segunda-feira, 18 de outubro de 2010

BONITA

Escrevo-te e descrevo-te
num poema de amor
que não consigo terminar.

São pequenos detalhes,
como sorrisos e olhares,
que fazem com que eu
deixe de escrever,
divague,
vagueie por aí.

Aparentemente sem rumo,
calada,
pensativa.

Sinto-me apenas bonita.



Foto de Graça Loureiro "Prelimpimpim" (Olhares)

6 comentários:

Guilherme F. disse...

E que mais se pode pedir ao receber as palavras de uma mulher "bonita"...só mesmo saber que partilha o gosto por um filme tão espectacular..(podia dizer bonito...mas era pouco,muito pouco!): Lawrence.
gostei de te encontrar bonita....
bj
Gui
coisasdagaveta.blogs.sapo.pt

Sofá Amarelo disse...

O fluir suave das palavras que não precisam de descodificador, tanto mais que os poemas de amor nunca estão terminados, pode-se sempre acrescentar pequenos detalhes para que eles fiquem sempre mais... bonitos!

Secreta disse...

Bonita, nas palavras e nos sentires :)
Beijito.

alice disse...

é tão bom sentir-mo-nos assim :) oxalá este poema seja tão linear como parece :) um grande beijinho, marta*

JPD disse...

Eis a exaltação de um sublime estado de benquerença.
Belo.
Bjs, Marta

avlisjota disse...

Lindo Marta continua assim, bonita!

Bjs

José