quinta-feira, 27 de abril de 2006

MIMO



Hoje está nevoeiro e a pergunta que se faz é: será que vai chover?
Deixei a janela aberta e o cheiro a maresia invade a sala – e apetece-me esquecer propositadamente as minhas responsabilidades, seguir a vozinha trocista do meu coração, correndo para apanhar o autocarro e sair lá em baixo na Foz.
O local ideal para desanuviar, esburacar as teias de aranha, que se acumulam, mesmo sem darmos conta, no lado escuro da mente.
Até posso saltar do passeio, descalçar os sapatos e afundar os pés na areia – seguir a linha do mar até ao fim.
Mesmo com o nevoeiro – mesmo que a brisa que se levanta seja fria!
Mesmo que não veja ninguém – o mar acalma-me, segreda-me palavras de conforto e hoje eu preciso mesmo de um abraço!!!
Muito apertado e dado de coração!!!

3 comentários:

Pitucha disse...

Aqui vai um abraço apertado, do fundo do coração. Nao será aquele por que ambicionas, mas sempre servirá para fazer uma festinha na alma.
E o nevoeiro levanta-se para dar lugar ao sol.
Verás!
Beijos

amita I disse...

Quando acordei e vi a neblina lá fora, pensei "ainda bem que vem o electricista arranjar a campaínha da porta". Mas cá entre nós te digo que, se não fosse esse compromisso, tinha descido a Avenida e com o abrigo de um livro, lápis e papel, sentar-me-ia nos voos da maresia numa esplanada da Foz.
Daqui, de tão perto, te mando um abraço com muito carinho.
Um bjo e uma flor

AS disse...

Sim Marta... por vezes precisamos de um abraço!
Deixo-te um com muito carinho...