sexta-feira, 24 de março de 2006

PARTILHAR

Tanto ódio e tanto amor
na minha alma contenho;
Mas o ódio inda é maior,
que o doido amor que te
tenho.
Odeio o teu doce sorriso,
odeio o teu lindo olhar.
E ainda mais a minh'alma
Por tanto e tanto
te amar!
Florbela Espanca
Quando o "descobri" - porque ler poesia está a ser uma viagem de descoberta - eu sentia-me exactamente assim!
Com ódio!
Nada se consegue com ódio;
apenas nos destruímos
e se bem que haja pessoas
para quem a vida é um jogo de cartas,
em que nada se respeita ou valoriza, eu valorizo-me.
Não é egoísmo;
não é excesso de auto-estima -
é apenas sentir prazer em estar viva
e ter amor para partilhar.
Como faço agora ao partilhar este poema!
Mesmo que seja um poema dilacerado pela dor!

Sem comentários: