terça-feira, 31 de janeiro de 2006

SORRISO ABERTO


Que eu sou uma sentimental – ninguém duvida!
A única pessoa que aceitava as minhas lágrimas era (e é) a minha Madrinha, porque o resto da família ficava claramente irritada.
Temos que nos aceitar como somos e nem todos podemos aparentar uma coragem, uma força, uma energia que não sentimos lá dentro.
Claro que com os anos fui aprendendo algumas coisas, aprendi a erguer certas barreiras e a proteger a minha auto estima.
Sem isso, não fazemos nada e eu não fiz nada, por mim, para me valorizar durante muitos anos!
Fiquei extremamente comovida com o comentário tão amável e inesperado que recebi há pouco e, o Descamisado que me perdoe, vieram-me as lágrimas aos olhos.
No entanto, deixo-lhe um presente inesquecível
um sorriso aberto,
vindo lá do fundo do coração,
como há muito não pairava nestas bandas!

2 comentários:

da. disse...

...e no entanto 'sentir' é uma parte tão fundamental e constituinte do ser humano..

LUA DE LOBOS disse...

eu abro a torneira nas situações mais insólitas... mas quando há grandes razões, ou pelo menos, as clássicas, fico impávida mas não serena.
o estatuto de ser Mulher tb abrange a imprevisibilidade:)
xi
maria