terça-feira, 28 de novembro de 2006

SEMPRE

Sempre charmoso, galanteador, o vento beija-me os lábios.....

Desconfiada, olho-o nos olhos...

Impossível não ver à minha frente a tristeza espalhada
no largo painel de folhas,
violadas,
humilhadas,
trucidadas pelo vendável.........

Gentil troça, nos olhos lhe leio......

Como sempre.............

Um desafio a enfrentar......

Suspiro e sempre com o vento,
Ou, a levantar-me o cabelo para juras de amor eterno ao ouvido me fazer
Ou, apenas acariciar a minha face gelada,

Me apresso..........

Para na rotina reentrar.......

3 comentários:

angel bar disse...

Bom dia Marta hoje apetece-me deixar aqui: "O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê" (Platão). Não o contemplamos mas ele está lá e o seu poder é supremo... Beijinhos

Alexandre disse...

No largo painel de folhas expresso aqui a minha gentil troça, nos olhos que leio... também suspiro... e sempre com o vento... também reentro na rotina...

Pierrot disse...

Vá lá, dá-lhe uma hipotese pois pode não estar a troçar ;-)

Bjos dqui
Eugénio