segunda-feira, 16 de outubro de 2006

ESPIRAL DE CORES


Por momentos, pensei ter acordado noutra galáxia...

Por tão profundo, o meu sono ter sido...

afastando de vez o fantasma da insónia, dos pensamentos revividos,

revistos....

Perguntas angustiadas e respostas sombrias.....

Mas não, acordei no meu quarto....

No meu quarto azul e dourado, cores um pouco já desbotadas, confesso mas

às quais permaneço leal e outras não quero........

O azul puro, de que um dia fugi, mas que agora, à medo conquista e mancha

os meus sonhos...

Combinando na perfeição uma espiral de cores sensuais e quentes....

6 comentários:

Teresa David disse...

Como o teu despertar é diferente do meu! nem olho para a cor do quarto, penso simplesmente o que irei fazer no dia em que acordei para me sentir bem em estar viva!
Mas a tua sensibilidade leva-te a um começar de dia bem mais poético do que o meu.
Bjs
TD

Alexandre disse...

Olá, passei por aqui, vi um despertar fantástico e fiquei preso... mas de livre vontade! Para quando uma compilação de todos esses poemas /pensamentos/ sonhos / cores / sons ...?

:): disse...

Sonhos e despertares pintados de azul puro...PERFEITO!

Beijinho

Peter disse...

Olá Marta! Será que a realidade te possibilita esse despertar?

Beijo

Maresi@ disse...

Ola miga....lindo esse poema...essa miscelanea de cores, não as desbotadas..mas sim as sensuais e quentes...

Beijo suave___maresi@

Pierrot disse...

Lindo lindo lindo.
Gostei gostei gostei...
Adoro poemas de cores mil...
Acho-os mais frescos, mais primaveris, sobretudo nesta altura do ano sempre tão turba de chuva e cores cinzentas
Parabéns e bjos daqui
Eugénio