quarta-feira, 1 de fevereiro de 2006

PLANOS "FURADOS"

Realmente não posso fazer planos!
Eu, enroscada nos cobertores, quentinha, na fronteira entre o dormir e o acordar relutante, a imaginar o meu chá, à moda antiga, mesmo sendo eu a única convidada e eis que alguém me acorda, bruscamente, sem dó e piedade.
Como não me "matei" na pressa de impedir o meu Pai de sair de casa às 05h40 da manhã, é inexplicável.
Mas o meu Pai, com 83 anos, comporta-se como uma criança e uma criança rebelde a quem, por vezes, é preciso ralhar.
Agora que acalmei e vejo o ridículo da situação, rio-me e corro o risco da Snra Isabel, que entrou agora na minha sala, achar que eu enlouqueci.
Só que episódios como este repetem-se
e como insistem em estarem sozinhos, sem ninguém durante o dia, o que é que poderá acontecer enquanto eu e a minha irmã estivermos a trabalhar?
Ultimamente estou a falar muito dos meus Pais e peço desculpa se vos aborreço, mas estou preocupada,
sinto-me frágil, porque começo a não ter força física para os ajudar.
Daí a razão de quer fazer ioga, para aprender a relaxar
e quem sabe?
fazer com que eles se riam enquanto demonstro o
que aprendi na aula.
Uma hipótese muito remota,
pois creio que eles até já perderam a vontade de sorrir.

1 comentário:

zezinho disse...

Minha amiga, não são os nossos pais o nosso maior motivo de preocupação?
Entendo-a e desejo que tudo retome alguma regularidade.
Um beijo