domingo, 22 de novembro de 2009

PÓ DA LUA




Não sei porque acordei.


Não sei com quem sonhei.


Nem porque me lembrei


do pó da lua.


Em que a onda do teu cheiro,


seguro de si,


do seu destino,


paira ainda.











Onde está o meu cheiro?


Por onde vagueia?


Na loucura do momento..


Marca-te também,


nesse pó da lua,


aquietando-te no meu peito.





Foto de Daniel Pedrogam "Just a Kiss" (Olhares)

Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas

11 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo poema!
Prazer momentâneo marcado pelos sentidos
Momento invocado para aliviar a dor
Momento que atende pela memória
Marta!
Aprecio muito essa fase de memória sensorial
Gostava eu de ter esse "Pó da Lua"
Beijos querida amiga
Renata

Carmem L Vilanova disse...

Linda amiga...
Depois de uma super gripe, que felizmente nao foi a suina, passo para deixar-te beijos, flores e muitos sorrisos... e que tua semana seja linda!

Eu Sei Que Vou Te Amar
Viver Integral

Pekenina disse...

Hummm... Se gostei da tua poesia conseguiste pôr a cereja em cima do bolo com esta entrada de Fernando Pessoa... Vejo que o espaço está diferente. Está giro... Mais sexy, diria até ;)

Beijinho

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Acabei de chegar de viagem e Jota Cê ainda está voando, chega só à noite. Estou com tanta saudade de vocês, acreditam? Esse carinho pelas palavras faz uma falta, mas sei que vocês sabem que essa ausência foi por uma boa causa. Amanhã é nossa blogagem coletiva e vou esclarecer o método para alguns que não entenderam:

1- Todos os participantes vão ter que postar o seu conto/texto no seu blog com o selo da postagem.
2- Só vai participar do sorteio do orkut e das bíblias quem participou da blogagem
3- O sorteio do orkut vai ser pelo randon e vou dar um jeito pra ser filmado no dia 25/11
4- A votação da blogagem começa no dia 25/11 e todos os participantes irão concorrer.

Agora vou ver se durmo um pouco... tô numa saudade que nem sei... a distância maltrata, mas o amor acarinha com aquele dengo danado de bom.

Beijos jogados no ar, sempre!

Rebeca


-

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Marta,

Não tem horário específico, mas o blog inscrito é "com amor", então a postagem tem que ser lá, viu?

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Marta disse...

Pekenina, obrigada pela visita.
Creio que te estás a referir ao poema de Fernando Pessoa que escolhi para dar as boas-vindas aos meus comentadores.
Todos os textos/poemas deste blog são de minha autoria e nas raras vezes que trabalhei com outra pessoa, o nome dela aparece ao lado do meu.
Como aliás, indico o título da foto, o nome do autor e o site donde tirei a foto com que ilustro os meus textos.
Geralmente, não respondo a comentários; isto é apenas um esclarecimento.
Beijos e abraços
Marta

Nilson Barcelli disse...

Esse pó da lua deve ter poderes mágicos, querida amiga.
Gostei imenso do poema, Marta. Parabéns pelas tuas palavras, muito poéticas.
Boa semana, beijos.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, lindo poema...Espectacular....
Beijos

José Rui Fernandes disse...

"Doce pó, o pó da lua!", assim diz o coração...

Fragmentos Betty Martins disse...

.__________querida Marta









marcas em cada palavra

.os



aromas do sentir

nesse

pó.da.lua

____________seguro da mais bela poesia____...








_______________///








beijO______ternO
boa.semana

uminuto disse...

e das tuas palavras soltou-se um abençoado pó de lua que desperta dos sentidos para o prazer
um beijo