha pele,

provocam-na.

O teu prazer transpira no meu e eu peço-te,

baixinho,

tão baixinho que duvidas.

Beija-me,
onde quiseres.

Na boca,
no corpo.

Onde quiseres.





Foto de Daniel Pedrogam, "O Canto dos Cisnes" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

Texto colocado no WAF

sábado, 31 de outubro de 2009

ABRIGO




Esta noite, a chuva volta

a pedir-me abrigo.

Mas, eu, endiabrada, abro a porta

e sou eu, quem nela,

encontra abrigo.

Num desabafo,

Numa inspiração.

Num nomento criativo.

Deixando que o Vento me roube.









O que me rouba o Vento?

Palavras?

Emoções?

Sentimentos?

Nada.

Namora-me.

Dorme em mim.

Depois, solta-me.

Num poema único,

secreto.



Foto de Graça Loureiro "Let your heart beat again" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

terça-feira, 27 de outubro de 2009

POR ENTRE OS DEDOS



O desejo ainda fala.
Esfomeado,
intenso,
escapa-se-me
por entre os dedos,
e cobiça-te.
Traz-te até à minha cama.
Onde te amo livremente.
Onde gosto de te amar.
Sem sombras,
sem banalidades.
Apenas isso: amar-te.



Sucumbo.
Ao Vento.
Sem medo.
Porque me sinto inteira.
Nego-lhe,
no entanto,
o teu beijo,
o teu toque.
Sou ciumenta.


Foto de Graça Loureiro, "Sleeping Beauty" (Olhares.Com)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

sábado, 24 de outubro de 2009

BOCA



A verdade???
Diz-me
porque achas a minha boca sensual.

Se a queres beijar.
Não o imagines somente.

Fá-lo.
Demoradamente.

Toca-a com os teus lábios.
Abre os meus.
E delicia-te com a textura.

Entrelaça-a na tua.
Vive-a.
Torna-a parte de ti.

Não penses.
Repete-o.







Beijo-te na boca.
Percorro-te.

Respondo às insinuações da tua.
Tomo-lhe o gosto.
Liberto o meu.

Num grito,
sente-se como o coração
acelera.
Como as mãos correm
desenfreadamente.




Desconheço o autor da foto - recebida por mail (HI5)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

BRAMIDO DO MAR



Adoro seduzir-te,
e encantar a noite.
Esta noite,
confundo-te.
Deixo-te completamente só.
Apenas as velas estão acesas
e a lingerie espalhada pelo chão.
Num cenário,
em nada exagerado.
Muito banal, até.
Mas porque não estou aqui,
nua em frente à lareira,
com um copo de vinho na mão?

Onde estou?
A sentir a fúria do mar.
Não o vejo da janela do quarto.
Cheiro-o,
no entanto.
Um cheiro forte,
a algas e a espuma,
cinzenta e cerrada.
Hoje, quero que me ames,
ouvindo, ao longe,
o bramido do mar.



Foto de Negateven "When my arms wrap around you" (Olhares)
Texto protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas


domingo, 18 de outubro de 2009

LOUCAMENTE



Ama-me loucamente.
Revive-me em sonhos esquecidos.
Recria-me em todos os momentos.
Em sorrisos involuntários,
que apregoam
a vontade de cederes à tentação.
De vestires o corpo de prazer
e deixares que a alma se apaixone
febrilmente.
Torna a noite inesquecível.
Que, no meu corpo,
fique apenas o riso.
Que no calor do teu corpo,
fique à mercê
dos suspiros e dos sussurros
Por entre a prata e o dourado da noite,
siga caminho por entre o desejo.

Foto de Graça Loureiro, "Cou_Cou" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

ASSIM






Hoje não consegui escrever.

Nem quis pensar em ti.

Inevitável pensar em ti,

e ter saudades tuas.

Nunca a consegui definir,

- a saudade -.

E, às vezes, acho que é

só isso que sinto.

Que sei sentir.

Que escolho sentir.




Não é fácil descrever-me assim.

Mas quem me pode censurar,

se me repito?

Tenho saudades tuas.

E não te falo sobre elas.






Imagem "Luz Ténue" cedida pela Renata (Desconheço o autor)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

terça-feira, 13 de outubro de 2009

PALAVRAS PROIBIDAS



Amei-te esta noite.



Em sonhos,


com palavras proibidas.





Nunca as escrevi.

Nunca as disse.




Disse-as hoje.


Ao teu ouvido.





Fiquei confusa.


Envergonhada.


Pronta a fugir.





Mas tu disseste-as também.


Ao meu ouvido.





Soube, então, que,


entre nós, nem as


palavras estão proibidas.



Foto de Virginia Pinhão "Goodnight, honey" (Olhares.Com)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

Texto já colocado no WAF




domingo, 11 de outubro de 2009

MIMA-ME


Hoje quero que me mimes.

E me beijes o corpo.



Quero ouvir-te a invadir-me.



Hoje, quero adormecer contigo.

E não com o silêncio do quarto.



Ou despir-me na presença da brisa.



Ter vergonha do meu reflexo no espelho.

Não me sentir gloriosa.







Há muito que não te escrevo.



Uma carta de amor, com palavras

e expressões corriqueiras.



Não, escrevo-te sobre beijos

escaldantes em corpos nus,

reflectidos no espelho.



Sobre como esquecer o tempo,

que as circunstâncias limitam.


E gastá-lo inteiramente em ti.

Foto de Daniel Pedrogam "I need the heat of your body" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WAF

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

EMBELEZAR EM TI




Tudo a que tenho direito.

São sonhos tranquilos.

Memórias cheias de luz.



Plumas, lantejoulas.

Brilhos, glamour.

Uma noite de lua cheia.



Uma noite de amor.

Uma noite de loucura.

Uma noite de troca de olhares.









Nada de extravagante te peço.

Acaricia-me.

Demora-te no toque.



No umbigo...

Descansa.

Respira.

Não te apresses.



Entrega-te a mim.

Deixa que te acaricie.



Deixa embelezar-me em ti.







Foto de Helder Mendes (Olhares.Com)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

ABSURDA





Gostava de ser totalmente absurda.
Se é que sei o que significa ser absurda.
Mais um rotulo - que importa?
Talvez deixe de pensar tanto e,
possa rir na cara
de quem me rotulou.






Adoro ser absurda.
Apreciar uma rosa
e sentir-lhe a alma.
Contar-lhe uma história.
Ou melhor,
escrever-lhe uma.
Descrever o aveludado da pétala
e pensar, enfim
que a minha pele é ainda suave
e tu gostas de a acariciar.





"The Pink Rose" Charles Amable Lenoir
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WORLD ART FRIENDS

domingo, 4 de outubro de 2009

CONTRADIÇÃO



Escondo-me.
Do meu reflexo.
Da tristeza que
insiste em escurecer os meus dias.

Fujo.
Do meu próprio retrato.
Mas não de mim.

Uma contradição,
eu sei.
Mas sempre
uma viagem alucinante.





Sempre que viajo em mim,
levo-te no coração.

Penso em ti,
mas não te procuro.
Atravesso um deserto,
mas não te provoco.
Não te escondo as minhas dúvidas, mas
sei quando não me escutas.


E, então,
parto sozinha.


Foto: Desconheço o autor - enviada por mail
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WAF

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O SENTIR DO VENTO



Gosto de sentir o vento


quando te seduzo.





Fechar os olhos


e sentir como as mãos


- as tuas -


falam com as minhas.





Entre carícias,


- cada vez mais exigentes -


Respostas mais intensas,


mais urgentes.


Não sei como rimam com o vento.


Esse vento forte que sopra em nós


- separa-nos -


e, empurra-nos outra vez


para dentro da paixão.











Tantas vezes to confessei.


Mais uma vez o digo:


gosto de te sentir em mim.


Sentir os teus lábios a tatuarem-me.


Reler-te quando te toco


nas minhas mãos


Foto de Luna "Este rio onde me quero" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

OLHARES (variações sobre a mesma palavra)

Deixa-me falar de olhares.
O de sedução,
O trocista
e o avarento.

Ris-te???

Porquê???
Se não me olhas nos olhos,
(repito-me???)
Se não me vês com a alma,
Como me podes falar
sobre a loucura do amor?


És avarento
e troças de mim,
Porque nada queres de mim.

Nem mesmo amar-me.





Deixa-me falar de olhares.
O apaixonado.
O ardente.
O de sedução.



O apaixonado
Quando te olhas em mim.
O de sedução
Quando te descobres em mim
O ardente
Quando te fundes em mim.




Foto de Angelica, "Natural" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

Textos já colocados no WAF