terça-feira, 16 de maio de 2006

TAJ MAHAL



Ontem, durante um exercício de meditação no yoga, "transportei-me" até ao Taj Mahal.
Li vários livros sobre o Taj Mahal, mas gostaria de lá ir para apreciar pessoalmente como a luz o enfeita, como a água o conquista, como os jardins o protegem.
No fundo, estão a proteger um amor incondicional, eterno, que ultrapassa os limites do tempo, dos séculos, da própria vida.
Depois, há toda uma profusão de cores, quentes e fortes que obrigam os olhos a fecharem-se por momentos, mas depois, abrem e ficam deslumbrados, captando para sempre aquele brilho, aquela claridade.
Confesso que fiquei em paz e deixei que a mente continuasse a vaguear por entre aqueles jardins.......
Se tu estavas a meu lado, não sei.......
O momento foi única e exclusivamente meu..............

5 comentários:

a lice disse...

Sabe tão bem viajar, flutuando!:)

E fica bem mais barato!:))

Beijinhos.

Pitucha disse...

O mundo é tão grande e o tempo e o dinheiro diminutos... excelente maneira de viajar Marta!
Beijos

DiVa disse...

Passei por aqui e vi o teu post.
ai ... suspiro, também queria.. sabe tao bem ficar em paz...:)

Joao disse...

Apenas um sorriso :) Gostei de passar por cá

Um beijinho

Para ti disse...

Tb precisamos de momentos exclusivos,só nossos...