quinta-feira, 19 de novembro de 2009

CHEIROS




Fico só com os cheiros.
Penetrantes, envolventes.
Fortes, poderosos,
sinais da tua ausência,
vestigios da tua presença em mim.



Hoje, não prometo nada.
Nem mesmo um sorriso.
Deixo fluir o tempo,
a vontade.
De te voltar a ter.
O teu cheiro,
novamente,
espelhado em mim.


Foto: Desconheço o autor. Recebida pelo HI5
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

8 comentários:

Vieira Calado disse...

Pronto!

Prometo não copiar!...

Cumprimentos meus

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Amiga!
Memória olfativa muito lindo
Beijos

A. Pinto Correia disse...

e esta é uma escrita espelhada, sim. céus, como foi que eu perdi o norte? sempre adorei o teu espaço, mas andei demasiado tempo afastado destas andanças..
foi bom voltar a encontrar-te.

Spectrum disse...

desculpa, este é que é o meu endereço

Graça disse...

Porque no amor, jogam todos os sentidos... lindo, Marta.


Um beijo de bom fim de semana

. intemporal . disse...

. hoje, sou a inércia inerte . na levitação de um franzir de dedos tarsos na ida .

. à espera do [teu] regresso .

. a ser tempo no cheiro que é espaço . onde me amasso . lasso .


. um beijo infinito .




. paulo .

Patrícia disse...

O cheiro é um dos sentidos do ser humano que possui uma capacidade extraordinária. Não no seu significado primitivo mas pelas metáforas que dele advem. Poema muito bom.

Desafio no "Poder da Ironia" . Espero que acertes.

Beijinhos Marta=)
Patrícia

Secreta disse...

Sem promessas...sempre.