sábado, 24 de julho de 2010

INESPERADO


O que há de diferente nas palavras
à noite?
O que há de diferente no sentir
do meu beijo na brisa da noite?

A tua presença e o meu desejo.
O que pensas ter adivinhado
e o que é real.
Porque isto é real,
tão real como escutar o deslizar
do meu corpo nesse refúgio
inesperado que é o mar.
Foto de André Domingos, "Um subtil toque" (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias, totais e/ou parciais proibidas

6 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Há sempre algo de inesperado no refúgio que é o mar, porque é nesse mar que se moldam os corpos e se sente o beijo soprado na brisa da noite... porque a noite deixa adivinhar a presença e o desejo...

alice disse...

muitas vezes tenho pensado no efeito que a noite tem sobre mim e entendo que fomos privilegiados com dois mundos: o do dia e o da noite. é quase como se fossem duas vidas numa só :) um beijinho, marta.

Nilson Barcelli disse...

Há coisas que à noite têm mais encanto.
As tuas palavras, por exemplo...
Gostei do poema, muito bom.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Daniel Costa disse...

Marta

Poderá haver diferença das palavras da noite, na solidão talvez haja mais disponibilidade para a eloquente sedução.
Beijos

Secreta disse...

Há diferenças que não se explicam...

Carmem L Vilanova disse...

Minha amiga muito querida!
Primeiramente desculpe-me a ausencia dos ultimos dias nas visitas costumeiras ao seu blog... Tive que viajar, voltei gripada, semana de exames escolares de Carmencita, toda uma loucura, mas finalmente pouco a pouco estou voltando a normalidade.
Hoje venho convida-la a participar de uma "Blogagem Coletiva" do blog Espaco Aberto, que eh um grupo de amigos que se juntou para fazer algo bonito e diferente na blogosfera. Se tiver vontade, venha conhecer e participar tambem.
Beijos, flores e meus eternos sorrisos!