segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

RIMAS FÁCEIS

Não posso negar a noite tumultuosa de ontem
Desencontreei-me de mim
Guerreei os meus próprios sentires
Iludi os meus pensamentos
Feri-me de morte

Surpreendo a madrugada de hoje
Com o doce entoar de uma canção de embalar
Rimas fáceis
Palavras simples e claras
Como o riso das crianças que ouço ao longe

Invejo-as
Quero voltar ao passado
Mas que passado, se de tal nem nemórias tenho?



Foto de Nicoweb "Old Man" (DeviantArt)

7 comentários:

Capitu disse...

Não há memória, porém há um sentir.

Porque algo sempre fica ..


beijooos

R.B.Côvo disse...

Voltar ao passado, quem nunca o desejou? Abraço.

Secreta disse...

Há sempre algo na memória...por vezes escusamo-nos a ve-lo, apenas.

Daniel Costa disse...

Marta

Profundamente! Mas há que seguir em frente, idade de criança será sempre pensar poesia.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

O passado é feito de pedacinhos de risos de crianças , moldado com palavras simples e claras como o doce entoar de uma canção de embalar!

Liene disse...

Somos assim feitos de contrários inconstantes...

Versos sentidos ao extremo!

Que você tenha uma semana iluminada

Beijo no seu coração

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes o passado tem boas memórias, outras vezes nem por isso.

regressa ao presente é melhor.

beij