terça-feira, 27 de julho de 2010

MELANCÓLICA




Em dias como este,
o tempo fica estagnado, estrangulado,
suspenso, à espreita.
Dele próprio, de mim...não sei.
Não gosto de dias assim, porque
fico melancólica e incapaz de pensar,
de ver o lado cómico da vida,
de rir alto.
Eu que até gosto de rir alto,
de rir até às lágrimas.
Sinto-me mais livre,
mais leve,
irresponsável mesmo.
Mas há memórias,
há vozes do passado
que não esqueço,
em que a meu riso feliz
se volta a fechar.
Tudo desaparece
e eu própria,
me sinto desaparecida.




Texto já colocado no Facebook e Porosidade Etérea
Texto protegido pelo IGAC - Cópias, totais e/ou parciais, proibidas
Foto de Pascal Renoux, "Elisa" (regards)






sábado, 24 de julho de 2010

INESPERADO


O que há de diferente nas palavras
à noite?
O que há de diferente no sentir
do meu beijo na brisa da noite?

A tua presença e o meu desejo.
O que pensas ter adivinhado
e o que é real.
Porque isto é real,
tão real como escutar o deslizar
do meu corpo nesse refúgio
inesperado que é o mar.
Foto de André Domingos, "Um subtil toque" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias, totais e/ou parciais proibidas

quarta-feira, 21 de julho de 2010

INCONDICIONALMENTE




Amo-te em todo o meu tempo.

Incondicionalmente.

Sem outras palavras

Diferentes das de ontem.

Porque hoje amo-te diferente.

Não tão apressada,

tão sôfrega,

tão brusca.




Talvez seja arrogância minha

ter tanta certeza.

Mas a resposta presente

no meu olhar,

no meu sorriso,

está sempre em ti.




"Deep Blue" foto by Graça Loureiro, Olhares


Textos protegidos pelo IGAC - Cópias, totais e/ou parciais proibidas

segunda-feira, 19 de julho de 2010

MORTAL






Adormeço onde estou.
Por entre o cansaço,
os maus pressentimentos
e pesadelos marcantes.
Adormeço na saudade
que tenho de ti.
Acordo com o teu corpo
deitado em mim.
Num sorriso secreto,
íntimo que faz o
retrato do meu corpo,
que já te atrai,
já te busca,
já abusa de ti,
desperto no que é
subtilmente mortal.


Foto de Luis Mendonça "S/T" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias, totais e/ou parciais proibidas

quinta-feira, 15 de julho de 2010

SIMPLICIDADE



Pequei hoje por orgulho.
Ou talvez não.
Por falar sem rancores,
por aceitar a simplicidade das coisas.
Tal como saber que já não se está
no auge da vida,
mas que ainda não se envelheceu
totalmente.
E, desejar, simplesmente,
- oh, tão simplesmente -
que me beijes o umbigo,
me faças antecipar
uma nova forma de viver o prazer


"Move", foto de Marcus Steinmeyer (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias, totais e/ou parciais, proibidas

segunda-feira, 12 de julho de 2010

VEEMENTE




Continuo inquieta, amor,
com a alma num turbilhão.
Com uma saudade repentina de escrever
sobre as cores.
Desde o branco leitoso
ao azul forte da tempestade.
Num simples retoque,
numa mistura de cores favoritas.
Deixei para trás as cores vivas, vibrantes,
quentes como o Sol
e encantei-me com as discretas da lua.
A paixão, amor, não tem cor definida.
Inflama-se, possuí-nos veemente
e deixa-nos ofegantes.


Foto de Night Fate "Fade Away" (DeviantArt)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias totais e/ou parciais proibidas

sábado, 3 de julho de 2010

INTACTAS






Perder-me no labirinto da lua é

perder-me no teu sorriso e improvisar-me

no sabor do teu beijo.

É escutá-lo contra a palma da minha mão

e saber que não é uma memória distante.

É descer pelo Vento, à procura desse inimigo fatal,

a quem chamo cobarde e ignorante.

O tempo ri-se, porque até sabe o que é paixão.

Ou não me restituiria as tuas carícias intactas.





Foto de Zemotion "Redemption" (DeviantArt)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias, totais e/ou parciais, proibidas