sábado, 19 de fevereiro de 2011

PERDIDA E LOUCA

Esta noite não te volto a dizer
Sinto um vazio em mim
E quero que me consoles
Sinto-me perdida e louca
E preciso que me descubras
No labirinto de uma noite sem cor
E me pintes o corpo de fogo

Avisei-te que estou irracional
Estou à espera do espanto
Da tua entrada
Do animal que se aproprie de mim
Ainda mais perdida e louca
Nesta noite alucinada
Ateada pelas chamas do meu ventre



Foto do álbum de João Mateus "Palácio de Sueños" (via Facebook)

8 comentários:

JB disse...

Um poema sensual, intenso... um desejo por realizar que nas palavras se despe com toda a paixão que as veste!

Belo!!!

Beijinho!

Fragmentos Betty Martins disse...

._______querida Marta




.o sentir das palavras

no sentido_______da entrega...


lindo.


///



[amiga desculpa a minha ausência. mas o meu querido pai se encontra gravemente doente. e não me tenho sentido muito bem para voltar.estou triste.muito triste]

///






beijO______ternO

Ulisses José Da Silva disse...

Achei sensual e intenso, gostei muito , lindo, tenha um domingo belíssimo, beijos !!

Nilson Barcelli disse...

O poema da loucura saudável, belo e sensual.
Excelente, gostei imenso das tuas (aparentemente) loucas palavras.
Querida amiga, bom resto de Domingo e boa semana.
Beijos.

R.B.Côvo disse...

Sempre arrasando no que toca a sensualidade. Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

intenso e sensual.

uma boa foto a acompanhar.

beij

Sofá Amarelo disse...

As noites são sempre labirintos que se pintam a cor de fogo e que deixam laivos de irracionalidade, alucinados nas chamas ateadas pelo fogo perdido e louco... e esta noite não se volta a dizer o que se diz todas as noites!

alice disse...

voltarei a ler, querida marta, é um dos mais bonitos :) gostei muito! um grande beijinho*