quinta-feira, 31 de agosto de 2006

RÉPLICAS PERFEITAS

Uma “branca” tive e instintivamente, viro-me para o mar………………
À laia de galanteio, o mar atira-me uma grinalda de algas que enrolo no meu pulso doente….
Para atenuar a dor que persiste, irritante, em me controlar os movimentos….
As algas transformam-se em réplicas perfeitas, talvez das veias e dos tendões que, freneticamente se cruzam aqui dentro, lutando contra um inimigo comum……………..
“O que é que me queres dizer?”
“Que devo parar de escrever?”
Lanço as perguntas à brisa, e como resposta, o mar espalha-se numa onda mais forte que acorda a areia e arranha os rochedos…….


P.S.: Pensei realmente em fechar o blog, mas NÃO o vou fazer.
Vou mudar o tipo de letra, escrever a negrito, intercalar estilos, mas fico....

quarta-feira, 30 de agosto de 2006

RENOVAR

Sereia eu fui…

Sereia não posso voltar a ser………………..

Na gruta que enfeitei com conchas e búzios já não me escondo…

E o som do mar……….

No meu coração vive……………

Já não vagueio nas noites de lua cheia pelo fundo do mar

varrendo a areia à procura do arco-íris …………..

que, aqui à superfície me encanta e seduz,

faz com que a lua chore, surpreendendo,

as estrelas e os outros planetas…

cantando baixinho velhas melodias,

numa voz potente e quente…………………….

E, de novo o horizonte se alarga………………………………………….

terça-feira, 29 de agosto de 2006

NUNCA TE FALTE


Deixas que me enrosque no teu pulso, te abrace e te vista com o dourado dos
meus raios…

Por um instante;

depois sentas-te na posição de Buda, respiras fundo e fechas os olhos…

Calma, tranquila, deixas a tua mente flutuar e nem ligas ao vento que grita
descaradamente o teu nome………….

Deixas que as ondas do mar consolem os teus pés cansados e voltem a
fazer parte de ti……..

E, parece que alheia estás a tudo e a todos……….

Mas eu sei que estás atenta…

Que continuas a ouvir intensamente o remoinho de emoções que no teu corpo
despertaste…

Que sentes e te ofereces à tinta dourada com que os meus raios pintam o teu
dia…

E, que segues o vento pelas vielas e ruas como se um pombo fosses……….

para que luz nunca te falte…………

segunda-feira, 28 de agosto de 2006

NUM SORRISO

Restauro, como se restaura um quadro, lenta, delicadamente os meus sonhos
antigos…

Os que escrevi na espuma do mar….

Os que deixei as ondas arrancarem das minhas mãos…………..

Já não consigo encontrar……………

Estão perdidos na sombra do horizonte
……….

Apenas me restam os que a lua guardou, num planeta remoto e desconhecido…

E, que agora ela larga nas minhas mãos,
sem me dar tempo de ver quem os
deixa………….

Apenas fica a sensação de uma carícia no rosto, uma palavra sussurada ao
ouvido e a imagem fugaz de um sorriso…..

O meu sorriso -
o que me brilha no olhar,
no mar se reflecte

e à lua enche de orgulho..

domingo, 27 de agosto de 2006

JARDIM NO FUNDO DO MAR

Vivo num jardim proibido e secreto….

Nem mesmo o sol ou a lua se atrevem a atravessar uma fronteira,

Que ninguém lhe impôs….

Aqui, no fundo do mar, a natureza também floresce e morre….

Na luz que dela, num estilo muito próprio, emana, por onde, indolente eu me
desloco….

Devagar, sem pressas, porque o tempo aqui nada significa….

A areia é macia e deslizo silenciosamente por entre as plantas do jardim,
confundindo-me com elas quando os predadores se aproximam….

No fundo do mar, misterioso e sombrio, eu vivo e aos teus olhos, eu sou um
polvo

Que vês esculpido no tecto do parque que Gaudi concebeu, sonhando, talvez em
me perseguires e no meu mundo ficares………………..

sábado, 26 de agosto de 2006

NÃO SERIA EU....................A ESTÁTUA FALA

Desnuda eu estou..

Desnuda ficarei….

Anos a fios – exposta à paixão do sol e à luminosidade da lua….


Enfeitiçada numa nudez de corpo e alma, num bloco de mármore….

Transformado pelo escultor

Num corpo perfeito de mulher…………..

Chamam-me Aurélia ou simplesmente a “Menina Nua da Praça”…………….

Sou a confidente, a amante perfeita…………

E, no meu rosto tranquilo e doce, muitos hão-de imaginar ter uma resposta

às dúvidas que trespassam o coração…………………………..

sexta-feira, 25 de agosto de 2006

NÃO SERIA EU... O MIMO E A ESTÁTUA

Pinto o meu corpo nu, de branco para melhor me assemelhar a ti…

Até confundo as pombas, que, confiantes pousam em cima da minha cabeça
como contigo fazem…

Permaneço quieta, quase sem respirar e apenas os olhos me denunciam…

Mas só se olharem bem para mim….

Poucos o fazem e os que olham com um olhar verdadeiro, sem vislumbre
de troça, sorriem
admirados, abanam a cabeça incrédulos e por vezes, até perguntam em voz
alta:

“Como é que ela consegue estar assim, parada e nua em plena rua?”

Só o meu corpo está nu….

Porque sou um mimo;
vivo da arte para a arte –
é o meu desafio,
é a verdade do meu ser,
é representar a eternidade…

É, enfim ser o que tu és, Menina Nua!
Uma estátua, uma estrada, um convite à imaginação,
de quem, como eu, lhe abre o coração!!!!

quinta-feira, 24 de agosto de 2006

NÃO SERIA EU....................


Regresso….

À Invicta, à cidade que vencida nunca foi...
Nem mesmo pelas pombas, que continuam a arrulhar,
felizes ao pé desta estátua, um dos ex-libris desta
cidade....
O que significa a "Menina Nua da Praça"?
Ninguém se lembra já - memória que o tempo foi
apagando, arrastando-a no turbilhão da história,
limpando-a num vendavel temeroso................
Para mim?
Uma ninfa, sentada à beira dum lago tranquilo, pronta a mergulhar?
Ou um simbolo da perfeição, da tranquilidade, da paz de uma cidade
orgulhosa
de si própria?
Já nem sei.......................apenas não me canso de a fotografar,
de todos os ângulos possíveis e imaginários...
Quando acabo, fico realmente em paz....
P.S.: Estátua "Menina Nua da Praça" - Avenida dos Aliados, Porto - a autora a responsável pela manutenção deste blog.

terça-feira, 22 de agosto de 2006

NOTAS SOLTAS DE BARCELONA II

Olho atentamente a noite....

Limpída, sem brisa e sem lua - mágica, sedutora, a noite sorri abertamente...
Talvez a desafiar a lua, que, despeitada, se esconde longe, para lá de Mont Juic...
Um movimento fugaz, uma luz atraí o meu olhar e envoltos em neblina, num
crescendo, o borbulhar dos jactos de água da fonte que chamam MÁGICA......
Dançam, transformam-se num apelo irresistível
à nossa
imaginaçao em .......
Cavalos alados, ninfas, grinaldas, arco-íris, no infinito .....
Tal como Gaudi pretendia, deixei que a cidade que ele amou e que o ama,
me enriquecesse e me ensinasse novamente a amar.....

domingo, 20 de agosto de 2006

NOTAS SOLTAS EM BARCELONA

Estou cansada....
Mal consigo abrir os olhos e Morfeu, risonho, me estende os braços....


Mas eu resisto...
Para quê guardar por mais tempo o que o coração me segreda?
Para quê esconder que a vontade impulsiva de me reencontrar, de apenas em
mim e mais ninguém pensar, venceu o que a razão, secretamente me
aconselhava?

Barcelona, a meus pés....
Barcelona conquista-me............
E, eu sorrio com vontade, com alma, mesmo que, neste momento seja apenas para o espelho!

sexta-feira, 18 de agosto de 2006

DESAFIO DE FÉRIAS

Pois é, amanhã por esta hora estarei em viagem…

Este ano, a responsável pela manutenção deste blog decidiu literalmente
abrir as “asas” e voar para fora dos locais habituais de férias…

Decidiu atravessar os limites do espaço…………

O meu espaço, este ano, será em Barcelona – sei o que há para ver, o que
quero ver, mas não tenho propriamente um plano de campanha….

E diz-me a experiência que essas são as melhores viagens……….

Não posso partir sem vos desafiar…

Por isso, aqui fica:

A frase chave é:

Podemos ser ternos
sem sermos fracos,
e fortes sem sermos violentos" –
Autor desconhecido (descobri-a num livrinho muito interessante – O Pequeno Livro da Ternura)

Falem sobre a ternura, a fraqueza, a violência em si, se estão ligadas ou não,
etc – fica a vosso gosto…

Como o Ant:

do blog Ant - Mitos Urbanos..ou assim (www.amplificador.blogspot.com) diz:

A força reside, simplesmente,
no acto de abrir o coração
e deixá-lo crescer,
até romper as fronteiras dos medos.

E a minha frase:

Sempre me disseram que chorar era sinal de fraqueza,
mas que sensação melhor há em alguém nos abrir
os braços e sem dizer uma palavra, nos abrigar,
mas deixar que sejamos nós a encontrar o
caminho de volta

O nosso próximo encontro será na 5ª Feira, 24 de Agosto…

VOU TER MUITAS SAUDADES VOSSAS……………………………………………

UM XI DO TAMANHO DO MUNDO…………………………………….

quinta-feira, 17 de agosto de 2006

FALANDO DE TERNURA II

Converso com os golfinhos….

Parece que se riem de mim, fingem mordiscar os dedos dos meus pés e quando
os tento agarrar,
fogem, saltando no ar

e fazendo com que uma chuva de gotas

caia, tipo pétalas na minha face…

Rio alto e fico nitidamente a “namorá-los”, sempre deslumbrada com as piruetas
complicadas
que desenham no ar,

sempre fascinada com a ternura do olhar…

e pensando no vazio que, de repente se infiltra no meu coração…

Mas penso na nova luz que vai surgir no meu caminho, como vou deixar que a
máquina a
enquadre da melhor maneira e como, depois a vou partilhar…

Aqui, num gesto, numa palavra, num riso…………

Continuando a aprender…

A fazer piruetas com os golfinhos…..

quarta-feira, 16 de agosto de 2006

FALANDO DE TERNURA

Falando de ternura, isto significa que:

Acordar com a chuva e adormecer novamente embalada por ela…

Passar horas deitada na relva, a seguir o curso do rio..

Adormecer com o livro pousado no peito

e alguém nos cobrir as pernas com uma manta..

ser já capaz de sorrir ao me lembrar de ti, sem tristeza no coração e

adormecer sem mais demoras…..

Ternura é a aliada da simplicidade…

É a doçura escondida naqueles pequenos gestos diários

e aos quais nem sempre ligamos..

Mas sabemos que existem

Como eu, que saudades tenho já de vocês…

Só estarei ausente de 19 a 23 de Agosto, numa viagem digna de uma sereia encantada…

Para Barcelona, a todo o vapor………………………….

terça-feira, 15 de agosto de 2006

GRATIFICANTE

De repente, perdi a vontade de escrever….

O que me surpreende…

Porque cada letra que junto, cada palavra que soletro, cada frase que escrevo,

rasga o céu e a terra para se fazer ouvir;

é um hino, uma fascinação, uma vitória…..

Por isso, parto……………………

Não para fugir, porque a verdade e a lógica existem,

mas para me reencontrar,

para voltar a ser aquela sereia,

que encantou e seduziu

e gostou de o fazer, por eternamente gratificante

ser a sensação de a fazerem sentir bonita……………………….

Por dentro e por fora……………..

segunda-feira, 14 de agosto de 2006

REFLECTIR

À uma tarde especial nos Jardins de Serralves

Vamos fazer uma festa ao luar….

a noite está quente e os nossos gritos de alegria aquecem-na ainda mais….

Chapadas de areia, água do mar presa nas mãos em concha,

beijos soltos e soprados, música alta como se o Universo inteiro nos
pertencesse…

e pertence…….

Naquele momento em que estamos completamente descontraídos, sem medos
ou ironias..

Apenas um grupo de amigos, que resolve brincar às escondidas com a lua,

lançar adivinhas à brisa e a eles próprios

Mesmo que não as resolvam, porque isso não é o mais importante…

É o apenas estar juntos, numa festa ao luar……………….

domingo, 13 de agosto de 2006

CELEBRAÇÃO - 500 POSTS - II PARTE

Dedicado ao BFC
Ontem, o céu parecia uma pintura.

Parecia que o pintor tinha acabado de preparar a tela e começado a cobri-la com
a cor base.

Escolheu um azul, tão translúcido que até feria os olhos

e depois, lentamente, esboçou as nuvens.

Sem lugar certo, sem obedecer a um padrão – tal como é na realidade – formas
surrealistas, prontas a fazer as delícias de quem gosta de contar histórias.

E eu gosto de contar histórias.....

Às vezes, bem tristes e cinzentas; outras, encho-as com as cores do arco-íris.

Cruzo-as em laços delicados...

Pinto nas pontas sorrisos e olhares enigmáticos, sedutores...

Deixo abraços e beijos apaixonados no centro.........

E abro os meus braços para que a nuvem me abrace e leve as minhas histórias
com ela....

Tão perto de mim ela está; quase a posso tocar!

E a nuvem inclina-se para que eu prenda o meu arco-íris, mas, com duas
pinceladas, o pintor cobre-a, irado, com nova camada de tinta...

Porquê a minha nuvem?

Quero saber, mas o pintor, concentrado na sua obra, não me ouve...

Um risco mais acentuado, um nariz, uma boca..

em breve um rosto
estranhamente o meu….
P.S.: Este foi um dos meus primeiros posts, que reescrevi com prazer....

sábado, 12 de agosto de 2006

CELEBRAÇÃO - 500 POSTS


Parece que começei ontem e eis-me a escrever o 500º texto.
Pedi a quem aqui passava uma frase que vou reproduzir. Impus como condição as palavras "luz" e "luar".
A quem generosamente ma enviou, um grande xi:

· "Olhei-a nos olhos, como da primeira vez que nos vimos. Tímida, fugiu com o olhar, brincando com as mãos em torno do cabelo que brilhava sob um luar de Verão lindo e especial. Da sua boca saíam sorrisos mágicos que me penetravam no mais profundo da minha alma. Aproximei-me e estendi o meu braço até ela. Estávamos a milímetros de nos tocarmos e no entanto parecia no ar como se já há muito nos estivéssemos a abraçar numa ode de carícias e gestos de paixão nunca antes vista neste mundo. Virei-lhe o rosto de encontro ao meu e a luz dos nossos olhos cruzou-se a meio caminho com a ânsia do nosso beijo. Paramos por segundos, que pareceram horas, e num impulso louco deixamo-nos levar e nossos lábios finalmente tocaram-se. Naquele momento, debaixo da luz daquele luar ela foi minha pela primeira vez e demos o nosso primeiro beijo." do BFC
"O sol em redor ofusca-me e não deixa que eu adivinhe o luar, que eu me perca na luz suave, feita de sombras e de sonhos, sentindo a tua presença calma e a carícia da tua mão. Tenho saudades dessa noite quente..." da Pitucha
"Há-de sempre haver este luar que me alimenta.Uma luz ao fundo que me ilumina" da Su
"A noite leva-nos a ver as coisas de uma forma diferente. Talvez seja a luz do luar que nos aclara as ideias e, quando acordamos, tudo parece muito mais fácil" da Ana

"Acredito ter algo em comum com a noite, chego para abraçar a luz do luar, a beira-mar.Noite, essa rainha do Dia, é a cor que me enche de fantasia " da Elite

"Antes um Luar do que a luz dum Sol enganador cujas nuvens amiúde tapam o seu esplendor" da Teresa David
A minha frase???
Á luz do luar, me dispo e me deito.
À luz do luar, me apaixonei, ri-me feliz e chorei desesperada....
Nem tudo perdi, contudo!
Foi à luz do luar que me reencontrei e voltei a gostar de mim!!!!

sexta-feira, 11 de agosto de 2006

ONDE O MAR SE ENCONTRA COM A TERRA


"Where the land meets the sea".....

eu voltei a reencontrar a magia....

A magia que faz com que eu tenha vontade de ir até àquele jardim e me sentar

num banco....

Com as folhas de Outono a rodopiar com o vento aos meus pés,

ou a beber um chá quente no Inverno....

Usufruir dos primeiros raios de sol na Primavera e

no Verão, procurar a sombra..

O ponto do meu reencontro,

onde aprendi que pecado algum há em sorrir...

Os outros sorriem também...........

P.S.: Canção dos Simply Red "Home"


quinta-feira, 10 de agosto de 2006

EM QUALQUER LUGAR

A capa do meu livro mostra um jardim...

Um jardim solitário e triste.....

Um jardim no Inverno, já sem folhas nas árvores com ar cansado por, há
tanto tempo turbilhões incessantes de vento e de chuva,
as fustigarem....

Quem passa, está apressado e só se quer abrigar da chuva....

Não tem tempo para parar, sentar-se no banco e comungar com a solidão do

jardim...

Às vezes, está a fugir da sua própria solidão...

Porque não sabe o que fazer,
como a preencher,
como quebrar o que crê ser um

feitiço....

Talvez a resposta esteja realmente em sentar-se num banco do jardim e gozar o

silêncio,
aprender com o que ele lhe segreda,
distinguir as várias formas de solidão...

Depois, consciente disso, é fácil apreciar a beleza de um jardim...

Seja no Inverno ou no Outono

Seja na Primavera ou no Verão

Porque não estamos a perder tempo,

como Le Tasse diz:

"Perdi todo o tempo que passei sem amor"

Mas o amor ?
O amor está em qualquer lugar.....................

quarta-feira, 9 de agosto de 2006

PERDER AS ASAS

O livro escorrega-me das mãos e caí ruidosamente no chão...

Nem na hora mágica do dia,

aquela hora que eu considero ser só minha,

o calor abranda...

Deixo o livro ficar ali, quieto, silencioso,

ainda com as páginas a cheirarem a novo e ásperas ao toque,

e estendo-me também no chão....

Fecho os olhos e esvazio a mente, tal como me ensinaram no ioga,

das situações bizarras que me preencheram o dia..........

E, vagueio por onde? O que é que a minha mente busca?

Não, não são as tuas promessas loucas de amor.........

Uma frase, muito simples de Lord Byron:

"A amizade é o amor que perdeu as suas asas"

Mas eu acho que tudo tem asas.......

Não importa se é AMOR ou AMIZADE ou SOLIDARIEDADE...

Porque, doutra maneira, e embora fale ainda da tua ausência,

eu não estaria já a voar ao encontro do que verdadeiramente alimenta a magia da minha vida...

terça-feira, 8 de agosto de 2006

ATRAVESSAR O DESERTO


Sinto-me novamente


como se tivesse atravessado o deserto.............

A garganta seca e cheia de pó,

Os olhos irritados,
os lábios gretados,
os pés e as mãos inchados.........


Nem mesmo na estação do Metro o ar fresco circula...

Sente-se fuligem no ar, do incêndio que lavra ao longe

e o Astro Rei, sem dó e piedade,

ameaça-nos com um novo dia

brutalmente quente..........

A brisa da madrugada, irrequieta e brincalhona,
esgueirou-se pela viela mais


próxima e agora,
suspensos no ar, no tempo,
andamos à procura duma frescura escondida e evasiva.......
Apenas o Sol continua a sorrir....

Trocista, voluntarioso e pomposo...

Comporta-se, realmente como um Rei...

Mas, e embora o seu povo o venere apaixonadamente,

talvez esteja desejoso de um "cessar fogo" e
queira usufruir agora de temperaturas
mais amenas
e com doces e suaves brisas............

segunda-feira, 7 de agosto de 2006

DESAFIO

Talvez o “politicamente correcto” seja não assinalar tal
data..................

Mas este blog não é um blog político;

é um blog pessoal, que fala de tudo um pouco....
A vida como é vivida por quem aqui escreve....
E, neste momento pensar como assinalar a publicação do 500º post....
Talvez quem aqui passe me queira ajudar,
enviando-me uma frase que será aqui publicada,
com o nome do autor devidamente assinalado....
Com uma condição:
utilizar as palavras "Luz" e "Luar".....................
Eu???
Vou reler o meu primeiro post e construir o meu texto a partir daí...................

LUA ENCANTADA



Dizem que a lua é uma princesa encantada......

Que um amor proibido, como tantas outras, teve e por isso, foi

castigada, repudiada e condenada

a ser cúmplice das juras de amor dos

outros.....

Que é, por isso que em noites de lua cheia, ela chora e procura sinais do seu

amor.......

Sem o encontrar.............

Os seus raios iluminam os passos apressados dos amantes...

Os seus suspiros são os beijos roubados daqueles em quem a paixão se

acendeu....

E, eu?

Princesa encantada não sou nem meu amor maltratei...

Talvez o tenha mimado demais....e o meu castigo seja agora,

tal como a lua...

proteger os amores dos outros...........

domingo, 6 de agosto de 2006

A LUZ DO LUAR

Não, não me vou esconder da luz do luar………………..

Nem tão pouco me escondi dos teus beijos e das tuas carícias…

Mal sabia eu que a história que ilustrei naquele tango fatal se repetiria na vida real…

Na história da minha vida……………….

Já a luz do luar deixou de ser a guardiã dos nossos segredos…

Apenas encobre agora os meus e seguir-me-á para onde eu for….

Porque, da luz do luar, eu nunca terei medo ou me esconderei…
Seja a dançar um outro tango,
a reescrever velhas histórias ou contar novas aventuras
ou simplesmente um novo amor............

sábado, 5 de agosto de 2006

OS PIRATAS

Hoje, naveguei com os piratas para além do mar profundo…………

Ao encontro de um tesouro, que não existe e na ânsia de o encontrar, naufragamos…

Perdemos tudo, mas não a vida…

Novas aventuras preparamos….

E, talvez tudo termine……..

Novamente no fundo dos mares….

Talvez nem haja tempo para gozar o triunfo e a glória…

O poder de sermos invencíveis…..

Se vivermos no limbo???

E nos esquecemos de viver em pleno…………

Como uma simples estrela do mar………………………………….

sexta-feira, 4 de agosto de 2006

AO LONGE


Ao longe por mim oiço chamando
A voz das coisas que eu sei amar.
E de novo caminho para o mar.
Sophia de Mello Breyner Andresen

Ao longe, muito ao longe........

Quem chama por mim?

O eco do mar...

Ou a sombra do vento?

Ou será o tempo que, comigo se reconciliou
e me tenta compensar pela ausência?

Não sei!
Apenas sei que o que me chama,
não mente.............

Apenas me quer ver sorrir.............

E o vento sacode-me,
arranca-me
das mãos o que tanto me amargurou
e
mostra-me outro caminho para o mar............

quinta-feira, 3 de agosto de 2006

SEM CERIMÓNIA


Quero seduzir-te....

Acotovelo os outros, recebo olhares indignados e safanões grosseiros, mas quero que me vejas.....

Conheço-te bem, sei que gostas de sabores novos e exóticos e por isso, a expectativa é grande...

Eu sou um sabor novo e exótico

e quero ver um sorriso,

nem que seja apenas um meio sorriso, nesses teus lábios,

que pintas com uma cor muito suave...

Fico todo ufano quando me escolhes,

sinto-me como um gladiador a receber as ovações do público e aguardo,
ansiosamente que saboreies a primeira colher...

Mas não há
nenhum sorriso....

Abandonas o gelado após as primeiras colheradas,

que comes sem gosto, sem
paixão

e abanas a cabeça, pensando, talvez que foi dinheiro mal gasto...

Fico ali a derreter, a matutar porque é que continuas triste

até que a empregada me despeja sem cerimónia no balde do lixo...

quarta-feira, 2 de agosto de 2006

COM A AREIA


Pinto...

A medo................

A tela dos meus sonhos, já sem o teu rosto...

Apenas o reflexo do meu, sem ocultar as olheiras,

sem disfarçar a palidez da pele........

A tristeza lê-se no meu rosto, sente-se na minha voz e o meu corpo perde a energia e a graça.......

Mas, ontem comecei a desenhar por cima do cinza e o preto que tentei

oh, tanto me esforcei,

banir........

uma onda..........

O que nunca se desvanece, o que guarda todos os meus segredos,

o que se ri com as minhas histórias

e me limpa as lágrimas...

Porque o passado, como dizem, deve ficar bem enterrado....

E talvez a areia me ajude...........

terça-feira, 1 de agosto de 2006

ESTRELA DO MAR


Sou uma estrela....

Uma estrela do mar...

Vagueio com as ondas, escondida na espuma, ando num vaivém tranquilo e
conheço o mundo como minguém......

É à noite que brilho...

É quando o mar se transforma em espelho,

numa tela inesperada,

onde a lua pinta os

maiores sonhos de amor...

Quando as vozes das sereias, espalhadas pelas rochas, encantadores e sedutores, cantam............

Um hino à lua e ao amor e quem as ouve fica rendido,

apaixonado para a vida inteira..

Vibro com a luz, ofereço-me à luz que me conduz...

A luz que vive eternamente no meu coração e que só morrerá comigo...

No dia em que o sol me apanhar desprevenida e me secar..................