domingo, 4 de outubro de 2009

CONTRADIÇÃO



Escondo-me.
Do meu reflexo.
Da tristeza que
insiste em escurecer os meus dias.

Fujo.
Do meu próprio retrato.
Mas não de mim.

Uma contradição,
eu sei.
Mas sempre
uma viagem alucinante.





Sempre que viajo em mim,
levo-te no coração.

Penso em ti,
mas não te procuro.
Atravesso um deserto,
mas não te provoco.
Não te escondo as minhas dúvidas, mas
sei quando não me escutas.


E, então,
parto sozinha.


Foto: Desconheço o autor - enviada por mail
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas
Texto já colocado no WAF

8 comentários:

Carlos Albuquerque disse...

Belo texto!
A viagem por nós!
O confronto entre o ser que existe no nosso interior e o que vive fora dele.
Esta dualidade é o paradigma da vida tão bem aqui colocado.
Bom Domingo, minha amiga
Abraço

Graça disse...

Uma viagem introspectiva... nas contradições do sentir.



Beijos, Marta... gostei muito do poema.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Marta!
Incrível! Pelos poemas em si e pela mossa sintonia! Tenho 2 poemas que se casam perfeitamente com esses dois seus. Marta, algo acontece! Mande e-mail, dizendo se a próxima pode ser uma dobradinha ou se vc já mandou para alguma editora.
Lindo, muito lindo! Vou almoçar!
Boa tarde!
Beijos,

pin gente disse...

o coração leva sempre alguém na sua viagem
beijos

avlisjota disse...

Pois levamos sempre algo quando viajamos, mesmo quando estamos sós...
è sempre alucinante viajar...

olha bem que me apetecia fqzer uma longa viagem agora...

Beijos

José

Sofá Amarelo disse...

Partir sozinho para qualquer lado - nem que a 'viagem' seja curta - é sempre uma decisão muito própria - vezes há que partimos sozinhos porque sentimos necessidades de estar mesmo sós... outras o escurecer dos dias faz com que nos sintamos sós... mesmo que rodeados de uma grande multidão...

Nilson Barcelli disse...

Uma viagem ao centro de ti...?
Todos nós somos um conjunto de influências, de contradições.
Gostei do poema, muito bom, como sempre.
Boa semana, um beijo querida amiga.

UIFPW08 disse...

Feche a sua maneiras estou olhando
com que a beleza que a esgotar-me como o vento,
com a felicidade que eu li nos seus olhos,
Desta vez gostaria .. doce como você é.

Aqui eu não tenho limites, não tenho medo .. .. Estou com você.