sexta-feira, 21 de janeiro de 2005

COMPENSAÇÕES

Eu, mascarar-me? Ainda por cima, de bailarina!!
Claro que achei que podia ser bailarina - em criança queremos ser tudo e muitas vezes, acabamos por ser aquilo que podemos ser.
Eu tive sorte - adoro línguas e fiz disso a minha vida!
No fundo, acaba por ser também uma forma de usar uma máscara - fingir que não somos portugueses, ser turistas no nosso próprio País, fugir à realidade.
Sei do que falo - porque quis fingir ser alguém diferente; achei que o mundo seria diferente se eu fosse diferente.
Mas eu não preciso de fazer nada disso; há sempre compensações - não fui bailarina, mas falo línguas correctamente e passo facilmente por uma "deles".
Não casei nem tive os 7 filhos que tanto desejava e tanto escandalizou as minhas irmãs.
Mas tenho um sobrinho!
Não vivo numa casa com jardim e com piscina.
Vivo num andar, que até está a precisar de algumas obras, mas é a única casa que conheço.
Não guio e por isso, partilho o autocarro com centenas de pessoas, sujeita a apertos, ao mau cheiro e aos atrasos.
Mas conheço algumas pessoas, com quem converso, nem que seja de banalidades.
Por isso, não me vou fantasiar no Carnaval.
O Carnaval é mais uma festa para as crianças e sei que vou adorar vê-las passar, fantasiadas, a deitar serpentinas, confettis, com pistolas de água e a rirem.
Felizes, contentes, animadas, sem preocupações - como todas as crianças devem ser!!!

Sem comentários: