domingo, 12 de março de 2006

PASSARINHO NA JANELA

Escrevo-te
não para preencher o tempo
nem para mendigar a tua atenção
Escrevo-te
simplesmente para dizer que
compreendo finalmente a razão do teu silêncio
Escrevo-te
para dizer que até foste muito honesto
e conhecer-te foi, realmente, um prazer.
Porque
conheci alguém com uma janela tão grande
ou maior que a minha para o mundo.
Porque
despertaste em mim novos horizontes,
novas visões,
novas maneiras de estar na vida.
Porque
apesar do pouco tempo
que estivemos juntos, me fizeste sentir ÚNICA.
Fui, mesmo um passarinho assustado
que bateu no vidro da tua janela
e nem mesmo o som da tua voz, baixa e meiga, conseguiu acalmar!!!

Sei agora que o teu nome de interdito ou inútil nada tem -
fazes agora parte integrante da história da minha vida
e lembrar-te-ei, se assim o posso, com amor e carinho.

E,
O futuro a Deus pertence” -
quem sabe se, um dia destes, ao abrires a tua janela,
não encontrarás este passarinho,
mais calmo, mais seguro, mais forte e o voltarás a acariciar??

2 comentários:

Betty Branco Martins disse...

Querida Marta

Tens toda a razão: "O futuro a Deus pertence" Quem sabe um dia, essa janela não se abrirá!!!

Está prometido, quando eu for ao Porto (que eu ADORO!) vamos beber esse chá :)

Beijinhos

Boa semana

lique disse...

Olá Marta! É bom voltar a ler-te. Já tinha saudades de aqui vir. Beijinhos