sábado, 18 de fevereiro de 2006

ESCREVO-TE

Escrevo-te
para preencher o tempo que me sobra e que tu dizes não ter!
Escrevo-te para, e tal como a Mrs Dalloway,
apagar o silêncio a que me votaste.
Escrevo-te
para afugentar os meus medos, que tinha ultrapassado
e que trouxeste de volta.
Escrevo-te
para desanuviar as minhas hesitações, que não soubeste acalmar!
Escrevo-te
para gritar bem alto a minha frustração
por não ter sido, uma vez mais compreendida;
a dor por ver que, uma vez mais, não sou nada!
Escrevo-te
para falar da injustiça que é ver a minha paixão ser desperdiçada!
Escrevo-te
para lamentar que nem amigos ficamos!
Escrevo-te
para terminar com o meu “luto”;
para recomeçar a minha vida que suspendi por tua causa.
Escrevo-te para dizer que nada mais há a dizer – apenas “adeus”!

P.S: Tive a ideia de escrever este texto ao ler “Perdidos no Correio” da Revista “Pública”.
Mrs Dalloway é um romance de Virgina Woolf e é o elo de ligação entre as 3 mulheres do livro “The Hours” de Michael Cunningham

1 comentário:

Carmem L Vilanova disse...

Amiga, como comentei no outro blog.. nada como um dia após o outro para que tudo se resolva dentro de nossa cabeça... assim é a vida, misteriosa por si mesma, e isso é o que a faz tao fantástica... :o)
Gosto quando tomas atitudes positivas com relaçao a ti mesma, mais do que em relaçao aos outros.. nao somos eremitas e necessitamos de gente ao nosso redor para viver, essa é a natureza do ser humano, mas o que nao precisamos é estar atados às necessidades dos outros para que nos sintamos verdadeiros seres humanos... neste ponto necessitamos somente de nós mesmos, de sentirmo-nos bem conosco mesmo... e para isso necessitamos, antes de qualquer coisa, de uma atitude determinadamente positiva... isso é bom!
Um lindo fim de semana para ti, querida amiga!