domingo, 26 de fevereiro de 2017

LOUCURA TOTAL - PARTE III


Entregam ao sargento a garrafa desaparecida que este, juntamente com o copo, manda para análise.

" Para confirmar a possibilidade de veneno!" murmura Bernardes, mas Leandro está céptico.

Pede para falar com a gerente e os dois sentam-se num dos recantos da livraria perto do café que está já fechado.

" Disseram-me que a Teresa Emanuel escrevia em parceria com o marido, que estão agora separados." pergunta o inspector.

Dolores sorri e confirma: " Tomás Bento. Uma dupla de sucesso. Livros policiais, o Detective Lucas era a personagem principal... Conhece?" e perante o aceno afirmativo de Leandro, continua: "  Depois, separam-se e seguem rumos completamente diferentes. Ela com livros românticos e ele sobre viagens."

" Sabe a razão da separação? Profissional e pessoalmente, ao que parece?"  comenta Leandro.

Dolores volta a sorrir e Leandro repara que ela está perfeitamente calma.

" Creio que não o posso ajudar. Houve muitos rumores sobre o assunto, mas não sei nada de concreto. Apenas posso dizer isto: o Tomás continua a trabalhar com o mesmo agente e editora e a Teresa investiu numa editora nova, que é a responsável pelo lançamento dos livros dela e de outros novos autores."

Leandro toma nota dos nomes, agradece-lhe a paciência e colaboração e fazendo sinal a Bernardes, saí.

Já passa das nove e Leandro resolve jantar num restaurante ali perto.

CONTINUA

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

LOUCURA TOTAL - PARTE II


" Afinal, o que se passa? Porque é que nos chamaram? " pergunta Leandro quando a gerente se afasta na companhia de um polícia " Parece que ela morreu de ataque cardíaco!"

" Pois! O médico legista também pensa o mesmo, mas só o poderá confirmar após a autopsia. " comenta o Sargento e ao ver o olhar incrédulo do Inspector, apressa-se a dizer " Ao que parece, ao princípio pensaram que tinha desmaiado, mas como não dava acordo de si, a agente dela começou a gritar que tinha sido crime e que o responsável era o ex-marido dela!"

" Que história é essa? Mas quem é ela afinal? " questiona Leandro, aproximando-se da mesa e observando o corpo.

" Chama-se Teresa, Teresa Emanuel e é escritora. Este é o lançamento do livro mais recente, o segundo escrito a solo!" esclarece Bernardes.

" Porquê? Tinha uma parceria? Sabe com quem?" O Inspector olha para as mãos da escritora e nota um pequeno golpe no indicador da mão direita. Faz sinal ao fotografo e este tira a foto pedida.

" Com o ex-marido!" responde o Sargento.

" Ok, vamos ter que falar com ele e com a agente. Onde é que essa senhora está? " pergunta o Inspector.

" Teve um ataque de nervos e foi para o hospital. Vou telefonar para lá e ver se sabem de alguma coisa."  confirma Bernardes


CONTINUA

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

LOUCURA TOTAL

O cartaz diz:



" A LOUCURA TOTAL, 

o último livro de Teresa Emanuel

HOJE ÀS 18H00
SESSÃO DE AUTÓGRAFOS "

" mas não diz que a autoria seria assassinada!" reflecte o Sargento Bernardes ao ver o corpo da escritora caído na mesa.

Os livros estão espalhados pelo chão, a cadeira foi derrubada e há uma poça de água no chão.

" Ao cair, a mão bateu na garrafa de água e esta rolou!" pensa o Sargento que pede ao subordinado que tente encontrar a garrafa.

A livraria está fechada, os clientes que estavam na fila estão consternados e os empregados falam baixinho.

Alguém toca no ombro do Sargento que se vira e olha para uma senhora baixinha e sorridente.

" Ainda vamos ficar aqui muito tempo? " pergunta " Estão a ficar impacientes..." remata.

" A senhora é? " pergunta o Sargento e a senhora explica: " Dolores Almeida, gerente da livraria. Responsabilizo-me pelo meu pessoal, mas quem me preocupa são os clientes. Bem sei que são testemunhas, mas...."

" Os meus colegas vão tomar nota dos nomes e dos endereços!" atalha o Inspector Leandro que chegou entretanto. "Peço-lhe, tenha um pouco mais de paciência."

CONTINUA

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

A SEPARAÇÃO - O FIM



Aviso o meu advogado do incidente e ele diz que poderá ser uma vantagem para nós.

A Madalena e o Tobias decidem também avançar com uma queixa contra o Machado; afinal, ele "invadiu" a propriedade deles.

Não sei muito bem como é que o meu ex reagirá a todo este fogo cruzado.

Estou preocupada com o que poderá suceder daqui para a frente e por quanto tempo ficarei ainda presa, se ele continuar a não concordar com o divórcio.

Mas não me devia ter preocupado, pois no fim do mês, o meu advogado telefona-me e diz que o colega, o advogado do Machado, nos convocou para uma reunião dali a dois dias.

" O advogado do Machado?" repito surpreendida " Tem a certeza?" e o Dr Santos ri-se e confirma a data e a hora.

Quando a Madalena regressa e sabe da novidade, comenta, trocista: " Até que enfim que viu a Luz! Aquele tipo é cansativo!"

Por isso, aqui estou eu à espera que o meu advogado me venha buscar para termos a tal reunião e sabermos o que o futuro me reserva.

Tenho apenas a certeza de que o Machado se tornará alguém que conheci e de quem não guardo boas recordações.



FIM

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

A SEPARAÇÃO - PARTE IV


" OH, CALA-TE, IDIOTA! NÃO SABES O QUE DIZES!" grita o Machado.

" Cuidado com a língua!" aconselha o vizinho e o Tobias dá um passo em frente.

Mas alguém chamou a polícia, pois aparecem dois guardas fardados que perguntam:

" Boa Tarde. Querem explicar-nos o que se passa aqui? O Senhor, se faz o favor? Nome, endereço? " 

O Machado fica calado, espantado por o estarem a interrogar. 

O Tobias explica a situação em breves palavras e um dos polícias pede para falar comigo em particular.

" A senhora tem um advogado? Estou a ver que esta é uma situação complicada... Isto vai ficar registrado, mesmo que o cunhado não apresente queixa. Fale com um advogado... Vai precisar de ajuda!" e despede-se.

O Machado também se vai embora, um pouco envergonhado com a figura que fez e nós os três sentamo-nos na sala a tomar café.

CONTINUA

sábado, 11 de fevereiro de 2017

A SEPARAÇÃO - PARTE III


Naquele sábado, ouvimos um burburinho no jardim.

Quando abrimos a porta da cozinha, o Machado e o Tobias estavam a discutir. O Tobias repetia:

" Não entras na minha casa! E se a Eduarda não quer falar contigo, não fala!" mas o Machado insistia e quando me vê, empurra o Tobias com toda a força.

Este caí, mas levanta-se rapidamente e puxa o Machado pelo colarinho. O meu ex-marido atira-lhe um soco, o que faz com que a Madalena grite.

Alguém que estava no jardim da casa ao lado salta a vedação e separa-os antes que eles se magoem.

" EDUARDA! VENS JÁ PARA CASA!!! NÃO ME ESTÁS A OUVIR? AGORA!" ordena o Machado, exaltado.

Sinto-me aturdida, mas a Madalena dá-me um safanão e segreda: " Diz qualquer coisa, idiota!"

" Não, não vou! Já te expliquei porquê, mas volto a repetir. Não sou um objecto; sou uma pessoa e exijo respeito!" digo calmamente.


CONTINUA

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

A SEPARAÇÃO - PARTE II



O Machado telefonou hoje, mas a minha irmã recusou passar-me o telefone.

Diz que a tentou intimidar, mas ela manteve-se firme e desligou.

Recebi uma proposta de trabalho que estou a considerar.  

A empresa propôs também uma formação com a duração de seis meses e eu, que sei que estou um pouco desactualizada, não posso recusar.

Começo na próxima semana e sei que o ordenado não é dos melhores.  Mas não me posso queixar nem sequer culpar o Machado por me ter obrigado a ficar em casa.

Eu é que não defendi a minha vida... Ainda a posso controlar...

Por isso, iniciei o processo de divórcio que vai ser complicado.

O Machado voltou a telefonar... Gritos, ameaças a que o meu cunhado respondeu com um seco:

" Voltas a dizer isso e apresento queixa na Policia. Aproximas-te desta casa, da minha família e da Eduarda... e eu apresento queixa na Policia. Compreendes?"

Mas o Machado é tão arrogante que não sei se compreendeu...



CONTINUA

sábado, 4 de fevereiro de 2017

A SEPARAÇÃO


Deixei-o...

Tive coragem de o enfrentar e saí de casa sem olhar para trás...

A discussão foi terrível, mas foi bom dizer-lhe tudo o que me estava na alma...

A indiferença... A arrogância... O controlo... 

Há quantos anos não falávamos como casal? 

A pergunta surpreendeu-o e foi incapaz de responder.

" Não sou um objecto! Sou uma pessoa e mereço respeito!" repeti e voltei-lhe as costas.

Ignorei a ordem de " Volta já aqui! Estou a falar contigo!" e aqui estou eu no comboio até ao Sul.

Vou viver uns tempos com a minha irmã.  Até organizar a minha vida...

O resto....  Penso depois....

 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

CRÓNICA


Às vezes, penso...

Que estou no local errado com as pessoas erradas... 

Nas costas, chamam-me "burra" e talvez o seja de facto... 

Mas, por mais voltas que dê, não consigo compreender o fascínio em dissecar vezes sem contas um assunto que está já resolvido.

Se já está resolvido, não há mais nada a fazer... 

E claro está que podemos não ficar satisfeitos com o resultado.

Mas aprendemos alguma coisa? Ficamos com as ferramentas necessárias para resolver situação semelhante de uma forma mais rápida e eficiente?

Se a resposta é sim... temos que avançar e não perder mais tempo...

Complicado, não é? Ou serei eu quem está a complicar?