domingo, 17 de dezembro de 2006

AZUL E CASTANHO

Do castanho, não me posso esconder…………..
Apenas o misturo com o azul……….

O azul dos meus jeans……………

Que não vês,
porque são os meus olhos que queres e procuras………

Definir o meu olhar???

Apenas que….
Anseia pelo teu…………….

Deixa que te desafie……….

Deixa-te guiar
pelo que de mim sabes e sentes,
encontra-me.....
Olha-me de frente……….

No meio desta multidão, que doida,
desce e sobe num frenesim Santa Catarina…………
Nunca de mim o olhar desvies..................

Uma dica?
Herdei o castanho,
o mesmo de quem a vida me deu………………

7 comentários:

belakbrilha disse...

Gostei desta maneira de te expressares!!
Tb herdei a cor castanha
dos olhos meus!! ;)

C_BRITTO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
C_BRITTO disse...

Viva viva Marta!!!Belissímo poema, como sempre escrevendo coisas lindas de se ler, amei os castanhos... sinto tua falta lá no nosso CANTINHO.

Bjos no teu coração, e boa semaninha!

Peter disse...

Olá Marta, vim aqui desejar-te Boas Festas.

Quanto a 2007 depois se vê.

Alexandre disse...

Azul, castanho, verde, amarelo, encarnado....

Que importam as cores?

A alma, essa sim, tem que ser colorida, multicolor... uma mistura de cores e de sensações, com cores inventadas, misturadas, mesmo que não existam...

A cor somos nós que definimos!!!!

Anónimo disse...

Querida amiga...
Aproveito hoje para deixar os votos de um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de Paz e Prosperidade!
Beijos, flores e muitos sorrisos... sempre!

PS: Amiga... estarei de mudanca nestes ultimos dias do ano e em janeiro estaremos nos comunicamos com mais frequencia... :o)

Teresa David disse...

Castanho da árvore e azul do céu uma mistura que faz transportar em ti as cores da natureza.
Bjs
TD