terça-feira, 30 de janeiro de 2007

SORTE


Um medalhão...

Alguém desenhou na vidraça.......

As minhas iniciais entrelaçadas......

"mm"

E trevos de 4 folhas.......

Quem me deseja sorte?

Quem?? Pergunto....

Ninguém responde
e as gotas de orvalho,
até aí suspensas, hesitantes,
pela impaciência são dominadas.....
e descem pelo vidro........


Desfazem o medalhão,

mas na memória gravada fica a mensagem........

De palavras de amor inscritas no silêncio.......

5 comentários:

José disse...

Este poema é para ler em silêncio para depois alimentar a alma com a doçura das palavras.


Um beijo



José

Alexandre disse...

Não há gotas de orvalho capazes de apagar os medalhões da vida... estejam as gotas suspensas ou escorram elas pela s vidraças húmidas das manhãs nevoentas.

Não há gotas de orvalho que possam penetrar na alma... há trevos de quatro folhad espalhados por todo o lado...

Beijinhos!!!!

Peter disse...

"Quem me deseja sorte?"

Eu desejei-te ...

MARIA VALADAS disse...

Que bom ler um poema a esta hora da madrugada!

Obrigada Marta!

PS: Tomei a liberdade de colocar o teu link no meu Blog...se houver problemas eu retiro..

Beijinhos da
Maria

Borboleta disse...

:) Bom dia..boa sorte Martinha :) jinhos ;)