quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

ESCREVAM-ME UMA CARTA - O DESAFIO

Uma carta

Esse é meu desafio.........
Uma carta - escrevam-me uma carta!!!
Para aqui - nos comentários!!!!!!

Nada de formalismos!!! Nem precisa de ser longa!!!

Simplesmente uma carta amigável, brincalhona, saudável...

O que quiserem...
desde a descrição do vestido sexy,
o jantar romântico com o/a novo/a namorado/a, etc......

Não aceito palavras como "Oi, olá, como estás? Tudo fixe? Xau".......

Deixem a vossa imaginação trabalhar........surpreendam

A minha carta??

Mais tarde a escreverei........

Até lá, as vossas aguardo..................

E deixo um grande xi........

Do fundo do coração........

12 comentários:

Miguel... disse...

E mando a carta para onde?

Borboleta disse...

oi..Desafio aceite:)...vou tentar ainda hoje meter mãos à obra...jinhos

Alexandre disse...

Exma e mui digna,

Dona Marta,

venho por este meio em papel de carta obsequiar Vossa Excelência com as minhas humildes palavras que tão pouca importância revelam perante a grandiosidade e a generosidade da Vossa mui Nobre pessoa, detentora de um carácter digníssimo e elegantérrimo cujas ruas e avenidas da mui nobre cidade do Porto têm o pribilégio de ver passar.

Aqui deixo também um excerto do mui romântico Tony de Matos que nos idos de 1946 gravou esta canção que, se mudássemos carta para e-mail ou sms, estaria perfeitamente adequada aos tempos que correm. Mesmo assim aqui bai:

«Cartas de amor,
quem as não tem,
cartas de amor
pedaços de dor,
sentida de alguém

cartas de amor,
andorinhas que num vai e vem
dizem ter saudades minhas,
cartas de amor
quem as não tem!»

E com esta lembrança do nosso muito querido Tony de Matos, me vou, desejando a Vossa Excelência e a toda a sua mui nobre família os melhores cumprimentos. Deste que se assina ao Vosso dispor.

AEnima disse...

manda-me o endereco que eu escrevo com a minha maozinha!!! correio_banal@hotmail.com

Aceito o desafio sim senhor, mas agora preciso de trabalhar, e eu nao escrevo cartas aos amigos quando estou as pressas.

Pierrot disse...

Hoje faz de novo frio...
Faz tempo que não sentia, aliás, reformulo a afirmação, faz tempo que não sinto. E este frio se é um tónico para o rubor gelado da minha face, no entanto, deixa que o meu coração permaneça imutável.

Hoje faz de novo sol...
Curioso como tenho dois tipos de reacção ao sol que me ataca com os seus raios semi desmaiados. Ou ergo a minha cara e fecho os olhos, deixando que ele me banhe a cara, ou franzo o sobrolho numa tentaiva de ver para além da claridade. Mas seja como for, permaneço imutável...

Hoje sinto dor...
Apesar de medicado, este maldito dente do siso que já tem os seus dias contados, ainda me perturba. Antibiótico e anti inflamatório, são a minha salvação e o requiem dele. Mas seja como for, algo me diz que permaneço imutável...

Hoje não trago nada comigo.
Porque me sinto imutável, não tenho nada para vos dar, que não seja mais do mesmo. Queria dar-vos o meu sorriso numa palheta com as cores do arco iris, queria dar-vos uma palavra bonita com acordos de uma bonita sinfonia, queria dar-vos uma alegria do tamanho dos vossos sonhos, mas hoje não consigo, porque me mantenho imutável...

Porquê?
Porque sim...

Bjos daqui
Eugénio

DE PROPOSITO disse...

Uma carta?!..., mas que carta?..., talvez de paus, com este frio vem mesmo a clhar. Ah, mas se calhar és mulher quente não precisas de lenha. Uma carta de espadas, isto é agressivo, beijinhos é melhor, deixemos as espadas. Vamos para as cartas de oiros. Ah, o vil metal, e lá vamos nós para o inferno. Só me surpreende que em santuários haja tanta opulência. Será que aqueles que ussufruem de todo aquele luxo estão protegidos contra o fogo do inferno. Bem, deixemos o inferno, porque no inferno estamos nós.
E agora vamos às cartas de copas. Têm formato de coração, são as minhas preferidos. Também têm significado pejorativo. Mas não é nesse que estamos a pensar. Eu já pensei por isso o escrevi. De qualquer forma deixo-te todas as cartas de copas.
Lindas cartas, cartas de amor.

C_BRITTO disse...

Bom, não sei direito o que escrever... mas como é um desafio então vamos lá...É que ás vezes passam tantas coisas pelo meu interior, pela minha cabeça e os sentimentos se misturam, se confundem. "A saudade é uma inimiga que se ama..." Acho que sinto saudade. Saudade de alguma coisa boa, alguma coisa bonita impressionante que marcou, e deixou feridas e cicatrizes; saudade de algum momento que aconteceu e que poderá acontecer. Talvez essa saudade se defina por carência vontade de viver intensamente algum momento, presente apenas na minha imaginação fértil.

Bem, gostaria de dize; que você é uma amiga muito querida, simpática e brincalhona.. por fazer os nossos neurônios fritarem, quando nos faz esse tipo de desafio, porem muito saudáveis!

Abraços Marta.

Borboleta disse...

Aveiro, 26 de Janeiro de 2007

Minha querida Marta:

É com imenso agrado, que aceito o teu desafio.
Confesso que o dia de hoje, tal como a maioria dos meus dias, foi o que se pode chamar um dia bem preenchido.
Mas tal como diz o ditado, quem corre por gostO não cansa, e eu cheguei ao final do dia com um sorriso no rosto.

Ainda não te contei…mas vou ser tia…
Sempre desejei ser mãe, infelizmente a vida ainda não me ofereceu essa dádiva….
No dia que soube, que o já amado Afonso ia nascer, chorei de alegria…
Tenho feito um estágio nessa área, inclusive até já sei quais são os carrinhos de bebé que estão na moda.

Um abraço para ti e aguardo novidades tuas.
Borboleta

Borboleta disse...

:) o meu sobrinho não é de sangue..a minha irmã só tem ainda 17 anos...mas
é meu sobrinho duas vezes..pela parte de mãe e de pai..ambos são meus grandes amigos...aliás até fui eu que
os apresentei...jinhos e uma boa excelente fim de semana ;)

belakbrilha disse...

Carta?
Desafio?
Imaginação?
Porque não?
Carta para alguém
Nem sei bem para quem
Mas tudo bem
Palavras de incentivo só fica bem!!!
Acordar e saber viver, é sempre um desafio…
Saber olhar
Cair…levantar
Enfrentar
Sentir…com emoção
Não requer imaginação???
Será isto uma carta?

…porque não?...;)

bjs

belakbrilha disse...

a carta...;)
palavras soltas...gosto mais
Estão lá no meu cantinho...
Obrigada, deixei uma rosa para a Marta

até já!!...;)

Teresa David disse...

Sinto saudades do tempo em que trocava cartas de desejos inflamados com namorados perdidos no tempo. Estudei grafologia e a grafia de cada uma dizia-me, por vezes, mais do que as palavras.
Agora não escrevemos, teclamos, e grande parte da magia das cartas foi-se!
Bjs
TD