domingo, 18 de junho de 2006

HISTÓRIAS DO MAR

Ontem, a maré estava vaza…

Saltei as pocinhas, galguei os rochedos…

E sentei-me, na posição de Buda, de olhos fechados…

Até que o mar me arrebatou, num tango frenético, num rodopiar de

Histórias de embalar de

piratas barrigudos e zarolhos presos nos labirintos do tempo

de castelos esculpidos nas rochas com paciência e devoção pelas sereias,
enquanto suspiram pelos amados

de grutas perfeitas para encontros de amor clandestinos

de novos caminhos para aventuras impossíveis

Histórias o mar me contou e que lembro agora,

para esquecer a dor e a saudade por não te ter aqui…

4 comentários:

BFC disse...

O mar é idilico para nos provocar sensações e tem a magia eterna de ir e vir em ondas de paixão que levam quem queremos mas o trazem de volta na crista de outra onda onde a espuma não é mais que todo o amor que escorre de nós beijando cada pedaço de corpo que para nós nada. Mantem-te agarrada a esse mar e serás feliz e nada, nada muito nessas ondas da vida que Deus pôs no mundo para que possamos decidir, recordar ou simplesmente viver.

Bjs e bom domingo

Peter disse...

Vim desejar-te um Domingo bem passado e agradecer a assiduidade da tua presença no n/blog.*

125_azul disse...

O mergulho da sereia e o pescador de pérolas.. sempre em desencontro.

AS disse...

Querida Marta, quanto maior for o tempo de espera, mais intenso é o momento do reencontro...

Um beijo