sábado, 29 de abril de 2006

NA CASA DE SERRALVES

Ao entrar na Casa de Serralves, não é o comprimento da sala principal nem a cor quente com que pintaram as paredes que nos atraí.
São as portas envidraçadas, que ocupam toda a extensão da parede do fundo e que abrem para o jardim, dando-nos a sensação, patente aliás em qualquer parte da casa, que há ali um equílibrio perfeito.
Como se o jardim fosse o prolongamento da casa...........
Um não pode existir sem o outro......
A própria exposição de móveis Art Deco enquadra-se no espírito da casa - aberta, luminosa e terrivelmente feminina.
Os cristais, os candeeiros, as madeiras preciosas, os tampos em mármore - tudo muito elegante, delicado, subtil...
Como se estivessemos suspensos no ar, presos na época dourada e louca de 1920, 1930!

2 comentários:

AS disse...

Marta, Serralves é sempre um local onde nos encontramos aom a história, com o presente e com o futuro!...

Um beijo

Pitucha disse...

Talvez não fosse má ideia pensar em fazer turismo em Portugal.
É que nunca estive na Casa de Serralves...
Beijos