sexta-feira, 30 de junho de 2006

AINDA COM VIVALDI



A lua insinua-se e deixo de ser invisível...

Apenas ouço a música serena e suave de Vivaldi
que me faz recuar até ao mundo barroco do compositor...

Sentindo e vivendo as transformações da natureza,
Tal como a música as descreve...

Adormeço finalmente...

Em cima de uma nuvem suave,

Cheia de fantasia,

Com os círculos que os raios da lua enfiam uns nos outros,

Tecendo uma teia à volta dos planetas e destacando as constelações
longínquas e desconhecidas,

numa azáfama tal que
o próprio tempo se sente perdido e foge.....

5 comentários:

o alquimista disse...

Em cima de uma nuvem suave, é extamente como me sinto ao ler os teus textos e a lua, esta tua lua deve ser fascinante.
Obrigado pela visita.

Um beijinho "O ALQUIMISTA"

Su disse...

:)
ando a tentar perceber, o que se passa aqui!!
dias sim, dias não...
enfim, é o q se passa aqui tb!
alias, o q s passa por todo o lado, tolo é quem pensa o contrario!

beijo para um dia sim!

BFC disse...

a lua é mesmo boa companhia e quando se junta a uma nuvem não há melhor

Betty Branco Martins disse...

Minha querida Marta

Apanhaste-me pela pontinhas dos cabelos, que já estavam a esvoaçar:))

Claro, que quando eu voltar quero encontrar-te aqui, pois então!!!

Ao ler o teu poema ouço no meu imaginário Vivaldi "Largo e pianissimo sempre" é maravilhoso.....

...e o tempo que se sente perdido - acabou por fugir...

Belíssimo

Um grande beijo cheio de ternura

125_azul disse...

Por isso o sol anda escondido! Envergonhou-se com a beleza leve da tua Lua... beijinho, bom fim de semana!