domingo, 30 de janeiro de 2005

SINTO-ME FEIA

Não encontrei uma garrafa com um pedaço de papel amarelado, com uma mensagem de amor ou coragem escrita com ardor, com paixão!
Apenas ouço os gritos das gaivotas e ao longe, as queixas do mar!
Hoje sinto-me feia!
Muito feia, mesmo – até porque parece que aquela ruga irritante se instalou de vez no meu rosto!

Sinto-me desiludida, zangada
comigo mesmo, porque continuo esta romântica incurável!
Valorizei demais a amizade que tinha por ele; confiei demais nele e agora sinto-me traída!
Está a doer-me mais do que quando terminei a minha relação!
Porque não estamos a falar de algo recente!
São anos de convivência, de segredos e planos partilhados!
Que faço - fico calada ou faço uma cena dramática, para expulsar esta raiva que me gela, me impede de soltar estas palavras violentas. estranguladas, mastigadas?
Talvez esteja na altura de eu bater os pés e fazer uma cena digna de Nicole Kidman!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2005

O QUE DEVO OU NÃO

Tão mal me conheces e queres tu dar-me lições de comportamento?
O meu silêncio enerva-te?
Lamento dizer-to, mas o problema é teu - nunca me soubeste cativar!
Nunca procuraste saber quem eu sou na realidade, nunca tentaste compreender a essência do meu ser!
Continuas a falar demais, alto demais, depressa demais - não pensas, não ponderas e magoas profundamente!
Talvez gostasses de ditar as regras ao mundo e às pessoas, mas nem o mundo nem as pessoas te pertencem para que as moldes tal como queres.
Como o escritor que escreve um primeiro rascunho, depois lê, corta as partes que acha que não são essenciais para a história e só então, cria o livro!
Com essa atitude, apenas me afastas mais; foi o que fiz durante anos, porque queria "fugir" da rigidez imposta da minha mãe!
Porque, tal como tu, a minha mãe queria que eu fosse outra pessoa.
Mas eu não sou - eu sou eu, a Marta.
Sabes que é por isso que o blog se chama amartaeeu?
Não, não sabes, porque nem sequer sabes que ele existe e a razão porque existe!
Por isso, não venhas dizer o que devo ou não fazer!!!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2005

MARISCADA

Havia 3 coisas que o meu pai gostava de fazer:
ver filmes de cowboys, ir ao circo e uma mariscada.
Enquanto fomos pequenas, vimos todos circos possíveis e imaginários e não perdíamos uma história de cowboys, sempre à espera do duelo final, em que o cowboy, defensor dos oprimidos, saca da pistola, aponta ao coração e mata com um tiro certeiro o mau da fita, quase sempre vestido de preto e com um grande bigode.

Quanto à mariscada, era sempre especial - para comemorar as boas notas, o regresso da "minha filha do meio, que está a viver em Londres", os nossos aniversários!

Como esquecer?
as torradas com a manteiga a pingar,
os camarões como aperitivo e que "atacávamos" com gosto, enquanto preparavámos o estômago para o prato principal, geralmente uma santola
Nem me quero lembrar, porque há anos que deixámos de lá ir - àquele restaurante em Matosinhos, na esquina daquela rua!
Creio que o pai também já não se lembra - está velho, está cansado e com problemas de audição!

Mas eu lembro - me e talvez, quem sabe?, possa conversar com ele sobre isso e fazê-lo rir!

Há dias em que não consigo nada - conversar ou rir com ele!
Há dias em que lamento não ter saído de casa, mas agora, neste momento, seria uma crueldade deixá-los sós!

AMOR COMO O PRIMEIRO

Podes dizer a quem passa, vento que vou continuar a trabalhar neste blog.
"Não há luar como o de Janeiro
nem amor como o primeiro" - diz a canção popular
e foi aqui que escrevi sobre os meus amores, os meus fracassos e desilusões, mas também sobre o que me fez vibrar e rir!
Atravessei desertos, escalei montanhas, lutei contra monstros, mas sempre que dei um clik no rato, alguém respondeu-me.
Aprendi muita coisa, descobri muito mais, encontrando um lugar, o meu lugar no mundo!
Como um médico me disse, quando desesperada o procurei "O que não faltam por aí são lugares bonitos para vaguear - o corpo e a mente".
Não é que ele tinha razão???

terça-feira, 25 de janeiro de 2005

MEDITAÇÃO

Hoje, acordei revoltada com o mundo!
Lidar com pessoas idosas não é tarefa fácil, pois ofendem-se facilmente e às vezes, tenho vontade de dar dois gritos para combater a frustação!
Mas não é sobre isso que vou falar - vejo que não promovi como devia o meu novo blog!
Talvez pensem que o concebi para preencher alguna lacuna, mas a verdade é outra!
Neste momento, não tenho qualquer lacuna a preencher e é uma sensação muito estranha, pois sempre tive a impressão de que havia algo de errado, de vazio na minha vida.
Ou eram os outros que pensavam e eu deixei que isso me influenciasse?
Não sei!
Talvez a resposta esteja no endereço que escolhi para o meu novo blog - escrever com amor!
Talvez seja porque encontrei beleza; talvez porque aprendi a ler nas entrelinhas, a seleccionar o que verdadeiramente me dá prazer para recordar quando acho que perdi a "jogada"!
A verdade é que o meu novo blog fala dum novo tipo de beleza - a poesia e sinto-me mais "rica", mais poderosa, porque perdi o medo!
Ah, sim - eu desconhecia este mundo, este espaço e vejam só o que consegui.
São mais os dias que passo ao sol do que escondida no nevoeiro!
O endereço do meu novo blog?
Aguardo a vossa visita - a casa é vossa!

domingo, 23 de janeiro de 2005

VEZES SEM CONTA

Às vezes, sinto-me como a “Alice no País das Maravilhas”.
Lá vai ela falar de histórias para crianças, pensam!
Talvez eu vos queira convidar a passar para o outro lado do espelho, a acompanhar apenas, e apenas isso, os passos da doce e ingénua Alice ! Ou partilhar comigo a tranquilidade deste domingo, num
encontro com os livros!
Os livros que são para serem “vividos” e não objecto de decoração!
Os livros que nos proporcionam horas agradáveis, nunca desperdiçadas, sentados no chão, com os dedos a acariciarem a capa, os olhos a relerem uma determinada frase ou capítulo.
Livros que dão pistas sobre a pessoa que os comprou;
que estão ali porque alguém os quis ler, mergulhar no enredo, dissecar as razões, perceber as armadilhas.
Livros de ficção, históricos, policiais, de terror, etc – de tudo um pouco!
Como a vida, mensagens de boa vontade, nem sempre entendidas!
Ou garrafas que alguém lançou ao mar, à espera que leiam a mensagem que ali deixou!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2005

COMPENSAÇÕES

Eu, mascarar-me? Ainda por cima, de bailarina!!
Claro que achei que podia ser bailarina - em criança queremos ser tudo e muitas vezes, acabamos por ser aquilo que podemos ser.
Eu tive sorte - adoro línguas e fiz disso a minha vida!
No fundo, acaba por ser também uma forma de usar uma máscara - fingir que não somos portugueses, ser turistas no nosso próprio País, fugir à realidade.
Sei do que falo - porque quis fingir ser alguém diferente; achei que o mundo seria diferente se eu fosse diferente.
Mas eu não preciso de fazer nada disso; há sempre compensações - não fui bailarina, mas falo línguas correctamente e passo facilmente por uma "deles".
Não casei nem tive os 7 filhos que tanto desejava e tanto escandalizou as minhas irmãs.
Mas tenho um sobrinho!
Não vivo numa casa com jardim e com piscina.
Vivo num andar, que até está a precisar de algumas obras, mas é a única casa que conheço.
Não guio e por isso, partilho o autocarro com centenas de pessoas, sujeita a apertos, ao mau cheiro e aos atrasos.
Mas conheço algumas pessoas, com quem converso, nem que seja de banalidades.
Por isso, não me vou fantasiar no Carnaval.
O Carnaval é mais uma festa para as crianças e sei que vou adorar vê-las passar, fantasiadas, a deitar serpentinas, confettis, com pistolas de água e a rirem.
Felizes, contentes, animadas, sem preocupações - como todas as crianças devem ser!!!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2005

TERMINADO

Já que não posso ir para o "gozo" contigo, empresta-me um CD.
É que eu adoro cantar e dançar aos sábados de manhã enquanto lavo a casa de banho.
É quando a casa está deserta, pertence-me por completo e eu dou largas à minha imaginação.
Depois, a privacidade acaba-se e eu procuro outros locais de interesse para estar - como ir até ao café e estar horas a conversar contigo, por exemplo.
Logo este fim de semana, em que dou por terminado o "meu luto", é que tens que ir para fora.
Em negócios!
O que quero dizer por "luto"?
Quando andamos à deriva, mas ninguém nos pode ajudar, porque só nós é que podemos tomar a decisão!
Toda a gente me diz que temos que passar por estes períodos de luto para avançarmos para a próxima etapa.
E têm razão - aprendi muita coisa durante esses períodos, que são necessários para o nosso equilíbrio.
Há muita gente que não o faz e vive amargurada!
Em negócios ou prazer - não te magoes!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2005

SAPATOS COM TACÃO, MAQUILHAGEM E ETC

Coisas estranhas que nos lembramos da infância!
Como o facto da nossa mãe nos chamar pelo nome completo (no meu caso, Marta Maria) e isso era sinal de que algo estava mal, muito mal mesmo. Como se diz vulgarmente, "o caldo está entornado".
Ou beber água chalada, quando se está doente!
Ou sentir o cheiro a lavado dos lençóis!
Ou a vaidade que se desenhava no rosto quando estreávamos uma roupa nova! E os cuidados que tínhamos para não nos sujarmos!
E os primeiros sapatos com tacão?
A euforia que foi receber o 1º estojo de maquilhagem e tornar-nos uns verdadeiros palhaços
.
Bons tempos!
Agora estou mais discreta e uso sapatos raros para caminhar à vontade!
Há umas pequenas rugas, aqui e ali e fiquei muito surpreendida com a quantidade de brancas que apareceram de repente no meu cabelo.
Talvez deva enviar a conta do cabeleireiro a uma determinada pessoa, que me causou tantos problemas!!!
Sem contar com as insónias, o sentimento de culpa e remorsos!!!
Não...eu pago e escolho o que quero fazer!!!

terça-feira, 18 de janeiro de 2005

SEM TÍTULO

Ontem, fui à procura da tal música "erudita" de que falei.
Só que encontrei vários CD's de música do Tom Jobim na FNAC e como tinha tempo e pouco sei sobre ele, resolvi ficar ali a ler e a escutar o que estava disponível.
Acabei por ouvir versões diferentes das mesmas músicas, mas não há qualquer dúvida que a minha favorita é a "ÁGUAS DE MARÇO" e cantada pelo próprio e pela Ellis Regina, dois "monstros sagrados" da música brasileira, já desaparecidos, mas que ainda hoje são uma referência para jovens músicos.
Esta canção falou-me sobretudo em esperança!
Fala na "luz da manhã", "na promessa de vida no coração", mesmo que se esteja no "fim do caminho".
Esperança em tudo - em nós, neste país que está completamente às avessas e perdido num mundo altamente competitivo, porque não sabe gerir e defender os seus interesses.
Eu não estou no "fim do caminho"; estou no "meio" - posso ainda competir, gerir e defender os meus interesses e os do meu País!
Resta saber se isso vai ser possível! Se encontraremos as pessoas certas para os lugares em aberto!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2005

ESTE SILÊNCIO

Ah, novamente este silêncio!!!!
Este silêncio que me abafa, me atrofia!
Este silêncio é tão diferente do que o que me rodeia quando subo à minha montanha azul.
Ou quando entro numa Igreja para conversar com Deus.
Silêncio pesado, cheio de dor, frustração, desânimo e sobretudo, de medo!
Silêncio cheio de perguntas, perguntas que não atrevemos a fazer, porque não vamos gostar das respostas!
E eu que sofri tanto com os teus silêncios, porque ansiava ouvir dizer que me amavas, choro agora, porque estou mesmo perdida!
A decisão não é só minha; é dum grupo e quando não há consenso, quando há uma ruptura no grupo...
Vou procurar uma igreja, para me sentar e conversar com Deus.
Espero que alguém esteja a ensaiar um concerto de música sacra, erudita para que a minha alma fique em Paz!
Pelo menos, por agora!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2005

O AMANTE FAVORITO

O vento, gélido, cortante fez-me hesitar, mas não podia voltar atrás.
Um dia normal de trabalho e nem as luvas aqueciam as mãos.
Mal as podia mexer e a dor era intensa!
Oh, sim, desta vez fiquei zangada contigo - tinhas que ser assim tão gelado? E, além disso, agora dás ouvidos a rumores?
Porque são rumores - eu não pertenço ao Jet Set!
Sou uma pessoa normal, com o seu emprego, os seus interesses, os seus amigos e a verdade é esta - preciso mesmo do dinheiro para assegurar o dia a dia e viver honestamente, com liberdade!
Com liberdade, porque, embora me prive dalgumas coisas que não considero essenciais, não peço nada a ninguém!
Posso dizer-te, se estás interessado, que sou filha de alguém, que é uma senhora, no verdadeiro sentido da palavra e que me ensinou a respeitar os outros.
Pena ter-se esquecido de dizer que é também importante haver auto estima, o que me deixou vulnerável e presa fácil a um jogo vil de sedução.
Foi interessante a viagem que fiz, tal como o livro de Júlio Verne, ao centro do meu ser, descobrir coisas que nem sabia que existiam dentro de mim e arrumei vários "esqueletos"!
Tal como a Cecília Meireles diz, o vento, o sol, a lua, o mar são constantes e conhecendo-me tão bem como me conheces, ouves rumores de pessoas que nunca se sentaram à mesa comigo e falam sobre o que não sabem?
Mas tu já, oh vento, pois não és tu o meu amante favorito?

quarta-feira, 12 de janeiro de 2005

RELAXAR

Que bom seria ir contigo para o "gozo"!
Almoçar naquela estalagem acolhedora ao pé do rio, de que falas tanto!
Só que nos sentaríamos na sala com a lareira acesa, a discutir calmamente o menu!
Podíamos conversar sobre as nossas vidas ou sussurrar apenas segredos!
Relaxar, saborear uma boa refeição, rir com alguém que está atento às minhas mudanças de humor!
Enfim, uma pausa, um momento para esquecer este labirinto complexo que dá pelo nome de relações humanas!
Uma crítica - podemos sempre aceitar se for positiva, se nos ajudar a corrigir, a reforçar as nossas defesas.
Qual é o prazer em nos fazer sentir derrotadas?
Isso - posso garantir - foi coisa que nunca me fizeste sentir!!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2005

LIMPAR AS TEIAS DE ARANHA

Domingo - frio, mas com o céu limpo de nuvens!
O dia perfeito para descansar, sentarmo-nos no sofá com uma manta a cobrir os joelhos e abrir o livro, que está no momento final, no momento mais excitante!!!

Tudo preparado para passar uma tarde sem stress, sem preocupações, esquecer que no dia seguinte tudo volta à rotina!
Mas eis que alguém, desesperado, irrompe num choro amargo, sem razão. Porquê?

É alguém que não está a aceitar a velhice, as limitações que começam a aparecer, que acha que tudo acabou e nada mais a prende aqui.
Quis estender-lhe a mão, tentar explicar que não está só, mas mais uma vez, a porta fechou-se!

Senti a raiva tomar conta de mim e saí para o frio daquele dia que eu pensava gozar em sossego, embrenhando-me a fundo na aventura do meu livro.
Quando acalmei, estava no café da FNAC, sentada com um livro de poesia na mão.

Livro esse que não consegui abrir e portanto, limitei-me a ficar ali a olhar as pessoas que folheavam livros, escolhiam CD's, discutiam temas calmamente.
Pessoas que estavam a gozar o seu dia de descanso, sem problemas.

Ou teriam problemas e fizeram o mesmo que eu?
Um passeio para limpar as teias de aranha?

domingo, 9 de janeiro de 2005

HÁ OU NÃO SORRISOS

Estás aí, Mercúrio?
Que fazes tu aqui, qual é a mensagem que me trazes dos Deuses do Olimpo desta vez?
Os primeiros dias dum novo ano nem sempre são fáceis, sabes, e os meus ficaram marcados pela desilusão.
Culpa minha, dirás e talvez tenhas razão, mas não vale a pena perder mais tempo a analisar razões de factos que se transformaram em passado.
Talvez tenha sido por isso que resolvi conceber um novo blog – abrir a minha VIDA a um género de literatura, que sempre achei que nada tinha a ver comigo e afinal, até tem.
Quero, portanto descobrir se a Florbela Espanca tem razão quando diz que:

Versos!Versos! Sei lá o que são versos….
Pedaços de sorriso, branca espuma,…”

sexta-feira, 7 de janeiro de 2005

UM NOVO PROJECTO

Será que algum fantasma do teu passado voltou a infiltrar-se na tua vida e é essa a razão do teu ar desanimado?
Porque é que me manténs à distância?

Porque é que não falas comigo?
Sabes como isso me desorienta e faz com que fique a imaginar que te fiz qualquer coisa e tu não sabes como mo dizer!
Ou talvez seja a "ressaca" das festas e tenhas que analisar tudo o que ficou por resolver para enfrentar novamente, com força, com vigor o novo ano, que é um perfeito ponto de interrogação.

Mas porque é que não mo dizes?
Eu já passei por isso e gostaria de te ajudar.
Estás a desiludir-me, a fechar-me da tua vida e a fazer-me sofrer!
Talvez tenhas que dar uma reviravolta nessa tua vida, talvez seja essa tua solidão "forçada" que te esteja a remoer!
Eu tenho um novo projecto para canalizar a minha energia e reforçar os laços que já estabeleci.
Vou lançar um novo blog - para escrever com e sobre o amor!!! Porque é que não escreves comigo??

quinta-feira, 6 de janeiro de 2005

NUM SORRISO

Diz Vinicius de Morais "A maior solidão é a do ser que não ama".
Porque nunca aprendeu a sorrir!
Porque nunca aprendeu a viver, a afirmar-se como pessoa e vive à sombra dos outros.
Torna-se numa cobra venenosa, capaz de corromper a vida dos outros, porque a sua é vazia.
Acho que o sorriso é importante, porque:
ilumina, veste, enquadra o rosto!
Uma das personagens do livro que estou a ler, uma criança, desconfia de pessoas que não têm rugas de expressão.
Eu acho que com um sorriso sincero consegue-se tudo!
Mas tem que vir do coração, tem que ser dado com prazer, porque todos nós já recebemos sorrisos irónicos, hipócritas!
É o que recebo mais no meu dia a dia, mas não devemos valorizar e aceitar as coisas na desportiva.
Só que às vezes é difícil e como tentamos ser fieis à nós próprias, chamam-nos "importantes".

terça-feira, 4 de janeiro de 2005

SEDUZIR OU SER SEDUZIDO

Vi-te noutro dia, a atravessar a rua, tranquilo, como se o mundo te pertencesse!
Ainda abri a boca para te chamar, mas depois lembrei-me da tua arrogância da última vez que nos encontramos e apressei-me a atravessar também olhando sempre em frente.
Como alguém me disse, "às vezes, temos que bater a porta a uma relação que não tem futuro" e nós nada tínhamos em comum!
Tu és um sedutor - tenho a certeza que poucas mulheres são capazes de resistir ao teu charme - mas há vários tipos de sedução!
Julgo eu - porque sabes, eu penso; tenho um defeito (leio muitas vezes nas atitudes das pessoas coisas que lá não estão), mas penso.
Há o sedutor que seduz uma mulher, porque realmente está interessado nela como mulher e como pessoa. Respeita-a, quer essa mulher como companheira e mãe dos filhos e há aquele sedutor, que pensa que é irresistível e não passa dum frustado.
É essa a razão porque muitas vezes me refugio nas minhas montanhas e tal como uma criança, com lápis de cera, pinto-as!
Ou deambulo pelas lojas, à procura dum frasco de cristal, dum cartão especial e me perco nas livrarias a folhear livros!
Cada um é feliz à sua maneira - procura-a, explora-a e quem não compreender, quem não aceitar que há uma parte em mim que só a mim me pertence, então tenho mesmo que bater com a porta e não o deixar entrar!