terça-feira, 12 de dezembro de 2006

LONGA CARÍCIA


Geladas...

Estamos....

Mexer os dedos...
Inchados e vermelhos..............

quase não podemos.............


Desorientadas nos sentimos.............


Ansiosas.......


Limitadas pela dor,

até de saudar o dia nos esquecemos.........


Não sorrimos, não falamos,
apenas visíveis nos queremos tornar....
Voltar a fazer parte do corpo,
que se dispersa, ele próprio
neste universo gelado.....

Lenta, dolorosamente,
o sangue espalha-se.........
numa dança circular.......
Fluído, contorce-se, jorra........
Até ao nosso encontro.............

Sempre a dançar, devolvendo a alegria de,

finalmente as mãos
se erguerem e tocarem o rosto.........

Numa longa carícia............




5 comentários:

Alexandre disse...

Nem o frio nos dedos, nem as mãos geladas podem impedir de fazer uma carícia... ou mais carícias... o frio só está nos dedos e nas mãos, porque a alma - essa - pode estar sempre quente...

Pierrot disse...

E que essa caricia aqueça o coração e as mãos, já agora, pois até doi os dedos de teclar.
Irra...
Linda
Bjos daqui
Eugénio

Anónimo disse...

Frio: gela o corpo, mas nunca a alma.
bjs

DE PROPOSITO disse...

'Numa longa carícia'.
_________________
Creio que com carícias não há frio que chegue. As carícias afectuosas são calor para o corpo e para o espírito. É claro que tudo tem a sua limitação, e se uma pessoa digo um homem e uma mulher estiverem desabrigadas não há carícias que as aqueçam.
E em jeito de carícias, deixo-te beijinhos.
Manuel

Anónimo disse...

E tanto que eu queria receber caricias, mesmo de mãos geladas...

Um doce sonho.