domingo, 23 de janeiro de 2005

VEZES SEM CONTA

Às vezes, sinto-me como a “Alice no País das Maravilhas”.
Lá vai ela falar de histórias para crianças, pensam!
Talvez eu vos queira convidar a passar para o outro lado do espelho, a acompanhar apenas, e apenas isso, os passos da doce e ingénua Alice ! Ou partilhar comigo a tranquilidade deste domingo, num
encontro com os livros!
Os livros que são para serem “vividos” e não objecto de decoração!
Os livros que nos proporcionam horas agradáveis, nunca desperdiçadas, sentados no chão, com os dedos a acariciarem a capa, os olhos a relerem uma determinada frase ou capítulo.
Livros que dão pistas sobre a pessoa que os comprou;
que estão ali porque alguém os quis ler, mergulhar no enredo, dissecar as razões, perceber as armadilhas.
Livros de ficção, históricos, policiais, de terror, etc – de tudo um pouco!
Como a vida, mensagens de boa vontade, nem sempre entendidas!
Ou garrafas que alguém lançou ao mar, à espera que leiam a mensagem que ali deixou!

3 comentários:

lique disse...

Nada melhor que um bom livro, Marta. Eu adoro aqueles que já foram muito manuseados, muito lidos. Têm muitas histórias para contar. Mas também gosto do cheiro das páginas novinhas em folha... Beijinhos. Tem um bom domingo.

Carmem L Vilanova disse...

Concordo com quem diz que um bom livro é um livro "velho", bem manuseado... sinal de que foi lido e que transmitiu alguma boa liçao... A leitura é uma bênçao, no meu ponto de vista... Adoro!
Muitos beijos para ti, querida amiga!

merdinhas disse...

Talvez aches graça a um vespão de peruca...