quarta-feira, 11 de novembro de 2009

LONGOS




Fecha-te à noite e vem.

Vem pelos longos e sinuosos caminhos

que atravessam o meu peito nu,

já perdido de desejos.

Não me sinto nua ou solitária,

pois nada há a dizer

quando te projectas em mim

com a cumplicidade do teu olhar.





Um beijo escaldante.

Um sorriso lento.

Um dedo que

continua a percorrer os lábios.

Carícias,

que as palavras não descrevem.

Amor,

sinto-as apenas

ocultas na pele




Foto de Daniel Pedrogam "Sinto-te no infinito" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

8 comentários:

uminuto disse...

palavras ocultas que deixam florir o amor numa noite de prazer
um beijo

Carmem L Vilanova disse...

Lindas inspiracoes... :o)
Adorei, como sempre... :o)
Fico feliz que tenhas gostado das fotos da Irlanda... eu ca' nao estou a gostar muito desta mistura "vento-chuva-frio" que esta' a deixar-nos muito saudosos de um friozinho seco! :o)
E' a vida! :o)

Beijos, flores e meus eternos sorriso!

Eu Sei Que Vou Te Amar
Viver integral

Nuno de Sousa disse...

Magnifico e quente... belo momento com um belo jogo de palavras... adorei.
Bjs

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Carícias ocultas que fazem aflorar o amor. Não há palavras mesmo.
Gostei muito, Marta
Beijos,
Renata

José Rui Fernandes disse...

Há um repto erótico nas palavras...
Lindo de ler... quase viver!

Fragmentos Betty Martins disse...

.________querida Marta







.

o que as palavras
d.escrevem

_______em carícias



tatuando



.o


coração


no sentir______escaldante



que



.o amor faz arder_____...




...





lindo!







____________///









beijO_______ternO
b.f.semana

Peter disse...

O que aprecio na tua poesia e transparece nas palavras é a ternura do amor, expressa num tom intimista.

Que tenhas um bom domingo.

. intemporal . disse...

. espero.TE,,, na lonjura dos equinóceos .

. sete sois . sete luas .

. almas nuas . nós .

. um beijo sempre .

. uma boa semana .






. paulo .