terça-feira, 3 de outubro de 2006

GOTA NA SARJETA

Desapareço...
Na sarjeta...
Com lama, ramos partidos, folhas secas e papeis amarfanhados....
Não tenho voz; entro na escuridão, na clandestinidade dos esgotos da cidade...
Tento manter-me à tona – mas não consigo...
O turbilhão de água furiosa e suja....
"Não há luz" – penso, quero gritar, mas sou imediatamente silenciada, espezinhada por outras gotas que pensam ter encontrado um caminho...
"Que caminho??" mas ao longe....
Há luz........!!!!
Que alívio, vou ver o sol............
Mas caio, tipo cascata, no rio e volto a ser engolida pela turbulência das águas...............

7 comentários:

Escuta o teu mundo... disse...

....do mar!
Sabe bem voltar a casa!
Sinto-me calma.
Bj

Aluena disse...

Antes gota de orvalho sobre pétala de flor.
Toma teu SOL.
Vem tomar 1BICA quentinha.
AMIGA SEMPRE

o alquimista disse...

Num abraço te envolto, és tão preciosa para que as desnfreadas águas te aprisionem...o mundo conhece-te, és flor que a mão de um anjo teceu na fonteira do sonho...

Doce beijo

anamoris disse...

Podemos escolher tantos caminhos, o da gota de água é um deles. Depois das trevas, o Mar e o Sol.
Beijos

o lápis disse...

Há tantas formas de se ser :)

Mas és tu que tens em ti o poder de escolher, de lutar pela gota, pela cascata, pelo oceano ou pelo rio!

Seja o que for, que seja sempre uma forma feliz e luminosa de ser!

o lápis disse...

Bom feriado, bom fim de semana, um beijinho!

Van

Pierrot disse...

A vida é esta turbulência de cai e levanta.
E retrataste muito bem esse turbilhão do destino.
Revi-me nas tuas palavras.
Bjos daqui e muitos parabéns
Eugénio