segunda-feira, 25 de outubro de 2010

SCHUBERT

Há palavras que não são meras palavras.
São simples, mas majestosas;
elegantes, mas nunca frias.

São um grito,
um desejo,
um milagre
numa carta antiga,
guardada religiosamente.

Estar sozinha e escolher Schubert
como música de fundo.

Pensar e não pensar em ti,
confessar-to ou não,
deixo que seja Schubert
a dizer-to.



Foto de Iuri Capretz "Caminho de uma vida" (Olhares)

6 comentários:

AC disse...

Muito bem conseguido, Marta!
Gostei muito!

beijo :)

JPD disse...

E fá-lo-á com elegância e muita estética.
Bjs

Carmem L Vilanova disse...

Querida amiga,
Que lindo poema!
E com Schubert como música de fundo, nada melhor!
Beijos, flores e muitos sorrisos!

alice disse...

muito bonito, marta :) também gosto imenso de schubert :) beijinhos*

Sofá Amarelo disse...

Nada melhor que escolher Schubert e apreender cada nota, cada som, cada movimento musical para que os desejos se transformem em gritos fechados em cartas antigas e enviadas por correio através das palavras que nunca são meras palavras!!!

avlisjota disse...

Belo Marta, belíssimo. Gosto muito!

Excelente! Os meus parabéns.

José