segunda-feira, 15 de agosto de 2022

O CONSELHO PARTE V

 

Eu acho que tomaste a decisão errada, conta o Gonçalo, a Matilde defendeu-te...embora diga que era capaz de não ter essa coragem! 

E discutiram por causa da minha gravidez? repete a Sofia, não te diz respeito, Gonçalo, só eu e o Dinis é que podemos decidir! E, se queres a minha opinião, não me admira nada que a Matilde termine tudo contigo!!! ÉS UM BRUTO!

Enquanto isto se passa, eu ando de um lado para o outro no meu quarto, nervosa e com vontade de gritar, o Gonçalo mostrou-se tão insensível! Será a pessoa ideal para eu construir a minha vida? a minha mente pergunta-me.

Ter interesses comuns não basta! respondo, tenho mesmo que rever o que quero desta relação! e fico surpreendida quando a Mãe bate à porta e entra.

Passa-se alguma coisa, Matilde? pergunta, estás a andar de um lado para o outro como uma doida!

Acabo por me sentar no chão, a Mãe prefere a cadeira, ouve-me até ao fim,.

Quando termino, a Mãe suspira, dá-me uma palmada amigável na mão, tenho a certeza de que o Gonçalo não pensa isso! Pode ser o primeiro impacto, no fundo, ele sabe que é uma decisão que só a irmã pode tomar!

Não pensei nisso, confesso, às vezes, o Gonçalo parece um miúdo!

A Mãe sorri, pode ter dito isso para disfarçar que está emocionado, babado por ser tio! Falem amanhã, a noite é uma boa conselheira, sugere, dá-me um beijo na testa e saí.

Deito-me, mas não consigo adormecer, o telemóvel vibra, é um SMS do Gonçalo a pedir desculpa.

Amanhã, Gonçalo, falamos, murmuro e fecho os olhos, continuo a achar a Sofia muito corajosa.

Eu disse ao meu irmão que ele é um bruto, explica a Sofia, convidou-me para almoçar num restaurante simpático perto da editora, tinha a manhã livre e ainda não quero falar com o Gonçalo.

Não é preciso tanto, rio-me, mas sim, compreendo o que queres dizer, às vezes, o Gonçalo exaspera.

Finge-se de burro, concorda a Sofia, acredita que o meu irmão de burro não tem nada! Não sei se é uma forma de defesa, para ele, na vida não há obstáculos, desilusões!

CONTINUA


domingo, 14 de agosto de 2022

O CONSELHO PARTE IV

 

A Teresa sorri, o que é que achas da decisão da nossa filha? e o António suspira, acho que é ainda muito cedo para assumir tal responsabilidade, confessa, mas se é o que quer, sei que o ponderou bastante, vou apoiá-la!

Eu também, diz a mulher, só não entendo porque é que foi falar primeiro com a Carolina! Sempre nos mostramos disponíveis para falarem abertamente sobre os que preocupam...

O marido encolhe os ombros, para te ser franco, pensei que isto aconteceria com o Gonçalo e não com a Sofia! responde.

Entretanto, a Sofia está a jantar com o Dinis, um Dinis que a ouve muito sério até ao fim.

Também tenho pensado nisso nestes últimos dias, comenta, tudo isto aconteceu rápido demais, eu ia propor vivermos juntos para nos conhecermos antes da chegada do bebé....

Não concordo, interrompe rapidamente a Sofia, seria stress demais, acabávamos por ficar juntos pelas razões erradas e o bebé ia sofrer mais tarde com dois Pais que se detestam.

O Dinis ri-se, acho que não te ia detestar! És uma mulher interessante, inteligente, divertida, exclama, não te ia detestar! repete.

A Sofia ri-se também, falam do emprego dela, da proposta de trabalho que ele recebeu e acabam de jantar.

A Sofia não aceita o convite de para tomarem um copo, está muito cansada, regressa a casa.

O Gonçalo está sentado no hall de entrada, está com cara de " caso" classifica a irmã, alguma coisa correu mal.

O que é que foi? questiona a irmã, Estás aí com cara de quem morreu meio Mundo, brinca e o irmão fecha os punhos.

Não me chateies! pede, estou farta de vocês, mulheres até aos olhos! declara.

Mas o que é que nós te fizemos? Gonçalo, queres fazer o favor de te explicar? exige a irmã e o Gonçalo levanta-se de rompante, dirige-se aos elevadores.

Ah, não, explica--te e já ou falas em frente dos Pais, grita a Sofia e o irmão suspira, tive uma discussão com a Matilde, ok? Por causa do teu bebé se queres saber...replica.

Por causa do meu bebé? O que é que o meu bebé tem a ver com a tua relação com a Matilde?

CONTINUA

sexta-feira, 12 de agosto de 2022

O CONSELHO PARTE III

 

No emprego, a gravidez de Sofia não é um problema, o horário será híbrido, avisam-na, provavelmente nos dias em estiver presencialmente na empresa, é possível que tenha que ficar até às nove, dez da noite, mas o resto do tempo pode organizar como quiser. Desde que cumpra os objectivos, acrescentam.

A Sofia adora a ideia, o Gonçalo acha estranho esse tipo de horário, a Matilde ajuda-a a transformar um canto do quarto num escritório confortável.

Porque a Sofia decidiu ficar em casa dos Pais, não me quero precipitar, explica, eu e o Dinis temos que nos conhecer!

Mas vão ter um filho juntos, protesta o Gonçalo, isso não tem nada a ver, interrompe a Matilde, são adultos responsáveis, vão assumir o filho, mas não têm obrigatoriamente que viver juntos!

Às vezes, és um pouco antiquado, diz a irmã, pareces que não vives nesta época! O mundo não é só desporto.

O Gonçalo não fica nada ofendido, as mulheres são muito complicadas, confessa mais tarde ao primo Miguel, também podemos ser complicados, sabes? observa este.

A Matilde telefona à prima, vem cá a casa, convida, tenho imensa coisa dos gémeos que podes utilizar.

Também devo ter coisas guardadas, replica a Filipa, acho que estão na cave do prédio da minha Mãe; podes ir lá ver.

A Sofia vai primeiro a casa da Matilde, a prima abre uma série de caixas, fica surpreendida por encontrar roupa ainda com etiquetas, fica com eles, declara, não tenciono ter mais filhos! e faz uma careta.

A Sofia ri-se, quatro filhos são demais! pensa, mas a tia Carolina teve cinco e como a Mãe diz, não há nada que não saibam sobre miúdos!

Tem que pedir ajuda ao Pai, são duas caixas enormes, a Filipa já telefonou a dizer que encontrou o berço e a cadeirinha.

O Pai sorri-lhe, a Sofia dá-lhe um beijo rápido, tenho uns Pais fantásticos, que sorte tenho! murmura.

Lá em casa, os Pais decidiram remodelar o escritório e fazer ali o quarto do bebé, posso trabalhar aqui na sala, afirma o Pai, ou fico mais tempo no office.

CONTINUA



quinta-feira, 11 de agosto de 2022

O CONSELHO PARTE II

 

Em casa, explico à minha Mãe o que aconteceu, espero que a tia saiba o que dizer, concluo.

A Mãe suspira, é natural que esteja confusa, tem planos e uma criança implica uma adaptação, uma reorganização de prioridades, diz, tenho a certeza de que vai tomar a decisão certa!

É a minha vez de suspirar, o meu Pai morreu quando eu era criança, mal me lembro dele, mas sei que a Mãe teve dois empregos para nos sustentar, eu e o meu irmão mais velho.

Logo que pode, o meu irmão arranjou um emprego, contra a vontade da Mãe que achou um absurdo, estudou à noite, é agora advogado estagiário num gabinete de advocacia.

A partir dos dezoito anos, eu também comecei a trabalhar em part-time, como modelo, empregada de mesa, monitora (no Centro Desportivo onde conheci o Gonçalo), tentei dar dinheiro à Mãe, mas ela recusou.

Talvez seja por isso que sou quase obcecada com os cuidados para evitar a gravidez e nem sempre compreenda porque é que as pessoas ficam admiradas quando isso acontece.

Mas estou preocupada com a Sofia, está muito confusa e tenho alguma dificuldade em concentrar-me na aula de Primeiros Socorros.

Sou a primeira a sair da sala, os meus colegas estão surpreendidos, nunca digo que não a um café na cafetaria da universidade e ligo o telemóvel.

Há uns SMS do Gonçalo e uma chamada não atendida da Sofia, oh, meu Deus, o que é que aconteceu? fico nervosa, sou tão calma e objectiva.

Ligo-lhe de imediato, a Sofia parece que está calma, já conversou com a Tia e com a Mãe, a Tia Carolina achou melhor que ela estivesse presente, a Mãe pareceu um pouco ofendida, conta, sempre houve uma relação de confiança, empatia entre nós..

Ok, tudo bem, interrompo, mas decidiste alguma coisa? Queres vir jantar comigo lá em casa? A minha Mãe não está, compramos qualquer coisa no supermercado, há uma churrascaria perto.

A Sofia aceita o convite, decidimos comprar frango assado, arroz e eu faço uma salada.

Então? insisto, basicamente o que a Mãe e a Tia Carolina disseram que só eu é que posso decidir, responde, se quiser ficar com o bebé, elas ajudam, o que não falta na família são bebés! E, eu estou inclinada em ficar com ele, continua a Sofia, não sabemos o que vai acontecer no futuro, pode ser o meu único filho!!!

Fico calada por uns minutos, é uma decisão corajosa, eu não a tomaria, mas tenho que concordar que o é.

E o que vais fazer com o emprego? pergunto.

CONTINUA

quarta-feira, 10 de agosto de 2022

O CONSELHO

 

Nada de ficares grávida, avisa-me o Gonçalo naquela noite, nem respondo, tomei as minhas precauções para que tal não aconteça.

Claro que quero ser mãe, mas não já, o que aconteceu à Sofia, foi um acidente, a pobre está em estado de choque.

Não sabe o que fazer, tens que falar com o Dinis, aconselho, é do Dinis, não é? e a Sofia olha para mim espantada.

Claro que sim, responde, há algum tempo que estou sozinha, sem namorado, tive uma história complicada e... interrompe-se e eu não insisto.

Preservativo? pergunto e a Sofia acena que sim, sempre, se calhar, tinha alguma fissura, não sei, opina.

Ok, tem calma, fala com o Dinis, decidam o que querem fazer, repito, faz uma lista dos prós e dos contra. E, depois fala com a tua Mãe.

Não vou fazer um aborto, exclama a Sofia, mas o que é que eu digo no emprego? Vou entrar agora e dentro de oito meses, terei que ter licença de maternidade.

Sofia, respira fundo, estás muito nervosa e isso não ajuda, observo, primeiro fala com o Dinis, o resto resolve-se depois.

A minha irmã é uma idiota, diz o Gonçalo, não tomou precauções??? e eu não me contenho, dou-lhe uma palmada no braço, o Gonçalo retraí-se, ui!

Claro que tomou precauções, a tua irmã não é nenhuma leviana, explico, se calhar, o preservativo tinha uma fissura ou rasgou-se! Vê se és solidário, ela precisa de amigos agora, está muito confusa.

O Gonçalo não me responde, eu estou nervosa, a Sofia deve estar a contar ao Dinis o que aconteceu, qual será a reacção dele?

O que eu decidir, está decidido, relata a Sofia na manhã seguinte, encontramos-nos na confeitaria do bairro, ela pediu um café, mas eu protesto, é melhor beberes um sumo de laranja!

Ficou surpreendido, claro, tem sido muito cuidadoso, continua a Sofia, mas apoia-me na decisão que tomar, não sei realmente o que fazer, Matilde.

Não te posso ajudar, interrompo, é uma decisão tua! E, não, atrevo-me a adivinhar o que ela pensa no momento, não te vou dizer o que eu faria! Não posso, não quero influenciar-te. Por isso, fala com a tua tia, se não quiseres falar já com a tua Mãe!

Tenho que me apresentar na próxima semana na editora, observa a Sofia, o que é que eu faço?

Tens uma semana para decidir e não tens que falar já da gravidez, comento, vamos ter calma, Sofia.

Creio que ela está mais calma, confiante, tenho a certeza de que a tia saberá o que lhe dizer para a confortar, nunca tive muito jeito para isso.

CONTINUA


terça-feira, 9 de agosto de 2022

A FESTA FIM

 

Então? O que é que aconteceu? o Gonçalo está preocupado, encontrou-me como que em transe no meio da sala.

Nada, ofereceram-me um emprego, respondo, ainda não assimilei o facto, nem sei se disse que sim!

Quem é que te ofereceu o emprego? Conta tudo, exige o meu irmão impaciente, está sujo, o cabelo cheio de lama, a roupa suada, mas fica ali no meio da sala, à espera.

Sento-me, enviei uma série de CV's para editora, gabinetes de tradução e uma dessas editoras ofereceu-me um lugar de assistente de um dos directores, acho que na parte de recepção e análise de manuscritos.

Mas não era isso que querias??? o Gonçalo quase grita, assusta a Matilde que entra nesse momento, o que é que se passa? questiona a namorado.

A estúpida da minha irmã recebeu uma oferta de trabalho e está em estado de choque, explica o meu irmão apressadamente e a Matilde sorri, é muito bom! Era isso que querias! diz e eu lembro vagamente de ter abordado o assunto com ela durante o almoço em família.

Quando é que começas? insiste o Gonçalo, eu volto à terra dos vivos, ainda acho que sonhei, vão enviar-me um mail com os detalhes e a começar é em Setembro, explico.

Óptimo, vamos celebrar, telefona ao Dinis, decide o meu irmão, ele que venha vestido a preceito, pois vamos até à cidade. Este jantar pagamos nós, esclarece, o próximo é da tua conta!

Regressamos a casa já de madrugada, felizmente, comenta o Gonçalo, hoje estou de folga e eu e o Dinis decidimos tomar o pequeno almoço antes de ir para a cama.

Acordo com o telemóvel a tocar, é a Mãe a dizer que está a caminho, empurro o Dinis para fora da cama, Gonçalo, Gonçalo, os Pais estão a chegar, temos que pôr a casa em ordem!

Felizmente, a casa não está muito suja, a roupa desaparece na Máquina, o Gonçalo liga-a, a Matilde ajuda-me a pôr a cozinha e a sala a brilhar e o Dinis leva o lixo.

Os Pais chegam pouco depois, nós ainda estamos de roupão, ah, noitada? comenta o Pai, pensava que estavas a trabalhar no teu livro, estranha a Mãe.

Ela já o terminou, interrompe o Gonçalo, está nas mãos da editora, mas a novidade escaldante não é essa!

Os Pais olham um para o outro, depois para mim, aguardam que eu fale e eu amaldiçoo o Gonçalo, eles teriam que saber, claro está, mas queria dar a notícia doutra maneira.

Os Pais ficam satisfeitos, eu estou preocupada com o facto de ter enviado o meu livro para outra editora, mas poucos dias passados, recebo um mail muito amável desta a recusar a publicação.

Fico magoada com a rejeição, tanto a Mãe como o Dinis tentam consolar-me, mas eu sinto-me um pouco perdida.

Tento concentrar-me no novo emprego, regresso mais cedo à cidade, convocam-me para uma reunião preliminar, conheço o meu chefe, explicam as minhas funções.

Mas eu sinto-me estranha, há qualquer coisa de errado com o meu corpo, com o meu humor, a Mãe marca-me uma consulta.

Quase caio da cadeira quando me dizem que estou grávida.

Como é que isso aconteceu? E logo agora que vou começar um novo emprego.

FIM



segunda-feira, 8 de agosto de 2022

A FESTA PARTE IV

 

O Centro está cheio de pessoas, a Matilde apresenta-me à família dela, acabo por me sentar ao pé deles, são pessoas simpáticas e partilho com elas a alegria de ver a Matilde vencer.

O Dinis está a coordenar a regata, nem falo com ele, o meu irmão acena-me, está a organizar uma corrida de obstáculos, pensa que eu quero participar.

Estás doido, pá, afirmo, corrida, pilates... ainda aceito, agora obstáculos, participa tu! e o meu irmão nem responde, dá meia volta, deixo de o ver.

A Matilde convida-nos para almoçar com a família, é um almoço divertido, descontraio, participo nas brincadeiras.

Já tens material para um outro livro, sussurra o Dinis quando nos encontramos em casa, resolvi fazer o jantar, mandei-lhe um SMS, vem cá jantar, escrevo, traz pão fresco!

Faço a minha especialidade, risotto de cogumelos, o Dinis fica um pouco surpreendido, não estava à espera de um prato totalmente vegetariano.

Ok, como carne de vez em quanto, explico, adoro peixe, mas a minha alimentação é essencialmente vegetariana. Se bem que a nossa Mãe nos tenha deixado escolher...desculpa, devia ter-te perguntado!

Não há problema, atalha o Dinis, é interessante, acrescenta e serve-me um copo de vinho.

Conversamos até altas horas, o Gonçalo não aparece, deve ter ficado com a Matilde na praia, justifica o Dinis, ouvi uma conversa sobre uma festa na praia.

Eu também, comento, mas sinceramente, não estava com paciência, precisava de descansar um pouco.

O Dinis acaba por passar a noite comigo, cruzamos-nos com o Gonçalo na cozinha por volta das nove da manhã, o meu irmão nem parece que passou a noite acordado.

Agora vou encontrar-te aqui todas as manhãs? observa e eu dou-lhe uma cotovelada, e a Matilde, onde ficou? pergunto.

Voltou para a cidade com a família, tem que se preparar para um exame, responde o meu irmão e fecha-se no quarto.

O Dinis volta para o Centro, eu ligo o computador, faço uma selecção dos mails a responder e passo o resto do dia a escrever apontamentos para uma possível história.

O telemóvel toca, assusto-me, é um numero desconhecido, mas não posso ignorar, enviei vários CV's antes de vir para aqui.

Não deve ser da editora, pois tenho o numero gravado e atendo um pouco receosa.

Sofia Melo? a voz é agradável, educada.

CONTINUA