segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

RAINHA DA FESTA





Estás LINDA!!!!
Vais ser a rainha da Festa!
Todas as meninas vão escolher o rosa, o azul e o branco.
E tu escolheste o preto!!!!

Gosto do teu ar misterioso,
desse teu sorriso envergonhado.

Mas porque olhas para o chão
e não para mim?
Vá lá, olha para mim.

Ok, não olhes, mas dá-me a tua mão.
Um cavalheiro zela sempre pela sua dama
e é uma honra acompanhar-te até à festa da Isabelinha...

Eu comprei-lhe uma boneca e tu???



Desconheço o autor da imagem (via Net)

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

SIMÃO, O RUFIA


Chamo-me Simão,
o manda-chuva cá do bairro.
A minha Mãe diz que eu sou um rufia: um desespero.
Porque não há dia em que não entre em casa,
todo sujo, com as calças rotas,
os sapatos cheios de pó,
os joelhos e as mãos esfolados.
Adoro subir às árvores e aterrorizar os gatos da vizinhança.
Quero lá saber se vesti as calças de lavado e os sapatos já têm que levar solas!

Mas hoje, e em tua honra, pedi à minha Mãe para me vestir a preceito
e trazer-te uma rosa do jardim.
Para te dar as boas-vindas ao bairro.
Tu és nova aqui, não és?
E deves viver naquela casa, ali em baixo?
Vi os camiões a descarregarem lá montes de coisas e pessoas a limparem.
Sim?
Bem me parecia; não queres vir dar um passeio comigo?
Vais adorar viver cá...

Desconheço o autor da imagem (via net)

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

SIMPLES COMO O PÔR-DO-SOL

Não há limites,
para o que se procura no Mundo.

No entanto, é tão simples
como ver o pôr-do-sol.

Pensar,
no que há de novo,
no que nos pode oferecer,
no que nós lhe podemos dar.

Mas, sobretudo reflectir,
se estamos verdadeiramente abertos.
Às vozes que se escutam do outro lado do Mundo.




Foto de Heylormammy "Rhymes and reasons" (DeviantArt)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

RIMAS FÁCEIS

Não posso negar a noite tumultuosa de ontem
Desencontreei-me de mim
Guerreei os meus próprios sentires
Iludi os meus pensamentos
Feri-me de morte

Surpreendo a madrugada de hoje
Com o doce entoar de uma canção de embalar
Rimas fáceis
Palavras simples e claras
Como o riso das crianças que ouço ao longe

Invejo-as
Quero voltar ao passado
Mas que passado, se de tal nem nemórias tenho?



Foto de Nicoweb "Old Man" (DeviantArt)

sábado, 19 de fevereiro de 2011

PERDIDA E LOUCA

Esta noite não te volto a dizer
Sinto um vazio em mim
E quero que me consoles
Sinto-me perdida e louca
E preciso que me descubras
No labirinto de uma noite sem cor
E me pintes o corpo de fogo

Avisei-te que estou irracional
Estou à espera do espanto
Da tua entrada
Do animal que se aproprie de mim
Ainda mais perdida e louca
Nesta noite alucinada
Ateada pelas chamas do meu ventre



Foto do álbum de João Mateus "Palácio de Sueños" (via Facebook)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

MEUS

Os meus beijos....
são sempre para ti...

Não os sentes?

Nos teus dedos,
na palma da tua mão?

Precipitam-se,
vestem o teu corpo....

Despoletam sensações,
cruzam-se em apelos,
gemidos.

De amor,
de calor...

Os meus....


Foto de Prismes, "U"" (DeviantArt)

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

PURA VERDADE

Escrevo-te um poema.

Não pelo dia.

Pelo prazer de o escrever em ti.

Para ti,
nas palavras com que me tocas.

Sussurro o prazer na tua pele,
traço o meu destino no teu suor...

Confesso tudo,
quando gemo em êxtase.

Porque essa é a pura verdade....


Foto de Prismes, "My Light", DeviantArt

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

PORQUÊ

Ás vezes, tenho medo da noite...
Não da escuridão em si,
mas da solidão que se reencontra...

Não gosto que o Vento me fale...
Torna o beijar da tua voz
ainda mais forte.

E, por entre os lençóis amarrotados,
o desejo volta a insinuar-se....

Salpica-me a pele com o teu sabor...
Recorda-me a tua luz,
a tua cor....

E, eu grito....
Porquê hoje???


Foto do álbum de João Mateus (Via Facebook)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

POR MIM

Ninguém precisa de saber....


Como estou desiludida...
e chorei a noite inteira...

Adormeci, finalmente,
mas agarrada ainda
a memórias saudosistas...

Que memórias?
E porquê saudades?

Não posso....
Não quero
falar dessas memórias...

Gelam-me,
esvaziam-me
de quaisquer sentimentos.

Sinto-me abandonada,
traída....

Não por ti....
Por mim.....


Foto de Graça Loureiro, "Só" (Olhares)

domingo, 6 de fevereiro de 2011

LISTA DE DESEJOS

Sei que,
o mais óbvio,
o mais fácil,
seria escrever um poema de amor.

Daqueles, sabes?
a que chamamos "lamechas",
cheio de clichés e frases centenárias.

Não,
eu queria um poema diferente.

Aconchegar-me ao teu corpo, sim,
mas viver-te tal como és.

Continuar a ser dona do meu tempo,
mesmo quando me acrescento ao teu...

Fazer parte da tua alma,
deixar que entres na minha,
sem que ma partas.

Não sei
se é um poema
ou uma lista de desejos.

No entanto,
sei que é diferente,
porque não me lamento...

Quero-te...


Foto de Paulo Pontinha "O Cheiro das Coisas" (1000 Imagens)

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

DESENHOS NO CHÃO

Ás vezes, as palavras voam...
Não sei para onde,
ou por quanto tempo...

Deixam-me com a boca amarga,
os ombros contraídos e
uma atracção fatal pelos desenhos no chão...

Contudo,
nada tem que ser imperfeito,
só porque as palavras me abandonaram...

Se a vida ainda dorme em mim...
Se a alma a saboreia, livremente....

Não preciso delas.....



Foto de Graça Loureiro, "Feelings in the emptiness" (Olhares)

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

SEM LIMITES

Estou deitada,
encostada a ti,
ao silêncio tranquilo da tua pele.

Amei-te como uma louca;
fui ousada,
atrevida...

Desafiei-te,
provoquei-te sem limites...
Excedi-me....

Vejo-te agora a dormir..
Devia invejar-te,
porque eu continuo acordada...

Sem que os demónios,
os fantasmas do dia
me dêem tréguas....



Foto de Graça Loureiro "Not for me" (Olhares)