domingo, 27 de agosto de 2006

JARDIM NO FUNDO DO MAR

Vivo num jardim proibido e secreto….

Nem mesmo o sol ou a lua se atrevem a atravessar uma fronteira,

Que ninguém lhe impôs….

Aqui, no fundo do mar, a natureza também floresce e morre….

Na luz que dela, num estilo muito próprio, emana, por onde, indolente eu me
desloco….

Devagar, sem pressas, porque o tempo aqui nada significa….

A areia é macia e deslizo silenciosamente por entre as plantas do jardim,
confundindo-me com elas quando os predadores se aproximam….

No fundo do mar, misterioso e sombrio, eu vivo e aos teus olhos, eu sou um
polvo

Que vês esculpido no tecto do parque que Gaudi concebeu, sonhando, talvez em
me perseguires e no meu mundo ficares………………..

4 comentários:

Teresa David disse...

o texto está lindissimo, mas que tal colorires o teu Mundo um pouco mais a exemplo desse polvo que falas que é multicolorido?
Bjs
TD

BFC disse...

Jardins proibidos, escondidos do mundo e das pessoas.

zezinhomota disse...

Gostei muito desta fantasia, aliás muito inteligente, no seu todo.

Parabéns pelo texto/poema que li na Maresias.

Boa semana

Bjnhs

ZezinhoMota

Silêncios disse...

Sublime fantasia...
Fica um beijo