quinta-feira, 29 de junho de 2006

ESCONDER NA NEBLINA



Escondo-me na neblina...

Quero tornar-me invisível....

Pelo menos, hoje quero esquecer o som da minha voz, a cor dos meus olhos, a suavidade da minha pele....

O meu nome, o que significa e como soa, cristalino e doce, nos teus lábios....

Nem me importo do frio que sinto e que não tento combater....

Deixo que me inunde a alma, que me pese no coração – esta tristeza que me crucifica e arranca a alegria dos meus dias....

Encolho-me, encosto-me, cubro-me toda e procuro ficar em silêncio, que
abre alas aos primeiros acordes do Concerto de Vivaldi...

As "4 Estações" – que sei de cor, de tantas vezes que o ouvi
e involuntariamente, os meus lábios esboçam um pequeno sorriso...

5 comentários:

a lice disse...

Confesso que também aprecio bastante Vivaldi!

Beijinhos.

125_azul disse...

Gosto que acabes em sorriso! Grata pelo teu miminho. Já não quero ser couve! Foi só ontem, estava magoada e lixada da cabeça, foi o culminar de 3 meses horriveis que começaram com uma gravidez ectópica, passaram por quimioterapia e acabaram em hipertensão e umas coisitas mais. Já estou mais centrada e decidida a não deixar que me abata. Não é por ser valente, é porque acho uma chatice sentir-me triste. Ser feiz é tão melhor! Beijinhos. Sorri

Pitucha disse...

Deixa-te embalar nessa música até sorrires de novo!
Beijos

Ana disse...

Bem, depois de ficar triste ao ler a primeira parte do post acabei por também esboçar um sorriso!

Beijinhos, linda!

o alquimista disse...

Gstei que me inundasses a alma com o permume do teu espaço... voltarei se não te importare...

Um beijinho "O ALQUIMISTA"