quarta-feira, 19 de abril de 2006

LEITURA EM DIA



Ontem, falei dos cheiros da casa, da nossa infância, impossíveis de esquecer e provavelmente nunca recuperados.
Hoje, falarei do cheiro dos livros – o que nem todos entendem e sei que os mais cépticos se riem!
Mas os amantes de livros sabem do que falo – até são capazes de encontrar de olhos fechados um determinado livro!
Com páginas amareladas, tão finas que ameaçam rasgarem-se a qualquer momento –sinal de que o livro foi lido e relido muitas vezes, se tornou uma preciosidade, uma relíquia, porque acompanhou a vida de uma ou mais pessoas, e foi amado.
Amado, sim, porque os livros amam-se;
simplesmente porque marcam uma época da nossa vida – ou porque estamos infelizes e encontramos na leitura um refúgio ou porque estamos apaixonados e aquele livro é um presente desejado.
Com certas partes sublinhadas a lápis, para chamar a atenção, ou para a beleza da frase ou a verdade do conteúdo.
Ou com as páginas ainda ásperas ao toque, a cheirarem a novo, a tinta, a capa colorida, cuidada e brilhante.
Qual será a história deste livro?
O que é que vai significar para as nossas vidas?
Isso é o segredo de cada um – pode ou não ser partilhado, conquistado ou escondido para sempre!

P.S.: O Quadro é de Van Gogh - achei apropriado!!

2 comentários:

Tribunal_Beatas disse...

Olá! Há uns tempos atrás falou-se na leitura de livro no computador, através da Internet. Nunca achei que a medida tivesse muito sucesso e pelos vistos não estava muito enganada. A verdade é que nada substitui o pegar no livro, o folheá-lo, o sentir o seu cheiro... Enfim, nada substitui as sensações de que aqui falas e que tão bem caracterizam o livro.
Beijinhos

Pitucha disse...

O cheiro e o barulhinho das páginas a descolar...
Que bom!
Comigo os e-books não vão pegar.
Beijos