quarta-feira, 22 de junho de 2016

PERFEITO



Estou seriamente a considerar a hipótese de escrever uma história sobre o Rosa.

Sobre a paixão da Rosa Flor e a tranquilidade da Rosa Cor...

Uma mancha de cor no preto ou no branco...

Sem esquecer o Rosa Indiano ou o Fuchsia... 

Uma divagação sobre a minha Cor Favorita... 

Porque as Cores têm alma... 

Sabedoria e a Rosa Flor renasce, multiplica-se em milhares de outras cores...

E é sempre Perfeita....




segunda-feira, 20 de junho de 2016

EXIGIR


Ultimamente, a minha palavra favorita tem sido " francamente"...

Resume na perfeição a minha indignação contra as atitudes mirabolantes das pessoas...

Um exemplo é parar-se no meio do passeio, a falar tranquilamente ao telemóvel e obrigando as pessoas a desviaram-se...

Se cometemos a tolice de ser bem-educados e dizemos "com licença", olham-nos friamente, com um desprezo tal que fico com vontade de lhes dar um safanão.

Mas não foi isso que me ensinaram... 

Uma coisa que a vida me ensinou, e ensinou-me da forma mais brutal que se pode imaginar, é que não podemos exigir dos outros mais do que estão preparados para nos dar.

 Como se diz no yoga... 

Nem sempre fácil de compreender e seguir, mas porque não tentar?


 

quinta-feira, 16 de junho de 2016

MAIS UM CASO DO INSPECTOR LEANDRO



Agora que (re)descobri o prazer de ler livros policiais....

Aqui fica um "cheirinho" do conto policial que estou a escrever...

Como ainda não o terminei, aceito sugestões quanto ao crime...

"
O inspector Leandro não entendia a razão das pessoas escolherem alcunhas como “Mad” Bastos, “Red” Zé ou “Top” Ventura.
Mas ali estava ele, naquele bar deserto ainda com vestígios da loucura da noite, sentado em frente de um segurança conhecido como “Mad” Joe.
“ Mad, hem? Pavio curto é? “ perguntou irónico, mas o segurança esboçou um sorriso e comentou:
“ Não, chefe. Sou muito calmo! O meu físico impõe respeito!” e riu-se.
Leandro sorriu e concordou com ele. Devia ter mais de um metro e noventa de altura e devia passar horas no ginásio para ter aqueles músculos.
“ Conte-me o que aconteceu ontem à noite. Quem é este...” parou um momento para consultar o bloco que tinha aberto à frente dele “ DJ Macabro?”
“ É o responsável pela música às quintas-feiras. Escolhe umas músicas estranhas, chama-lhes “magie noire” e o pessoal fica louco. Gritam, dançam e ontem até tive que expulsar uns 4 ou 5, porque umas raparigas queixaram-se que as estavam a assediar...”
“ Isso é habitual?” interrompeu Leandro e o “Mad” Joe encolheu os ombros, continuando:
“ Acontece, não vou negar, mas o ambiente é diferente nos outros dias. Mais calmo, mais familiar. Bem, a música começou por volta das 23 horas; durou cerca de hora e meia e vi-o tomar uma bebida com um grupo... Entretanto, chamaram-me e fui lá para fora vigiar a porta de entrada. O bar fechou às cinco da manhã, com os atrasados só às cinco e meia é que tranquei a porta. “
“ Certo! Além de si, quem ficou cá?” perguntou o inspector.
“ O barman, Russo e a gerente, Margarida. O Russo estava a preparar as Máquinas de Lavar e a Margarida estava no escritório a fechar a caixa, penso eu. Fiz uma ronda pelas instalações, recuperei copos (as pessoas deixam-nos nos lugares mais incríveis), verifiquei as casas de banho e os vestiários. E foi aí que descobri o corpo. Avisei logo a Margarida e ela chamou a polícia.” 
Calou-se e endireitou-se na cadeira, olhando Leandro nos olhos. "

Continua

terça-feira, 14 de junho de 2016

VER, OUVIR E SENTIR


Ultimamente as minhas crónicas começam com a palavra "hoje"...

Porque é "hoje" que tudo acontece e o "amanhã" é completamente diferente...

O que seria bom se o meu "amanhã" não fosse uma repetição do "hoje"...

Apesar de repetir bem alto que viver com medos não é saudável...

Mas as pessoas não entendem e não sei se é porque não querem compreender ou se é porque eu não sei explicar as minhas ideias...

É, por isso, que gosto dos sábados de manhã... 

Das aulas de yoga, do passeio pela Rua Santa Catarina, de entrar na FNAC ou na Bertrand e vasculhar as novidades literárias...

Nem preciso de conversar... Basta ver, ouvir e sentir... 

 

sexta-feira, 10 de junho de 2016

LOUCURA



Hoje estou preguiçosa...

Não tenho nada para dizer... 

Ou talvez tenha e não tenha encontrado as palavras...

Às vezes, acontece-me isso... 

Vejo a folha em branco e entro em pânico...

Como se fossem as palavras a prenderem-me à realidade...

Daí chamaram-me louca...

Mas, como já disse, ainda bem que sou esse tipo de louca...


terça-feira, 7 de junho de 2016

PEDESTAL



Hoje, confesso...

Consultei o dicionário para ter a certeza do significado da palavra "arrogante" ...

E, já que estamos a falar de confissões, aqui está outra: ri-me porque...

É melhor ser conhecida como "louca, extravagante" do que ser alvo de adjectivos como "arrogante, altiva "...

Confesso também que tenho pena que as pessoas sejam assim...

Arrogantes, altivas...

Contudo, espero que não se esqueçam que, de uma forma ou outra, caímos do pedestal...
 

 

domingo, 5 de junho de 2016

TER OU NÃO



Hoje não estou inspirada...

Reli o meu rascunho sobre o tema proposto e não estou satisfeita...

Talvez porque não estou bem certa do que é o "Sexto Sentido"...

Continuo confusa; não sei se é intuição ou qualquer coisa paranormal...

Não encontro uma explicação e não sei se a minha opinião é suficiente...

Mas o desafio talvez esteja aí; explicar o que se pensa, sente sobre o assunto...

Discutir saudavelmente... Falar claramente... Ouvir abertamente...

Sobre as dúvidas, as certezas, os prós, os contras...

De se ter ou não um "Sexto Sentido"...