sábado, 10 de junho de 2006

CASO NECESSITEM DE UM ABRAÇO

Foi a andorinha, que pousou no beiral, talvez perdida e a chamar pelo resto do bando, que me acordou.

De um sono, onde tropecei em ti, deslumbrei-me e deixei que me conduzisses àquele mundo em que apenas os sentidos vibram.

Onde o teu riso iluminou os meus dias, onde as minhas incertezas, que tinham naufragado no esquecimento e se ergueram agora novamente, estilhaçaram em mil pedaços…….

De um sono, que apaziguou a minha revolta e donde emergi limpa e lutadora.
Vou fazer chá, deixar que, enquanto arrefece o seu aroma de frutos silvestres se propague pela casa, se entrelace com o vento, que vou deixar entrar à vontade

Depois, vou escolher a toalha, pôr a mesa e deixar tudo pronto para se tocarem à porta, poder oferecer um refresco….

E um abraço também, acaso necessitem disso
………..

2 comentários:

AS disse...

Marta... as andorinhas sempre voltam!

Um beijo

lazuli disse...

Eu preciso..