sábado, 29 de abril de 2006

JOVEM DE ESPÍRITO

Às vezes, fico sem saber se devo ou não considerar
um elogio dizerem-me que sou “jovem de espírito”.
Confesso que fiquei surpreendida quando a minha Mãe – tão conservadora, tão exigente e autoritária – mo disse. Mais ainda quando acrescentou “ser uma boa coisa”.
A expressão “parar é morrer” é sobejamente conhecida e não estou a negar a idade que tenho.
Um dia, eu vou ter que parar – porque, por uma razão ou outra o mundo vai deixar de ter interesse, evoluir não vai significar mais nada e simplesmente nada mais vai despertar interesse.
Contudo, até lá não vejo qualquer problema em tentar desvendar os enigmas do mundo e das coisas, ficar frustrada quando a solução nos escapa e recomeçar, aproveitando o que é positivo e destruindo o negativo.
Esteja-se na década dos 30, dos 40 ou dos 50!!!!

2 comentários:

AS disse...

Marta, neste mundo em plena convulsão, onde tudo acontece em vertigem, desvendar enigmas não é fácil... mas concordo que é um aliciante desafio!...

Um beijo

Pitucha disse...

Exactamente. O meu lema é conhecer, conhecer, para não morrer estúpida.
Beijos