domingo, 9 de abril de 2006

REDIMIR OU NÃO


Se há coisa que eu aprendi nesta minha viagem pela galáxia foi que o tempo não é ilusão e cada minuto do meu tempo foi conquistado.

Milímetro por milímetro; tempo que eu não sabia como controlar, pois sempre vivi de tempo emprestado, do tempo dos outros.

É por isso que cada minuto se torna precioso e perder tempo a pensar na vida vazia de quem não sabe o que fazer com o dele é deixar que o meu se evapore!

Reli vezes sem conta a frase da Audrey Hepburn:

As pessoas, mais que as coisas, devem ser resgatadas, redimidas, consoladas.”
e sei que isso é possível, porque eu própria fui resgatada e consolada.

E hoje, só Deus sabe porquê,
estranhamente acordei com a sensação de que tu continuas a cuidar de mim.

Mesmo sem haver já um envolvimento romântico!
Talvez porque aceitei,
porque voltei a controlar o meu tempo,
estou novamente a “varrer” os meus pesadelos
e o meu pânico e “agarrei” novos projectos!

Se isto não é "redimir-me", não sei o que será!

1 comentário:

lazuli disse...

o essencial é quereres, seja isso redimires-te ou não. Acho que não é.
Beijos..