sábado, 4 de fevereiro de 2017

A SEPARAÇÃO


Deixei-o...

Tive coragem de o enfrentar e saí de casa sem olhar para trás...

A discussão foi terrível, mas foi bom dizer-lhe tudo o que me estava na alma...

A indiferença... A arrogância... O controlo... 

Há quantos anos não falávamos como casal? 

A pergunta surpreendeu-o e foi incapaz de responder.

" Não sou um objecto! Sou uma pessoa e mereço respeito!" repeti e voltei-lhe as costas.

Ignorei a ordem de " Volta já aqui! Estou a falar contigo!" e aqui estou eu no comboio até ao Sul.

Vou viver uns tempos com a minha irmã.  Até organizar a minha vida...

O resto....  Penso depois....

 

3 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Uma decisão complicada. Difícil! Uma decisão de vida que muitas vezes se toma demasiado tarde... uma dúzia de linhas que mais não são que a vida de cada vez mais pessoas... mas há que partir quando chegou a hora de partir...

Graça Pires disse...

Às vezes as decisões têm que ser tomadas sem olhar para trás. Depois se verá o que acontece...
Uma boa semana, Marta.
Beijos.

Agostinho disse...

Boa tarde, Marta. Há milénios que me dilui mas não perdi o rumo e o tino. E, aqui estou.
Há horas assim em que a água que foi subindo no copo (no corpo e espírito) transborda, tanta vez de forma imprevista. Às vezes ainda se ilude com ais a correnteza que escorre... O pior é quando o copo estilhaça em mil bocados.