sexta-feira, 25 de agosto de 2006

NÃO SERIA EU... O MIMO E A ESTÁTUA

Pinto o meu corpo nu, de branco para melhor me assemelhar a ti…

Até confundo as pombas, que, confiantes pousam em cima da minha cabeça
como contigo fazem…

Permaneço quieta, quase sem respirar e apenas os olhos me denunciam…

Mas só se olharem bem para mim….

Poucos o fazem e os que olham com um olhar verdadeiro, sem vislumbre
de troça, sorriem
admirados, abanam a cabeça incrédulos e por vezes, até perguntam em voz
alta:

“Como é que ela consegue estar assim, parada e nua em plena rua?”

Só o meu corpo está nu….

Porque sou um mimo;
vivo da arte para a arte –
é o meu desafio,
é a verdade do meu ser,
é representar a eternidade…

É, enfim ser o que tu és, Menina Nua!
Uma estátua, uma estrada, um convite à imaginação,
de quem, como eu, lhe abre o coração!!!!

4 comentários:

Ant disse...

Estar nú é estar em paz. Eu, o verdadeiro, procuro sempre a nudez.
Bjos

melgadoporto disse...

Vim aqui para te agradecer o teres aceite o desafio da "Maresia" publicando o teu escrito. Fiquei tempos logo no ínicio:"Escuto cada ruído do meu corpo. A brisa pinta-me na pele a tua mão e esta desenha (os)contornos...". Simplesmente delicioso...Parabéns!

Peter disse...

"Tal como Gaudi pretendia, deixei que a cidade que ele amou e que o ama, me enriquecesse e me ensinasse novamente a amar....."

Ora bem, valeu a pena a ida a Barcelona.

Quanto à estátua da menina nua, nunca a vi.

Bj

Teresa David disse...

Está um texto poético mto belo e de qualidade, sim senhora. E menos soturno que o anterior!
Bjs
TD