domingo, 22 de janeiro de 2006

PRECIPITAR

Agora que cumpri o meu dever cívico, posso instalar-me confortavelmente na minha cadeira e começar a trabalhar.
Afinal de contas, eu gosto de fazer este tipo de trabalho, porque cada tradução é um novo desafio e aprendo novas formas de falar e escrever o francês.
É onde me sinto à vontade; é onde estruturo o meu ego, que não está exactamente ferido, porque recuei a tempo.
Ontem, chorei amargamente e desejei poder chorar no ombro da minha irmã.
Mas a minha irmã é brusca, prática demais, não tem tempo para analisar o labirinto dos sentimentos contraditórios do coração
e a outra está longe demais.
E, depois a decisão tinha que a tomar sozinha
e se me sinto magoada….o melhor é alargar ainda mais uma distância que eu até estava disposta a ultrapassar.
Ao ponto de ter considerado seriamente a possibilidade de deixar a cidade onde sempre vivi…………
Oh, ainda vou chorar nos próximos dias; ainda vou pensar em mudar de ideias, que estou a ser injusta…
Talvez me tenha precipitado,
mas quem é que não se precipita quando se
se apaixona???

2 comentários:

Aluena disse...

Marta amiga,
Já estou um pouco melhor.
Antes de voltar para a caminha vim até aqui cuscar.
Não chora não. Assim fica pior para si. No mundo tudo é ilusão.
"Mais vale só do que mal acompanhada."

Venho convidá-la a distrair-se um pouco.
Venha visitar o meu BLOG:

http://bica.blogs.sapo.pt

Alegre-se. Beijinhos.

Continuamos unidas numa grande amizade.

AMIGA SEMPRE

ALUENA

Descamisado disse...

Por vezes pensamos ter a palavra certa. Mas não existem palavras certas, só aquelas que usamos e abusamos. Fugir não resolve, enfrentar doi mas só doi uma vez, a fuga eterniza a dor porque se não resolvemos, carregamos a dor às costas, encurvamos e encurtamos a nossa vida. Não interessa qual é dimensão do envolvimento emocional, não interessam os pormenores e pormaiores, interessa que nos fim se sinta o alivio de ter tomado a decisão certa. Que se olhe para o espelho e se veja um sorriso de felicidae ou lagrimas de felicidade, mas que a felicidade exista no meio de tudo. E amanhã é outro dia ;)