sábado, 11 de fevereiro de 2017

A SEPARAÇÃO - PARTE III


Naquele sábado, ouvimos um burburinho no jardim.

Quando abrimos a porta da cozinha, o Machado e o Tobias estavam a discutir. O Tobias repetia:

" Não entras na minha casa! E se a Eduarda não quer falar contigo, não fala!" mas o Machado insistia e quando me vê, empurra o Tobias com toda a força.

Este caí, mas levanta-se rapidamente e puxa o Machado pelo colarinho. O meu ex-marido atira-lhe um soco, o que faz com que a Madalena grite.

Alguém que estava no jardim da casa ao lado salta a vedação e separa-os antes que eles se magoem.

" EDUARDA! VENS JÁ PARA CASA!!! NÃO ME ESTÁS A OUVIR? AGORA!" ordena o Machado, exaltado.

Sinto-me aturdida, mas a Madalena dá-me um safanão e segreda: " Diz qualquer coisa, idiota!"

" Não, não vou! Já te expliquei porquê, mas volto a repetir. Não sou um objecto; sou uma pessoa e exijo respeito!" digo calmamente.


CONTINUA

3 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Hummm, fico com curiosidade: o que motivou o conflito entre os dois homens e o porquê da indecisão e a opção de ficar na retaguarda por parte da narradora... ingredientes mais do que suficientes para estar atento à continuação...

Majo Dutra disse...

Está emocionante!
Ótima semana.
~~~~~~~

Agostinho disse...

Agora, boa noite.
E se isto fosse apresentado. Representado? Em quantos quadros ou actos. O drama caminha a passos largos para o desenlace. Sem querer adivinhar ou forçar, tragédia?
Bj, Marta.