terça-feira, 3 de janeiro de 2006

NOÇÕES DE AMIZADE

Bem sei que novo ano significa novos projectos, mas, e embora me custe, tenho que continuar com um antigo.
E, como não podia deixar de ser é contigo - a quem votei ao silêncio!
Porquê?
Não o fiz, porque me faltaste ao respeito ou foste malcriado!
Isso resolvia facilmente, agora que aprendi a lidar com esse tipo de situação!
Bastou elevar um pouco a voz para que ficasses surpreendido – nunca reagi assim – e mudasses de imediato de tom.
O que não te perdoo agora é o facto de não me teres defendido!!
Podes argumentar, e não deixas de ter razão, que eu podia ter reagido e falado, mas a conversa foi contigo e tu aceitaste a análise da outra pessoa calmamente, concordando mesmo que ela interferisse num assunto que nós – eu e tu – devíamos resolver.
Que me desse uma “lição de moral” – só a minha Mãe tem esse direito – e me dissesse como devia fazer as coisas.
Que me comparasse a uma simples “executante” quando estou inscrita como “correspondente em línguas
”.
Isto é apenas uma “categoria” que nada tem a ver com o que eu realmente faço; tu sabes disso e não compreendo, porque é que, como se diz vulgarmente, não “arrumaste com a conversa”.
Por isso, raramente olho para ti e só te respondo se tiver que ser.
Tens mesmo que “rever” as tuas noções de amizade – a tal amizade que dizes ter por mim – porque um amigo não deixava que me “humilhassem” daquela maneira.

1 comentário:

zezinho disse...

Olá Marta. Terei certamente ocasião de ver com mais calma este teu espaço que me parece magnífico.
Apenas te quis dizer que já cá vim..
Beijos